Busca no Blog

21 de agosto de 2014

A hediondez espírita - Dom Corrêa (15/22)


A HEDIONDEZ ESPÍRITA

Dom José Eugênio Corrêa
Bispo de Caratinga
(1957-1978)


15. EXISTE O INFERNO?

Allan Kardec escreveu muito contra o inferno. O Espiritismo nega insistentemente a existência do inferno. E, por influência do Espiritismo, a negação do inferno já está se generalizando demais... Para os espíritas, os mortos se encarnam de novo para se purificarem dos seus pecados. E espalham a crença de que Deus é muito bom, não pode condenar seus filhos ao fogo do inferno...

Nada tão claro na Bíblia. Jesus fala no tico epulão que «foi sepultado no inferno» e ali sofria «atormentado neste fogo...» Nesta parábola (Luc. XVI, 19-ss.), Jesus diz que há um abismo entre o céu e o inferno: de um desses lugares não se pode passar para o outro.

Jesus fala em pecado que «não será perdoado eternamente, mas será réu de castigo eterno» (Mat. 3, 29). Ensina Jesus que a pessoa que der escândalo «irá para o inferno, para o fogo inextinguível, onde o verme não morre, nem o fogo se apaga» — (Mc. 9, 43 e ss.).

Jesus repetidas vezes fala em «fogo eterno» (Mt. XVIII). Diz que no dia do juízo Deus dirá aos maus: «apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno» (Mt. XXV, 41). Aí mesmo diz que os maus «irão para o suplício eterno». Não basta?

Deus é infinitamente bom... Por isto Jesus faz tudo para nos salvar. Aí está a Igreja, os Sacramentos, tudo. Agora irá para o céu quem quiser. E para o inferno quem quiser.

Somos livres, pois Deus nos deu a liberdade. Sabemos o caminho do céu: os mandamentos, ou cumprimento dos deveres religiosos. Temos o auxílio de Deus, a graça que nos vem pelos Sacramentos, que nos santifica e nos salva. Se alguém quiser deixar tudo, abandonar Deus, seguir o caminho do inferno, que é amplo e convidativo, ninguém poderá impedir...

Deus é infinitamente bom, mas é também infinitamente justo. O pecado é uma desobediência a Deus, e de certo modo infinita, pois a grandeza de uma falta se mede pela grandeza do ofendido... Em todo caso, Deus está sempre pronto a perdoar e salvar... Se a pessoa não quiser mesmo, e morrer de mal com Deus, terá o inferno, para sempre. Depois desta vida acabará a liberdade e não haverá mais mudança.

Se o inferno não existisse ou não fosse eterno, Deus seria injusto levando bons e maus para o céu... E os maus até poderiam zombar de Deus, dizendo: «não me importo contigo, Deus; viverei como quiser, praticarei o mal, e um dia terás de me colocar ao lado dos santos no céu!» E os maus levariam vantagem sobre os bons! Neste caso, para que sacrifícios, cumprimento do dever, para que virtude?

Tem de haver céu e inferno! É um postulado elementar da justiça natural! É preciso premiar os bons e castigar os maus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário