Busca no Blog

10 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

ASSISTI AO TEATRO

Nosso Senhor me livra dos passeios e festas milagrosamente . . . Assisti ao teatro. Fomos com mamãe à ópera. Era a primeira vez que eu ia. Que impressão causou-me! Que grande indecência! Como sofri ao ver que essas mulheres são tão sem pudor! Como se ofende a Deus ali! Minha alma permaneceu unida a ele.
De outras vezes assisti peças boas. Não sabia como agradecer ao meu Jesus.
Fui duas vezes ao teatro com D. Júlia Freire. Vi AÍDA, porém não me agradou tanto quanto "Lúcia de Lamermour", peça que foi apresentada por Maria Barrientos, uma das melhores atrizes do mundo. Tem voz maravilhosa: É verdadeiramente um rouxinol. Lembrava-me de você, paizinho, que gosta tanto de música e ficava encantado quando ia ao teatro (Santiago, 18-9-19 18) .
Quantas tentações tive para não flertar! Não posso negá-lo: encanta-me flertar por diversão. Porém, vejo que não o posso fazer, pois seria uma ingratidão para com o meu Jesus.

HÁ UMA VAGUINHA?

Madre, agora vou suplicar-lhe que me admita nesse "pombalzinho". Sei que sou muito indigna deste favor tão grande. Creia-me que trabalharei toda a minha vida para ser uma grande santa. Sta. Teresa diz que não é orgulho ter grandes desejos; antes, ao contrário, isto levanta a alma para coisas mais elevadas.
Sei que sou muito imperfeita, porém espero, com o auxílio de Nosso Senhor e da Santíssima Virgem, honrar o hábito de carmelita. Entretanto esperei, preparo-me o melhor que posso. Assim é que peço, por favor, diga-me se há uma vaguinha.
Mantenho-me o mais possível unida a Nosso Senhor dentro da casinha de minha alma. Essa é minha celinha, por enquanto. Quer caminhe pelas ruas ou vá ao teatro ou passeios, digo a Nosso Senhor: "Jesus meu, aqui talvez ninguém pense em ti. Porém aqui tens um coração que te pertence inteiramente" (Santiago, 1 7-9-1918) .

A MAIS FELIZ NOTÍCIA

Não imagina quanto bem me proporciona com suas cartas e a alegria com que as recebo, sobretudo esta última na qual me diz que há vaga nesse "pombalzinho" tão querido. Quanto agradeci ao meu Senhor do fundo de minha alma, quando lia essas linhas que me traziam a mais feliz notícia!
Acredite que me sinto desterrada aqui no mundo, em meio a tantos perigos, e tenho ânsias de ver-me já nesse conventinho, prisioneira para sempre de Nosso Senhor. Ainda que seja o último lugar, e ainda que tenha de servir a todas as minhas irmãs, eu o prefiro a viver com as comodidades do mundo, pois creio que ali hei de encontrar a felicidade mais completa desta vida.
Pergunto-me por que o Senhor me protege e me guarda para si, quando sou tão miserável. E nele mesmo encontro a resposta: tem um coração de Deus, cheio portanto de amor infinito, e esse fogo de amor abrasa quanto encontra à sua passagem, contanto que nos deixemos consumir (Santiago, 1 8-9-19 18).

9 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

ADEUS AO COLÉGIO

Saí do colégio. Quão diversas impressões de pesar senti por deixar meu querido colégio, minhas madres e companheiras, às quais sou tão reconhecida! Que boas são para mim, que carinho me demonstraram sendo eu tão indigna! Fiz meu sacrifício sem chorar. Verdadeiramente sentia em mim uma força superior às minhas. Era Jesus quem me fazia ter coragem nesse instante. Sentia que meu coração se estraçalhava ao dizer adeus à minha vida de co­legial. Contudo, não chorei, pois assim havia prometido a Nosso Senhor para preparar-me para o grande sacrifício que devo realizar dentro de meses.
Por outro lado, sentia o atrativo do lar, da vida de família que abandonei quando era tão criança; de voltar a viver com os meus para fazer o bem, para sacrificar-me por cada um a todo instante.
Também deixava Rebeca. Era a primeira vez que íamos nos separar. Era o prelúdio de nossa separação aqui na terra. Mas, nisto veja a mão carinhosa de meu bom Jesus, que assim prepara nossos corações para fazer o sacrifício.

PENSO CUIDAR DA CASA

Ontem saí para sempre do colégio. Desde agora, paizinho, co­meça para mim uma vida nova. Assim é que eu quero que você conte comigo para tudo. Não tenho outro desejo senão o de dar-lhe gosto em tudo; acompanhá-lo e consolá-lo, pois sei que, na vida de trabalho que você suporta por nós, encontra muito amiúde so­frimentos que, ainda que procure ocultar por seu grande carinho por nós, é impossível não compreendê-lo.
Lúcia casou-se e agora só pertence a Chiro. Eu tratarei de substituí-la, não só junto de você com o meu carinho, como também junto de minha mãe e irmãos, ajudando-os e sacrificando-me para dar-lhes satisfação. Penso cuidar da casa, procurando fazê-lo o melhor possível, já que considero que esse é o papel da mulher e não há nada mais bonito do que ver uma jovem preocupada com as coisas do lar, trabalhadora, não tendo outro pensamento que o de agradar a quantos a rodeiam.
Preparo-me para trabalhar muito nas missões. Temos muitos planos combinados com a Rebeca para esse trabalho missionário. Considere-me como filha a quem você pode confiar seus sofrimentos (Santiago, 13-8-1918).

MAIS AINDA DO QUE NO COLÉGIO

Saí faz 14 dias e esta vida que, vista do colégio, parecia-me um mistério desliza, graças a Deus, tranquilamente. Hoje, vejo que a vida em Deus pode continuar mais ainda do que no colégio. Quantos sacrifícios desconhecidos de todos!" Além disso, minha vida é de mais oração. Fico muitas vezes só em meu quarto com Deus. O estudo ocupava mais o meu pensamento. Agora só devo pensar nele. Todos os dias vou comungar.
Apenas saí do colégio, Nosso Senhor me deu uma amiga verdadeira. Temos os mesmos ideais, os mesmos sentimentos e gostos e até o mesmo caráter. Tudo é uno entre nós. Nós nos comunicamos nossos mais íntimos pensamentos, nos animamos e esforçamos por ser cada dia mais de Deus.

8 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SERIA UM MONSTRO

15-16 de julho. Jesus me pediu que não chore por minha saída do colégio. Eu lhe disse que assim as monjas me considerariam ingrata. Porém, ele fez-me ver quão apegada estava ao que as criaturas diziam. Que rezando por elas seria agradecida. Vou oferecer o sacrifício por meu pai e irmãos.
Minha Mãe, eu te prometo cumprir o regulamento perfeitamente para que ele se converta. Ofereço-te o sacrifício de sair do colégio sem derramar nem uma lágrima. Também principio a não comer doce de nenhuma espécie até que saia.
Outro dia recebi um assinalado favor de Nosso Senhor. Não sei por que duvidei que era Cristo quem falava dentro de minha alma. Então disse: Se Tu, Senhor, és aquele que me fala, faze que tal madre me pergunte: "Você ama a Cristo?" Qual não seria minha emoção quando ouço a madre a quem eu disse: "Faça-me uma pergunta qualquer", perguntar-me: "Você ama a Cristo?" Retirei-me a um quarto e chorei de agradecimento a Nosso Senhor (Santiago, 22-8-1918). Segundo o DIÁRIO, este episódio ocorreu no dia 16 de julho. Sua resposta foi: "SERIA UM MONSTRO SE NÃO O AMASSE".

MARTÍRIO NO DENTISTA

Sua carta encheu de paz minha alma, dissipando as dúvidas acerca de minha vocação. Sim, eu creio que minha vocação é para carmelita e só penso em adquirir o espírito de Sta. Teresa.
Pergunta-me se quererei sofrer por Nosso Senhor toda classe de sofrimentos. Creia-me, Padre, que não só quero, mas que desejo. Casualmente, agora estou sofrendo muito, pois ontem procuraram arrancar-me um dente e o dentista trabalhou três quartos de hora sem consegui-lo. Apesar de ele ter-me aplicado anestesia, senti a dor mais horrível. Porém a ofereci a Nosso Senhor pelos pecadores e sacerdotes. Por um momento, quase cheguei a perder a cabeça de tanta dor. Vim para casa. Apesar de sofrer muito, eu o escondo. Amanhã terei de ir extrair esse dente. Estremeço só de pensar, e apesar de quererem me dar clorofórmio , não quero. Reze para que Nosso Senhor me ajude (Santiago, 1 .0-8-1 918). Sofri todo o dia e aparentei como se não doesse. Jesus, quero so­frer tudo por meus pecados e por eles.

EU IA FICAR COM ELE

Faltam só quinze dias para eu sair do colégio, e apesar de sentir muito, quero cumprir a vontade de Deus com alegria. Penso, durante as férias, pedir permissão para ser carmelita. Penso, em minha casa, viver uma vida de oração.
31 de julho. Tiraram meu dente com clorofórmio. Sofri com o dente, tanto que não é possível dizer. Passei duas noites sem dormir, e ontem gritava de dor. Porém, à noite, propus-me não chorar para oferecer a Deus e aguentei a dor toda a noite sem queixar-me.
7 de agosto. Entro em retiro. Eis o que mais me comoveu: teu amor, Jesus, por uma criatura tão ingrata.
Passei dias de céu. Em cada passeio ia ficar com ele na capelinha, bem junto dele. Falamos tanto . . .
Terei caráter. Jamais me deixarei levar pelo sentimento e pelo coração, mas pela razão e por minha consciência. Cumprirei a vontade de Deus com alegria, tanto nos sofrimentos como nas ale­grias, sem demonstrar jamais em meu rosto o que se passa no coração.

7 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

O ÚNICO CAPAZ DE ENAMORAR-ME

26 de maio. Confessei-me. Gozei da paz que havia três meses não encontrava. Pregaram maravilhosamente sobre a educação que consiste no domínio das faculdades por Deus. A educação da mulher é mais importante que a do homem, pois ela o formará.
7 de junho. Hoje faz um ano que recebi a medalha de Filha de Maria. Oh! que graças concedeu-me minha Mãe! Penso como não me tomei louca de amor por Jesus. Quão pouco o amo em comparação do que ele me ama. Como não fico louca por ele?
8 de junho. Madre Esquerdo está aborrecida comigo. Já não é a mesma de antes para comigo. Eu lhe conservo o mesmo carinho e confiança. Isto me magoa. Por que, Jesus meu, colocas este gelo em redor do meu pobre coração? Ah! é porque me amas. Queres cercar-me só do teu amor, para que não me apegue a ne­nhuma criatura; pois se as almas regaladas, escolhidas, santas, esquecem e são indiferentes, como serão as outras pessoas? Só tu, Jesus, és o único capaz de enamorar-me.

TREVAS EM MINHA ALMA

Penso fazer um regulamento. Levantarei cedo para fazer uma hora de oração. Essa hora para mim é, às vezes, um céu; porém, outras vezes, há tantas trevas em minha alma, que não descubro nela o meu Jesus. Todo este ano, com exceção de alguns dias, minha oração e comunhão foram assim.
Nosso Senhor quis provar-me durante o transcurso deste ano. Sofri bastante sem ter a quem recorrer. Tive muitas dúvidas a respeito de minha vocação de carmelita. Dúvidas também a respeito da fé, de tal maneira que às vezes me perguntava se existia Deus, pois sentia-me completamente abandonada por ele. Olhava meu crucifixo e tudo me parecia uma quimera. Chorava e implorava o auxílio da Virgem e ela também não me socorria. Até que Nosso Senhor se compadeceu e deixou ouvir sua voz interiormente, e imediatamente cessou tudo e fiquei inundada de paz. Eu quero sofrer essas securas para que outras almas sintam o atrativo pela comunhão e a oração. Além disso, mereço tudo isto, pois sou tão ingrata com Nosso Senhor.
Meu estado habitual é de uma secura espantosa. Na comunhão não sinto o menor fervor sensível. Entretanto, mesmo não sentindo esse atrativo, não deixei de comungar (Santiago, 18 e 25-6-1918).

CRIANÇA MIMADA POR JESUS E MARIA

Falta um mês para eu sair do colégio, pois como se casou minha irmã mais velha, vão tirar-me. Tenho pena de sair, pois gosto das madres e me encanta o estudo, e também me levarão a frequentar a sociedade.
Quero agora preparar-me para resistir aos enganos do mundo. Asseguro-lhe que temo, pois sinto-me muito débil de caráter. Enfim ponho-me nos braços da Santíssima Virgem e peço-lhe todos os dias que, se hei de ser infiel a Nosso Senhor, que ela me leve antes de sair do colégio. Se Jesus e minha Mãe me livraram de tantos perigos até agora, será que me abandonarão no momento mais terrível? Não. Amaram-me, protegeram-me como a criança mimada, toda a minha vida (Santiago, 18 e 25-6-1918).
Estou contente, feliz e muito agradecida a Nosso Senhor e à Virgem, porque todos comungaram este ano. Jesus meu, és o Jesus de Betânia.

6 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

DEUS QUER PROVAR-ME

Vejo que Deus quer provar-me porque a cada instante me envia sofrimentos. Compreendo que por eles me hei de assemelhar a Jesus Crucificado. E é este o meu único ideal. Quer de mim um abandono total em suas mãos divinas, e se constitui ele mesmo o meu diretor e meu Mestre. Manifesta-me sua vontade de um modo tão direto, que não posso duvidar que sejam esses os seus desígnios.
Se quero ser crucificada à sua semelhança, é necessário viver cada instante cumprindo perfeitamente sua divina vontade, ainda que ela me traga sacrifício e imolação.
Tenho sofrido tanta secura e abandono que já não é possível descrever. Sobretudo uma vez, passei como que uma hora e meia numa angústia tão terrível que me disse: se isto continua não po­derei fazer nada. Supliquei a Nosso Senhor que me tirasse dessa angústia, e então ele deixou-me ouvir sua voz, e imediatamente com sua palavra a tempestade se apaziguou, mas continuei ainda na secura. Porém, não estranho isto, fui eu que pedi a Cristo que me prive de todo consolo, para que outras almas que eu quero encontrem nos sacramentos e na oração paz e gozo (Santiago, 2-4-1918).

ABANDONO, ARIDEZ, AGONIA

10 a 16 de abril. Sofro de maneira horrível. Jesus me abandonou porque sou infiel. Já não ouve minhas orações e deixa-me sem sua graça para vencer-me, de modo que estou desesperada. Jesus meu, tem piedade de mim! Tu sabes que te amo. Minha Mãe, socorre-me nas trevas! Nada. Jesus não está em minha alma. A Virgem não me responde. Jesus, tem piedade de tua esposa infiel. Sim, te amo. Não me abandones. Oh! obrigada! Com tua palavra, Jesus, dissipas por completo a tempestade.
Estou num estado tão horrível, irritada, com desejos de portar-me mal, desesperada com as monjas, sem gosto na oração, sinto desespero . . . Choro porque não sei o que me acontece e não tenho quem me aconselhe, quem me ajude.
Abandono, secura, agonia. Estou que já não posso mais. Doem muito meu peito e as costas. Vejo tudo tão triste porque não po­derei ser carmelita sendo tão débil. Jesus me disse que sempre cumprisse sua vontade com alegria, apesar de sentir-me abatida. Que não olhasse o futuro para manter-me em paz.

DESEJAM LEVAR-ME A FESTAS

Cada dia que passa aumentam meus desejos de ser carmelita. Porém a realização de meus desejos, eu a vejo cada vez mais difícil. Já começo a sentir a oposição de minha família, pois desejam que eu saia do colégio para levar-me a festas. Essas festas mundanas que são laços para perder as almas.
Rogue por mim, para que saia vitoriosa da luta e da tempestade que se inicia. Que eu possa logo chegar ao porto do Carmelo onde espero encontrar o céu na terra, quer dizer, o céu no sofrimento e no amor. Às vezes sinto desejos de morrer antes que sucedam estas coisas; porém é covardia não querer o combate. Então peço a Cristo que me dê armas para vencer. Nosso Senhor me diz que me abandone a ele. Já que sempre me auxiliou e me fez vencer, por que desconfiar agora?
Mortificações, não fiz quase nenhuma porque não tinha permissão. Só mortifico a vontade. Porém, agora peço-lhe permissão para fazer algo mais. Todos os dias faço meditação. Na quaresma versou sobre a Paixão. Costumo seguir o Evangelho nessas meditações (Santiago, 12-4-1918).

5 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

ESTOU ME ABORRECENDO

Apesar de fazermos muitos passeios a pé, a cavalo, estou me aborrecendo, pois cansa-me esta vida tão agitada. Gosto de ter minhas horas livres e aqui não tenho um momento livre para escrever, para ler, que são minhas ocupações preferidas.
Tenho estado em turmas com meninos. E pelo que tenho visto e ouvido, formei uma ideia das festas sociais muito pouco favorável. Pergunto-me como podem chamar interessante uma coisa assim, onde não se ouvem senão tolices. Quando penso que talvez tenha de assistir a tais reuniões, sinto vontade de chorar e mais que nunca anelo pelo lugarzinho onde existe a verdadeira felicidade, pois ali possuirei a Deus, principiando assim a vida do céu.
Quando estou no meio das meninas, penso que tenho Jesus e apresento-lhe meu coração nesse lugar onde, em meio à alegria, ninguém o recorda.
Estou dando aulas de catecismo. Tenho 9 meninos e todos os dias rifo para eles qualquer brinquedinho, e isto os alegra (Algarrobo, 12-2-1919).

COM JESUS ATRAVESSAREI O FOGO

Minha vida é muito tranquila e a vivemos muito bem. Estamos apaixonados pelo tênis; é assim que estou aprendendo. Encanta-me.
Alegra-me que vão a Papudo tomar uns banhos de mar. Creio que será muito bom para todas, inclusive para ti. Quanto à minha saúde estou sempre com uma dor muito grande no peito. Um médico disse-me que me convinha um clima alto e que tudo provinha de minha anemia. Isto corta todos os meus planos. Porém, enfim que se faça a vontade de Deus (Algarrobo, 2 1-2-1918).
Se Jesus quiser que eu seja carmelita, me dará saúde para isto. Não ignoro que devo subir ao Calvário, é preciso aderir à cruz para chegar à união com Cristo. Ainda que tenha de atravessar o fogo, com Jesus a passarei, se tiver saúde para ir este ano. Estou lendo o Caminho de perfeição (Algarrobo, 22-2-19 1 8).

FÉRIAS BEM-EMPREGADAS

12 de março. Obrigada, minha Mãe, por haver-me livrado de todos os perigos e por haver-me feito empregar bem as férias. Obrigada!
A viagem foi divertidíssima. Gozamos, pois brincamos desde que saímos de Santo Antônio. E também nos lembramos de vocês, porém apenas para "depená-las" porque, já te disse, és um chumbo.
Entramos no Colégio dia 12 com um sofrimento negro. Creio que no pranto de nossos olhos se teria podido formar um mar tão grande como o de Algarrobo. Tu podes supor como choramos. Deixo isto à tua vivíssima imaginação. Não sairemos até abril (Santiago, 14-3-1918).

4 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

RAIAS, MONTANHAS, QUEBRADAS

Vivemos na praia ou em caminhadas. Fizemos vários passeios a cavalo e a pé. Ontem fizemos um muito bonito e muito à vontade, pois todas éramos meninas. Fomos em onze tomar lanche numa quebrada denominada Las Petras. É um imenso bosque onde não penetra um só raio de sol e onde se encontra a vegetação mais fina e preciosa. Tomamos ótimo lanche e depois uma menina cantou. Em seguida nos pusemos no jogo de prendas. Divertimo­-nos e a tarde passou num segundo.
Também saímos a pé fazendo excursões pelas serras e quebradas. Que paisagens encantadoras vemos a cada passo! Nosso passeio favorito são as serras de areia que encantam Inacinho, pois nos deixamos cair como de três metros rolando na areia.
Lúcia está como numa noite escura com a ida de Chiro, que se foi na terça-feira.
Rebeca e eu estamos muito contentes, pois saímos todo dia. Hoje vamos passear a cavalo com os Rivas. Agora vamos ao banho de mar e vou banhar o Nano numa praia onde o mar é como uma piscina e onde nado todo o tempo (Algarrobo, 2-2-1918).

DESEJAMOS DAR-LHE CARINHO

Papaizinho, só falta você para que sejamos felizes, pois, en­quanto nos divertimos aqui, você está trabalhando, praticamente de sol a sol para dar-nos comodidade. Não temos, papaizinho, como pagar-lhe, porque é demasiado o seu sacrifício. Nós, os seus filhos, o compreendemos e o rodeamos de nossos carinhos e cuidados, pois acho que é a melhor maneira de agradecer a um pai. Por que não vem sequer uns dias? Não sabe a mágoa que me dá ao ver as outras meninas felizes com seu papai. Por favor venha, pois nós gozamos tão pouco da sua companhia durante o ano. O Sr. Júlio Furtado falou-me muito de você (Algarrobo, 2-2-1918).
Todas as noites, antes de dormir, rezamos à Santíssima Virgem para que o proteja, já que está tão longe de nós. Quanto desejamos, paizinho, estar fora do colégio para poder acompanhá-lo no campo, cuidando de você a nosso gosto (Santiago, 3-5-19 18).

UMA VISTA ENCANTADORA

Estamos todos muito contentes por ter vindo a este lugar, pois não creio que haja praia tão agradável. O povo com suas casas não poderia ser mais simples. A casa que temos fica na praia. Desfrutamos de uma vista encantadora.
Todos os dias saímos à tarde, às vezes a pé, às vezes a cavalo. Outro dia fizemos um passeio de carroça a Punta del Tralca. Foi um passeio ideal. O ponto que escolhemos é maravilhoso: grandes penhascos onde as ondas se batiam com uma força extraordinária, a ponto de levantar uns 15 metros de espuma. Coisa mais bonita não é possível imaginar.
Todos os dias há missa e bênção do Santíssimo assistidas por toda a gente. Também damos catecismo (Algarrobo, 2-2-1918).

3 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

1918

Os desejos de Juanita de ingressar no Carmelo vão aumentando. Intensifica sua correspondência com o priora do convento de Los Andes e, em setembro, pede-lhe que, se houver uma vaga, admita-a em sua comunidade. A resposta afirmativa enche-a de alegria.

Porém Juanita não é uma sonhadora. Sabe que o amor é exigente. Que se vai ao convento para imolar-se com Cristo pela humanidade. Que em sua cela terá uma cruz de madeira sem Cristo. Que nessa cruz ter de morrer ao seu egoísmo, a quanto a impeça de repetir: "lá não sou eu que vivo, mas Jesus". Desde já, consciente de que o sacrifício da separação dos seus será dilacerante, aceita como providenciais, para ir preparando-se para tão terrível transe, todos os sofrimentos que se apresentam.

A luta que sustenta consigo mesma, para ser fiel ao chamado divino, não pode ser mais titânica. Ela mesma reconhece "o extremoso" que é seu carinho por seus familiares; que não acredita haver "irmãos tão unidos" quanto ela com os seus, e que "desejar carinhos é inato em mim, pois tenho Caráter mimado". As cartas familiares o confirmam; sobretudo as dirigidas a seu pai. Todas elas são impregnadas de carinho e afetuosa preocupação por ele e seus problemas, e sofrimento por não gozar de sua companhia.

Em 12 de agosto abandona definitivamente o internato. Desde então até sua entrada no Carmelo cuida da casa. E uma experiência enriquecedora. Ensina-lhe que em toda parte se pode viver segundo Deus, e que a vida do lar é muito sacrificada pois exige dedicação desinteressada aos demais.

EQUILÍBRIO PSICOLÓGICO

Seu equilíbrio é tal que, não obstante gozar de um trato tão sublime e íntimo com Deus, leva uma vida completamente normal. Assombra ver Juanita abismada na contemplação das perfeições de Deus, e ao mesmo tempo alegre, amável e comunicativa com os homens. Com igual naturalidade trata com Jesus de coração a coração como faz esporte e contagia de alegria a todos com suas brincadeiras inocentes e com seus ataques de riso. Vai conseguindo uma admirável harmonia, combinando invejavelmente o divino e o humano. Vai unificando sua vida humana, que se enriquece e plenifica ao ser orientada inteiramente segundo a vontade de Deus, que nos quer à sua imagem e semelhança.

NOITE ESCURA

Tal equilíbrio e naturalidade são mais de admirar porque, no transcurso deste ano, continua sofrendo dores e cansaço em seu corpo e sofrimentos na alma. O amor prossegue sua dolorosa obra de purificação, de eliminação de quanto a impede de assemelhar-se a Cristo. Atravessa um período atroz de trevas interiores. Seu grande sonho - a vocação ao Carmelo - se converte em motivo de dúvida e de tormento. Juanita mesma nos explica o porquê desta noite escura, na qual crê ter a alma "inteiramente abandonada por Deus". E que, apegados aos gostos sensíveis, costumamos buscar "as consolações de Deus, porém não a Deus. Isto é imperfeição. E Nosso Senhor, às vezes, purifica as almas que ama, dando-lhes securas. E só quando já não lhes importa sentir ou não o fervor sensível, então as regala e consola. Este é o maior sofrimento porque é da alma. Ela se vê abandonada às suas forças, separada de Deus a quem tanto ama, e cercada de tentações, cheia de fraquezas. Como será este sofrimento que Nosso Senhor, que não se queixou durante toda a sua paixão, ao ver-se abandonado por Deus o chamou com grande angústia: Deus meu, por que me abandonastes?

SINTO SEDE DO INFINITO

Estamos passando umas férias muito tranquilas e felizes . Pude continuar os mesmos exercícios de piedade que faço no colégio.
Cada dia penso mais no Carmelo e desejo mais ardentemente ir fechar-me naquele pedacinho do céu. Agora que tenho de tratar com gente do mundo, vi que não existe felicidade no mundo e sempre o seu trato deixa-me um vazio que o enche por completo Nosso Senhor.
Tudo que vejo leva-me a Deus. O mar em sua imensidade me faz pensar em Deus, em sua infinita grandeza. Sinto então sede do infinito.
Quando penso que quando for carmelita terei de abandonar tudo isto, digo a Nosso Senhor que toda a beleza, tudo que é grande o encontro nele. Pelo contrário, no mundo tudo é pequeno, passeigeiro e eu nada quero, senão a Jesus.
Estou lendo a vida de Sta. Teresa. Quanto me ensina! Quantos horizontes me descobre! (Algarrobo, 1 .0-2-1918).

2 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

GANHAMOS PRÊMIOS

Saímos dia 20 do colégio. As duas fizemos ótimos exames e ganhamos prêmios. Lucho ganhou todos os prêmios de sua classe. Papaizinho, lembramos de você na proclamação dos prêmios da Universidade, pois teria se alegrado vendo-o tão premiado, já que um pai se alegra com o êxito de seus filhos.
Dia 25 fomos à apresentação no ginásio da Escola Militar e foi admiravelmente bem apresentada. Apresentaram um grupo de cavalaria que fez vários exercícios de salto e também com a lança.
Fizeram sem nenhum erro. Outra turma apresentou ginástica. Formaram uma figura. Saltaram dois metros. Por último cantaram um hino muita belo.
Preparamo-nos para descansar em Algarrobo. Disseram-nos que há bons cavalos. Só sentimos que você não vá conosco. E já sabe, papaizinho, não somos felizes quando você não está.
Como vão seus trabalhos? Não deixo de pedir a Nosso Senhor que recompense seus perpétuos sacrifícios. Venha logo. Sentimos sua falta (Santiago, 27-12-19 17).

1 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

ESCOLHIDA PARA VITIMA

Estou enferma. Não posso comer nada. Jejuo. Que bom é Jesus que me dá a sua Cruz! Sou feliz; assim mostro-lhe meu amor. Estou só. Não comungo, porém, estou na cruz, e nela está Jesus Cristo. Vivo pois em permanente comunhão.
Em todas as minhas ações, tenho presente. o fim da carmelita; os pecadores, os sacerdotes. Cada dia que passa sinto a nostalgia desse querido Carmelo, e ardo em desejo de ver-me encerrada por Jesus nesse pombalzinho para ser inteiramente de Jesus (Santiago, 8-9-1917).
16 de novembro. Jesus me repreendeu por não acudir como antes em minhas dúvidas e sofrimentos ao seu Coração. Abriu-me seu Coração e mostrou-me que, por minhas orações, tinha aí escrito o nome de meu pai. Disse-me que me resignasse a não ver o fruto delas, mas que alcançaria tudo. Que me tinha escolhido para ser vítima. Que subisse com ele ao Calvário. Que empreendêssemos juntos a conquista das almas. Ele, como capitão, e eu, como solda­do. Nossa arma, a cruz. A divisa, o amor. Que sofresse com alegria, com amor. Que seria carmelita: que não desconfiasse.
21 de novembro. Deram-me a notícia de que talvez não vamos veranear. Peço à Virgem que meu pai se confesse, que volte a paz à família. Eu me sinto cada dia pior. Já não posso mais. Sinto cansaço: uma dor de cabeça que me faz ver tudo de diversas cores.
Meu Deus, faça-se a tua vontade e não a minha!

EU ME EMBRIAGAREI DE TEU AMOR

Morrer, que coisa há mais ideal? Morrer, viver em Deus por uma eternidade, gozar em Deus. Pode haver felicidade maior? Jesus querido, cada vez que me sinto mal, sinto saudades de ti, desse céu onde não te ofenderei mais, onde me embriagarei de teu amor, onde serei uma contigo.
30 de novembro. Madre Esquerdo tomou a repetir que não encontrava em mim nem vocação, nem saúde para carmelita; Enfim, entrego tudo nas mãos de meu Jesus. Isto é tão fácil: abandonar-se a Jesus.
3 de dezembro. Vejo o amor que tenho ainda às vaidades: em arrumar-me, em apresentar-me bem.
Confessei-me. Deu-me permissão para renovar meu voto. Perguntou-me se estava disposta a sofrer no Carmelo desolações, dúvidas, securas etc. Eu lhe respondi que sim. Ainda agora as peço a Nosso Senhor.
10 de dezembro. Hoje, graças a Deus, não me desculpei quando me repreenderam. Jesus ajudou-me muito. Manifestou-se uma dor nas costas de maneira terrível. Doem-me a espinha dorsal e o cérebro. Oh! Jesus, quando me será dado viver em ti! Cumpra-se a tua vontade.

MUNDO CHEIO DE REDES

14 de dezembro. Saio do colégio. Sofro muito e quase não posso chorar. Só Jesus sabe o quanto sofro! Deixar para sempre este lugar onde passei horas tão felizes, onde se vive em Nazaré, pois vive-se com ele, sem nada perigoso para a nossa inocência, onde nos ensinam a virtude! Vou deixar tudo para entrar num mundo cheio de redes. Tenho medo que as vaidades me prendam.
Minha Mãe, sê tu minha Mãe. Lembra-te que me dei a ti.
Guarda-me pura. Coloco-me em teus braços maternais para que tu me coloques nos de Jesus. Abandono-me a ele. Que se faça a sua santa vontade.

31 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

ESPESSAS TREVAS

17 de outubro. Já não prefiro sentir fervor ou não senti-lo.
Abandono-me ao que Jesus quiser. Ofereci-me a ele como vítima.
Quero ser crucificada.
Jesus meu, sou toda tua. Entrego-me por completo à tua divina vontade. Dá-me a cruz, porém dá-me força para levá-la. Não importa que me dês o abandono do Calvário ou o gozo de Nazaré.
Só quero ver-te contente, a ti. Nada me importa não sentir, estar insensível como uma pedra; porque sei que tu sabes que te amo.
Dá-me a cruz. Quero sofrer por ti; porém, ensina-me a sofrer amando, com alegria, com humildade.
Senhor, se a ti agrada, que aumentem mais as trevas de minha alma. Que eu não te veja. Não me importará, porque quero cumprir a tua vontade. Quero passar a minha vida sofrendo para reparar os meus pecados e os dos pecadores; para que se santifiquem os sacerdotes. Não quero ser feliz, mas que tu sejas feliz.
Quero ser soldado para que possa dispor a cada instante de minha vontade e gostos. Quero ser ardente, forte, generosa no teu serviço, Senhor, Esposo de minha alma.

SOU MUITO ORGULHOSA

18 de outubro. Hoje tive de vencer-me muito. Tive raiva, so­frimento por desobedecer e fazer minha vontade. Aborreci-me e pensei que não tinha vocação. Que era uma ilusão, só uma ideia.
Que me desesperaria depois; enfim, tantas coisas.
Além disso, uma madre distribuiu doces para nós. E como me deu um pequeno, deu-me raiva e não o aceitei. E depois não aceitei o outro que me deu. Jesus querido, que dizes deste soldado tão covarde? Perdoa-me. De outra vez serei melhor. Lanço-me nesse imenso oceano de amor de teu coração para assim abismar minha pequenez na grandeza de tua misericórdia.
Noto que sou muito orgulhosa. Porém, dou graças a Deus, que me iluminou com sua graça. Quero ser humilde, esquecer-me de mim mesma inteiramente.

SEREI SERVA

29 de outubro. Amanhã é dia de recreio para as irmãzinhas.
Nós, as Filhas de Maria, vamos substituí-las fazendo o ofício de Marta. Amanhã vou servir, ser servente, serva, é o que me compete.
Hoje não comunguei. Que pena tenho! Jesus me faz falta.
30 de outubro. Servi como irmã o dia inteiro. Gostei. Parecia-me servir a Jesus.
Jesus- fez-me ver a necessidade que tem a carmelita de viver sempre ao pé da cruz para aprender ali a amar e sofrer.
Tenho pena, pois sempre que peço dinheiro ao meu pai, ele me diz que não tem. Que irá fazer quando tiver de me dar o dote para eu ser carmelita? Creio que não vai querer me deixar ir. Vejo tanta hostilidade contra elas . . . Jesus meu, confio em ti. És todo-poderoso. Vem roubar-me e que seja logo!

30 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SEMPRE LEMBRAMOS DE VOCÊ

Sempre lembramos de você. Não imagina o quanto sentimos sua falta, pois seríamos duplamente felizes se você, paizinho, estivesse aqui.
Fizemos muitos passeios. Domingo fomos à fazenda do Sr. Ricardo Salas com cinco meninas. Foi muito divertido. Têm uma magnífica quadra de tênis. Divertimo-nos o dia inteiro.
Amanhã parece que veremos levantar voo um aeroplano. De boa vontade subiria para aterrissar em São Xavier e ir dar-lhe um beijo e um abraço muito apertado.
Mamãe está muito bem; recordando-o muito; pois você faz muita, muitíssima falta. Esperamos tê-lo bem depressa entre nós.
Venha logo, paizinho, para passarmos pelo menos dois dias com você, já que nós aproveitamos tão pouco quando você vem, por estarmos internas (Santiago, 29-9-19 17) .

EM PERÍODO DE PROVAS

2 de outubro. Passaram as férias do 17. Que feliz me encontro de novo no colégio, sem haver dado o meu coração a ninguém, todo de Jesus! Que prazer sinto ao viver outra vez na casa de Jesus! Tenho-o tão perto. A cada instante voa meu espírito para os do tabernáculo.
Contudo, faz muito tempo que não sei o que é fervor. Ouço a voz de Jesus; mas não o vejo. Não sinto seu amor. Estou fria, insensível. Isto me serve para ver meu nada, minha miséria.
Estou num período de provas. Nosso Senhor quer que busque somente a ele, sem buscar consolo de· nenhuma espécie na oração.
Porém, eu lhe dou graças, pois assim dou-me a ele sem mistura de interesse, não pelas consolações, mas porque o amo. Contudo, te­nho momentos de desalento, pois parece-me que Nosso Senhor me envia isto por causa de minhas ingratidões. Mas quero que se cumpra a vontade de Deus. Se ele quer e isto lhe agrada, quero passar minha vida neste estado de aridez pelos pecadores e sacerdotes (Santiago, 8-1 1-1917).

NÃO SEI O QUE TENHO

3-10 de outubro. Estive muito dissipada. Que fazer com tanta miséria? Jesus meu, minha Mãe, compadecei-vos de mim; livrai-me da tibieza! Estou enferma na alma. Não sei o que tenho. Vou fazer retiro. Vou indagar as causas da minha tibieza. Serei melhor.
Jesus me pede que seja santa. Que faça com perfeição o meu dever. Que o dever - disse-me - é a cruz. E na cruz está Jesus; quero ser crucificada. Disse-me que salvasse almas. Eu o prometi.
Estive muito unida a Nosso Senhor. Contudo, fervor eu não sinto. Estou muito esquisita. Tenho vontade de me portar mal, me enraivecer, enfim, chorar. Creio que tudo provém do meu estado físico, estou muito cansada. Jesus me disse que não me preocupe porque disto não tenho culpa.

29 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SINTO-ME MORRER

Morro, sinto-me morrer. Ontem já não podia mais de dor no peito. Estava sufocando. Não podia respirar. Jesus meu, dou-me a ti. Ofereço-te minha vida por meus pecados e pelos pecadores.
Minha Mãe, oferece-me como hóstia!
Estou em casa. Tive de vir porque não podia mais. Amanhã vou comungar. Quanto o desejo. Jesus meu, sou tão má! Necessito de ti para ser boa. Vem, Amor. Vem depressa e te darei meu co­ração para receber a meu Jesus.
11 de setembro. Era aniversário de minha primeira comunhão, fui comungar. Foi ideal! Faz sete anos uniu-se minha alma com Jesus. Que efusão foi esse primeiro encontro! Jesus pela primeira vez falou à minha alma. Que doce era para mim aquela melodia, que pela primeira vez ouvi.

SOFRER, AMAR E ORAR

Dia 5 de setembro de 1917, de Santiago, escreveu sua primeira carta a madre Angélica, priora das Carmelitas de Los Andes.
Entre outras coisas, diz: A senhora, Madre, já sabe por Chela o carinho e estima que tenho pelas Carmelitas e o desejo que tenho de estar algum dia entre elas. Mas tropeço em muitas dificuldades. A principal é minha própria saúde. Entretanto, já encomendei este assunto à Santíssima Virgem e creio que ela há de abrir-me as portas desse bendito abrigo, se for vontade de Deus, pois, mais que tudo, só desejo isto.
Nunca conheci pessoalmente nenhuma carmelita. Só li a vida de Ir. Teresa e de Isabel da Trindade. Desde então compreendi que o Carmelo é um pedacinho do céu e que a esse monte santo me chamava Nosso Senhor.
Sei que, se for ao Carmelo, será para sofrer. Mas o sofrimento não me é desconhecido. Nele encontro minha alegria, pois na cruz encontra-se Jesus e ele é amor. E que importa sofrer quando se ama? A vida de uma carmelita é sofrer, amar e orar. Eis aí todo o meu ideal. Meu Jesus ensinou-me desde criança estas três coisas.

TUDO ME ABORRECE E CANSA

13. Ontem vim visitar Rebeca, e madre Esquerdo conseguiu que me deixassem ficar. Eu estava feliz pois, tinha ânsias de vir ao colégio.
Não sei o que acontece comigo. É uma tristeza interior tão grande que me sinto como que isolada de todo mundo. Enfim, ontem, graças a Deus, pude meditar e senti devoção e amor, o que há muito tempo não me dava o Senhor nem mesmo na comunhão.
Estes dois meses de sofrimentos são dois meses de céu. Tudo ofereci a Jesus e lhe pedi que me desse a sua cruz.
Tirei como resolução a de viver muito alegre exteriormente.
Procurei madre Esquerdo. Recomendou-me que fizesse tudo por amor. Que buscasse não os consolos de Deus mas o Deus das consolações.

28 de agosto de 2021

Programação de Missas do Apostolado do IBP em Curitiba

Na Capela São José de Chambéry:

⛪️ Domingo, 28/08
XIV Domingo pós Pentecostes

08h30, Missa Rezada
10h00, Missa Cantada
19h00, Missa Rezada
————————————————————

Na Casa do Padre: Olavo Bilac, 76

⛪️ 2ª feira, 29/08
07h30, Missa Rezada

⛪️ 3ª feira, 30/08
07h30, Missa Rezada

⛪️ 4ª feira, 01/09
07h30, Missa Rezada
——————————————————

Na Capela São José de Chambéry:

⛪️ 5ª feira, 02/09
18h30, Exposição do Santíssimo
19h30, Missa Rezada

⛪️ 6ª feira, 03/09
Primeira Sexta-feira do mês
18h30, Hora Santa reparadora
19h30, Missa Rezada

⛪️ Sábado, 04/09
08h30, Atendimento de Confissões
09h00, Missa Rezada

⛪️ Domingo, 05/09
XV  Domingo depois de Pentecostes

08h30, Missa Rezada
10h00, Missa Cantada
19h00, Missa Rezada

Deus abençoe!
Pe. Thiago, IBP

27 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

QUERO ENTRAR AOS 18 ANOS

Cheia Montes foi a Los Andes e mostrou suas cadernetas onde eu havia escrito. Então perguntaram-lhe muitos por mim. E madre Angélica mandou-me dizer que lhe escreva. Vou escrever-lhe.
Quinta-feira, 16. Jesus meu, perdoa-me. Sou tão orgulhosa que não sei aceitar com humildade a mais ligeira humilhação. Jesus querido, ensina-me a humildade e envia-me humilhações. Quero ser pobre, humilde, obediente, pura como era minha Mãe e como tu, Jesus. Faze de tua casinha um palácio, um céu.
Segunda-feira, 20. Sinto-me insensível, fria como o mármore, sem poder meditar e nem mesmo comungar com devoção. Jesus meu, ofereço-te isto por meus pecados e pelos pecadores e pelo Santo Padre e pelos sacerdotes. Uno-me ao teu abandono no Calvário.
Terça-feira, 22. Recebi carta do Pe. Colom. Fala-me da escolha do mosteiro. Por outro lado, dizem-me que não pense, pois falta muito. Mas só falta um ano. Quero entrar para o convento aos dezoito anos.

SERVIU PARA HUMILHAR-ME

Estávamos em instrução, quando uma abelha se aproximou de mim. Sem saber como, dei um salto e corri para fora da sala.
Depois tive vergonha de não ter sabido vencer-me, ofereci a humilhação a Deus, e entrei. Madre Esquerdo olhou-me tão firme e profundamente que eu teria preferido que a terra me tragasse. Depois fui pedir perdão à Madre. Confesso que me custou, porém dirigi-me a minha Mãe, e ela, como sempre, me ajudou. Dou graças a Deus por este acontecimento, pois não o ofendi, mas serviu para humilhar-me.
Fui me confessar. Disse-me o Padre que não me inquietasse com as distrações, que serviam para humilhar-me.
Quanto me custa acostumar-me a me colocar. por último em tudo. Jesus me disse que ele estava sempre em último lugar!
27-28 de agosto. Sinto a cada instante fadigas. - Várias vezes tive de pôr toda a minha vontade para não me deixar levar pela tris­teza. Ontem tirei este propósito da meditação: mostrar-me alegre todo o dia. E o cumpri. Quase não podia mexer-me. Creio que é por causa da fraqueza em que estou: uma dor de cabeça constante.
Além disso, a dor nas costas. Sinto-me cada dia pior, -Não tenho ânimo para nada. Porém é a vontade de Deus. Que se faça como ele quiser. Minha Mãe, tudo coloquei em vossas mãos.

PRIVAM-ME DO CÉU

Hoje, 30 de agosto, fui à comunhão. Jesus meu, tu és minha vida. Sem ti eu morro. Sem ti desfaleço.
Hoje me senti mal. As fadigas não me deixam. Que fazer, se é a vontade de Deus? Olhar meu crucifixo dá-me forças. Vejo tudo escuro. Só venço porque Jesus está dentro de minha alma.
Ele me ilumina. Quando comungo sinto ânimo. Jesus me dá vida, não só a da alma, mas a do corpo. E tiram-me a comunhão. Privam-me do céu. Jesus querido, que se faça a tua vontade!
10 de setembro. Enferma sempre. Apresenta-se triste o meu porvir, não o quero olhar. Disseram que me iam tirar do colégio e teria de debutar no próximo ano. Causa-me horror. E ver, por outro lado; que não poderei ser carmelita por causa de minha saúde; Tudo isto me faz exclamar: Jesus meu, se é possível, que se afaste de mim este cálice; mas não se faça minha vontade senão a tua!

26 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

O AMOR É CÉU

Que espanto causará à alma ver que desfigurou a imagem de seu Criador. Que confusão haverá, quando Jesus Cristo se apre­sentar! Lembra-te, Jesus, de que toda a minha vida só desejei ser tua. Não sei por que não me causa tanto espanto o Juízo, pois não acredito que as almas que tomaram e elegeram a Jesus por dono de seu coração sejam rechaçadas. Um esposo tem compaixão de sua esposa. Minha Mãe, "Spes unica", quando eu comparecer diante de meu Juiz, dize-lhe que sou tua filhinha!
O inferno me gela. Só uma coisa me causa mais horror do que tudo e é o que disse Sta. Teresa: "Os condenados não amarão".
Oh! O coração humano como sofrerá então, pois Deus o criou para ele! Odiar a Deus é o maior suplício. Jesus querido, acabo de ver o que é o inferno, o terrível que é. Porém te digo que preferiria estar ali por uma eternidade, contanto que uma alma, ainda que seja tão miserável quanto a minha, te ame. Sim, minha Mãe, repete-o a Jesus a cada batida de meu coração. Ainda que eu sei que já não seria o inferno, senão céu, pois o amor é céu.

VOCÊ NÃO COMETEU PECADO MORTAL

Fui ingrata. Perdão, Jesus querido! Sou indigna de teus celestiais olhares. Dá-me só um refúgio em teu divino Coração. Ali quero viver purificando-me com teu fogo abrasador.
Confessei-me dos pecados de toda a minha vida. Que confusão ao ver-me tão pecadora! Quase acreditei que ia morrer de dor.
E qual seria minha alegria ao ouvir que o Padre me dizia: "Você, pela graça de Deus, não teve a desgraça de cometer nenhum pecado mortal. Você se expôs, e Deus com amor a preservou. Dê-lhe graças de coração".
Fiquei muda. Como expressar o que passou por minha alma?
Naquele instante sentia amor. E esse amor era puro, virginal. Oh! que grande é a misericórdia de Deus para esta sua miserável esposa!
Quantas graças à minha Mãe!

QUEM AMA SE SACRIFICA

14 de agosto. Sinto tristeza, abatimento. Trato de reprimi-la.
Estou contente por outra parte, pois me encarregaram de uma turma de recreio. Estou feliz: é uma prova de confiança.
Sinto tão difíceis de cumprir os meus propósito. Porém Jesus me animou colocando diante de meus olhos seu rosto desprezado, humilhado. Peço-lhe que me dê forças. Quero ser sempre a última em tudo, ocupar o último lugar, servir os outros, sacrificar-me sempre e em tudo para unir-me Àquele que se fez servo sendo Deus, porque nos amava.
Creio que no amor está a santidade. Quero ser santa; logo me entregarei ao amor, já que ele purifica e serve para expiar. Quem ama não tem outra vontade senão a do Amado. Logo eu quero fazer a vontade de Jesus. Quem ama se sacrifica. Eu quero sacrificar-me em tudo. Não me quero dar nenhum gosto. Quero imolar-me constantemente para parecer-me com aquele que sofre por mim e me ama. O amor obedece sem réplica. O amor é fiel. O amor não vaçila. O amor é o laço de união de duas almas. Pelo amor me fundirei ern Jesus.

25 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

UMA VIDA NO CÉU

Estou lendo Isabel da Trindade. Encanta-me. Minha alma é parecida com a sua; ela foi santa, eu a imitarei e serei santa. Quero viver com Jesus no íntimo de minha alma. Quero viver uma vida de céu - como diz Isabel - sendo um louvor de glória:
- vivendo em comunhão íntima com o Esposo de minha alma, entregando-me a ele sem reservas;
- cumprindo em tudo a vontade de Deus. Cumprindo a cada instante com alegria o meu dever;
- vivendo em silêncio. Assim o Espírito Santo tirará sons harmoniosos, e o Pai, junto com o Espírito, formará a imagem do Verbo;
- sofrendo. Já que Cristo sofreu toda a sua vida, e foi louvor de glória de seu Pai, sofrerei com alegria por meus pecados e pelos pecadores;
- vivendo uma vida de fé. Olhando tudo sob o ponto de vista sobrenatural. Refletindo a Cristo como num cristal em nossas ações;
- vivendo em contínua ação de graças. Que nossos pensamentos, desejos e atos sejam uma ação perpétua de graças;
- vivendo em contínua adoração. E já que não podemos estar constantemente em oração, renovar a intenção.

MINHA PAIXÃO DOMINANTE

8 de agosto. Hoje entro em retiro. Jesus me disse que vai fazer uma revisão em sua casinha para limpá-la.
Senhor, não sei como pagar-te tantos benefícios que me concedes.
Desde agora quero ser-te fiel. Quero que todas as minhas ações sejam segundo tua vontade.
Tenho confusão e vergonha por tantos pecados que cometi.
Deus meu, perdão! E pensar que o germe de todos os pecados é a soberba, e essa é a minha paixão dominante . . . Que sou eu, Senhor, senão miséria, nada criminoso, que me levantei contra meu Criador? Que tenho eu, Senhor, que tu não me tenhas dado?
Compreendi que o que mais me aparta de Deus é meu orgulho.
Desde hoje quero e me proponho ser humilde. Sem humildade, as demais virtudes são hipocrisia; as graças recebidas de Deus tornam-se dano e ruína.
Quão diferentes são as coisas olhadas sob a luz da morte.
Aparecem em toda a sua realidade.

24 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SOU MUITO ORGULHOSA

Quarta-feira, 4. Sacrifiquei minha visita ao Santíssimo para distribuir os livros. Custou-me.
5 de julho. Não fui perfeita: na aula de francês conversei. Entretanto, me venci bastante. Amanhã farei um dia de retiro.
Necessito muito. Uno-me a Nosso Senhor, porém não o imito.
Ainda sou muito orgulhosa e me proporei abater até os últimos germes do amor-próprio. Não sei sobre o que se pode basear, pois sou um nada criminoso. Aprecio a estima das criaturas. Porém, para que servirá se Deus não me estima?
Sexta-feira, 10. Tratei de fazer o retiro. Tirei proveito da meditação, pois meditei sobre Deus e, quando penso nele, fico mergulhada no amor. Vejo sua grandeza infinita e minha extrema miséria.
Conversei com Jesus e deu-me a entender o nada das apreciações humanas. Um dia a acham boa; percebem amanhã um defeito, imediatamente a acham má. Para que serve que as criaturas a amem, a encham de honras, se Deus a despreza?

QUASE ME ABORRECI

Terça-feira, 10. As meninas da classe brincaram tanto comigo, que quase chorei. Além disso, estava com dor de cabeça e dor nas costas, que não sabia o que fazer. Não respondi porque não queria faltar ao silêncio. Ofereci ao menino Jesus.
Depois, no recreio, disse-lhes que haviam ultrapassado os limites, que não brincassem assim. Então, quase me aborreci, porém depois ficamos de bem e à tarde mandaram-me um santo. Custa-me aguentar brincadeiras. Fico com raiva. E as meninas dizem que tenho bom caráter, e é porque não me aborreço e brinco também, que elas as fazem. Sinto que cada dia me querem mais, e isto é porque lhes dou bom exemplo.

FOME DE JESUS

11 de julho. Estou de cama constipada. Não falei bastante com Jesus. Sinto-o dentro de minha alma. Esta manhã tinha fome de Jesus, pois não pude comungar e desde que vim de Chacabuco, só um dia deixei de comungar. São 149 comunhões.
13 de julho. Hoje completei 17 anos. Um ano a menos de vida. Um ano a menos de distância da morte, da união eterna com Deus. Um ano só para chegar ao porto do Cannelo. Oh! Quando me abrirás tuas portas sagradas!
Quantas graças me concedeu o Senhor e quão mal lhe pago.
Meu Jesus, perdoe-me minhas ingratidões.

FELIZ PORQUE SOFRIA

15 de julho. Sofri bastante ontem. Deram-me uns remédios que me provocaram dores, porém não me queixava. Estava feliz porque sofria. Sentia como se nas costas me enfiassem alfinetes, porém lembrava-me de meu bom Jesus, quando o açoitavam, e me sentia muito feliz sem manifestar minha dor.
Rebeca me disse que eu ia perder pontos, que iam examinar o meu caso e passar outra na minha frente. No princípio me preo­cupei, mas depois pensei que a Virgem me havia concedido os pontos e as classificações e agora era vontade de Deus que eu ficasse doente; que minha mãe estaria mais contente vendo-me re­signada. Fiquei contente e disse que esta era a vontade de Deus.
Disse que eu pedira à Virgem o prêmio e esperava com certeza que ela mo daria. E se não o deu, dar-me-ia o prêmio eterno, pois estava cumprindo o meu dever.
Hoje vou mostrar-me alegre quando me aplicarem os remêdios. Por Jesus!

23 de agosto de 2021

THESOURO DE PACIÊNCIA

DA CRUCIFIXÃO DO SENHOR


 MEDITAÇÃO III 

 Encravado o Senhor na cruz, o levantaram ao alto, e ficou nu e exposto em público, diante de um concurso imenso. Pondera, ó alma minha, quanto seria o pejo do Senhor, a mofa do povo, o sentimento da Virgem Mãe em semelhante ocasião; e depois de teres ponderado estas coisas, faze reflexão sobre ti. Se te vês despida dos bens do mundo, da pompa e luzimento, que talvez noutro tempo terias: se te vês afrontada, injuriada e feita ludibrio de todos, consola-te com a companhia que te faz o mesmo Rei da Glória. Muito maior pejo terás algum dia, se te vires na presença de Deus, despida de boas obras, e somente coberta com a confusão de teus pecados. Pelo contrario, essa confusão, que padeces agora por Jesus Cristo, levada por seu amor te servirá de vestidura preciosa, que te adorne na presença de Deus e dos seus anjos. Os opróbrios de Jesus Cristo converteram-se  em púrpura magnifica de Rei Supremo: deixa-te ser companheiro do Senhor nesta confusão que padeces e nestes desprezos, que também o serás na sua honra, e serás coroada no céu com coroa de glória imensa.

JACULATORIA - 

Ó meu Jesus, pelo pejo que sentistes, quando vos vistes nu, compadecei-vos do pejo que me cobrirá diante de vossa presença. 







22 de agosto de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SÓ DEUS NÃO MUDA

Propus não nomear meu eu não falar de mim. Custa bastante mas o farei por Jesus! Todas as noites dou-lhe um beijo no qual lhe envio o meu ser.
Hoje procurarei fazer todo o bem possível. Amanhã é meu dia.
Talvez seja o último que passe no mundo. Oxalá que seja assim.
24 de junho. Sofri muito porque minha mãe só veio me abraçar às 10h30m depois de muitas. Todo o dia sofri porque desejava que me agradassem mais por ser meu dia. Os corações dos homens um dia amam e no outro são indiferentes. Só Deus não muda.

PENSARÁ QUE SOU MENTIROSA

A propósito do tumulto que se armou no colégio por ter falado da falta de uma religiosa.
26 de junho. Sofri. Quase não me atrevo a olhar para a madre Esquerdo porque penso que me considera uma mentirosa. Que fazer?
Eu o fiz porque tinha fundamento. Eu vi o que afirmei. Que Deus perdoe essa pessoa. Rezei por ela para que não caia mais. Ontem era tanto meu sofrimento que cheguei a ficar doente. De noite quase agonizava porém Jesus e minha Mãe me consolavam. Sofro tudo por ele. Foi tanta a impressão de ver faltar assim que duvidei da minha vocação porque pensei que tudo era hipocrisia.
Mas Jesus me disse que não tinha o que estranhar pois um dos apóstolos havia caído. Que rogasse por ela.
Disseram-me tantas coisas que acreditei haver perdido tudo.
Ainda me disseram coisas que madre Esquerdo pensava de mim.
Sofri muito, pois foi para evitar que uma monja desse mau exemplo que falei. Que se faça a vontade de Deus. Sou aquela que sou diante de Deus. Que importam as criaturas?

É TÃO BOM DAR

27 de junho. Fui a primeira em história. Estou feliz. Eu que jamais tinha prêmios, agora a Virgem mos dá. Eu os peço para dar gosto ao meu papai e mamãe e sobretudo porque será o último ano e quero deixar boa recordação.
28 de junho. Hoje soube da madre Rios. Mandou-nos recados.
Quero tanto bem a essa Madre que preciso me vencer para não amá-la tanto e não lhe escrever.
Hoje, graças a Deus, foi um dia perfeito. Eu me venci bastante, sobretudo porque estou muito esquisita. Tenho vontade de chorar, de me enraivecer, falar, gritar.
30 de junho. À noite chorei ao vê-lo na cruz, pregado por meu amor, e como ele é bom e como eu tenho sido ingrata.
Amanhã vou exercer meu apostolado.
Juntei 30 pesos para meu dia. Vou comprar sapatos para Juanito. O mais ficará com minha mamãe para dar aos pobres. É tão bom dar! Juanito era um menino muito pobre a quem ela sempre ajudou.
Inclusive, chegou a rifar seu relógio para obter fundos a fim de socorrê-lo.

O AMOR-PRÓPRIO QUE NUTRO

3 de julho. Saímos ontem. Passamos o dia com as meninas.
E nos divertimos muito, ainda que eu sofresse por ver que fazem brincadeiras com a Rebeca, e a Lúcia sai com ela, e comigo nada.
Gosto que a agradem; mas gostaria que me agradassem também.
Além disso a Lúcia convidou Rebeca para visitar as monjas, e a mim nada. E eu tinha muita vontade, mas me sacrifiquei, pois Jesus o pediu. Toquei piano porque me pediram.
Todo o sofrimento foi causado pelo amor-próprio que alimento.
Proponho matá-lo pela raiz. Que Jesus e Maria me ajudem.