Busca no Blog

Carregando...

25 de julho de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth.

Conferência XVI


Parte 5/10


Considerai, enfim, a advertência da Sagrada Escritura: "Acaricia o teu filho, e ele te fará tremer... Não lhe dê toda a liberdade na juventude, e não feches os olhos às loucuras" (Ecli 30, 9-11).
Mas se o filho se obstina, e não escuta a voz da sabedoria, então lembrai-vos do provérbio: "Os navios e as crianças são governados por detrás" e ainda deste outro provérbio: "A pancada infligida a propósito é muitas vezes mais eficaz para o filho que uma centena de sermões"; e enfim este terceiro provérbio: "É melhor que o filho na juventude chore por causa dos pais do que os pais chorarem por causa dos filhos, quando eles crescerem".
Justamente nesta questão, a Sagrada Escritura não é tão sentimental como certos métodos pedagógicos atuais. Como a Sagrada Escritura sabe que a estultícia é inerente ao coração da criança (Prov 22, 15), ela diz claramente aos pais: "Aquele que ama seu filho não lhe poupa a vara" (Ecli 30, 1). O cavalo indômito torna-se intratável; o filho entregue a si mesmo torna-se insolente" (Ecli 30, 8); "Aquele que poupa a vara odeia o seu filho; se lhe bates com a vara livrarás sua alma da região dos mortos" (Prov 23, 13-14). "A vara e a correção dão a sabedoria, mas o filho abandonado aos seus caprichos envergonha a sua mãe" (Prov 29, 15).

24 de julho de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 152

CONTEMPLA-SE AO ESPELHO PELA ÚLTIMA VEZ

Na cidade de Florença vivia uma jovem. Que vaidosa que era! Só pensava em pentear a sua formosa cabeleira, acariciar e aformosear a sua carne. Diante do espelho, diariamente passava longas horas contemplando-se e estudando o grave problema de encontrar um meio de fazer sobressair ainda mais a sua graça e formosura...
Mas, por detrás do espelho, a enfermidade a espreitava... Meteu-lhe as garras e prostrou-a no leito de dores. A febre consumia todos os seus ossos e, dentro de poucos dias, de toda a sua beleza não restava mais que um rosto lívido e um punhado de ossos descarnados.
E por detrás da enfermidade apresentou-se, com sua terrível caveira e com seus ossos esqueléticos, a morte. Aquela jovem não contava mais de vinte anos e, no entanto, tinha de despedir-se da vida e de todas as coisas mundanas que tanto amava.
Disseram-lhe com delicadas palavras que o seu estado era muito grave e que, por isso, devia preparar-se para comparecer diante de Deus... A vaidosa jovem lançou um grito de dor. Olhou para trás e viu que perdera tristemente a vida esquecendo-se de Deus... Olhou para frente e compreendeu que estava a dois passos do Juiz dos céus e da terra, a quem terá de dar contas de todas as suas vaidades... Estava as portas do céu ou do inferno!
A consciência dizia-lhe aos gritos que muito tinha que temer por sua salvação eterna...
A febre converteu-lhe a cabeça numa fornalha de fogo. Saltou da cama, abriu seus cofres e seus armários, tirou os vestidos mais preciosos e as jóias mais ricas e começou a vestir-se e a enfeitar-se como naquelas noites em que se preparava para ir aos bailes e teatros... Como louca, e sustentada pela mesma febre, penteou-se e arranjou-se com toda a elegância... Contemplou-se ao espelho e pôs-se a exclamar: “Como sou formosa! como sou formosa!... E queriam enterrar-me a mim, a mulher mais formosa do mundo! Não, não... quero viver, quero viver... Venham minhas jóias, minhas pérolas, meus vestidos, meus anéis, minhas pulseiras, meus colares...”.
E fora de si, arrojava-se a todos os seus cofres, armários e baús, e tirava os seus tesouros e apertava-os contra o coração e beijava-os com loucura...
Sim, esteva louca! E louca continuou por alguns dias, e louca morreu... E metida num caixão, e vestida com uma pobre mortalha, levaram-na á sepultura.
Eis ai a verdade: A vaidade humana tem que deixar todos os seus tesouros nas garras frias e cruéis da morte.

Missas Tridentinas


23 de julho de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth.

Conferência XVI


QUE EDUCAÇÃO SE DEVE DAR AOS FILHOS?


Parte 4/10


Não é menos importante saber quais são as virtudes que particularmente se devem ensinar aos filhos.
A - Primeiramente, mencionarei a obediência absoluta. "Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, porque isto é justo" (Ef 6, 1), tal é a advertência dirigida por São Paulo aos filhos. Logo depois, contudo, ele fala nestes termos aos pais de família: "E vós, pais, não exaspereis vossos filhos, mas educai-os formando-os, instruindo-os no Senhor" (Ef 6, 4).
a - Educar os filhos formando-os, isto é, habituá-los a obedecer sem nada dizer, acostumá-los à modéstia e à renúncia. Outrora, era natural que em toda a família os filhos obedecessem com presteza às ordens de seus pais.
Mas este princípio de educação foi abandonado, quando apareceu a moda do filho único, e os pais, então, começaram a obedecer a todos os caprichos deste pequeno tirano muito animado. Pois, é preciso reconhecer, ou bem o filho obedece ou bem ele manda; ou bem ele toma a palavra, ou bem se lhe dá a palavra.
Escutai somente um caso típico de um filho excessivamente animado.
Um destes filhos únicos chora, uma noite no pátio, junto ao poço, e batendo com o pé grita à sua preceptora: "Dai-me. Eu a quero".
Ante aquele barulho, a mãe abre a janela e pergunta: "Senhorita, que contraria o pequeno? Dai-lhe!"
"Mas, senhora, ainda mesmo que Ladislau sapateasse até amanhã cedo, eu não poderia dar-lhe". Esperai um pouco, e eu mesma vou fazê-lo", grita a senhora precipitando-se para junto de seu marido.
O marido corre à preceptora: "De que se trata? Por que não dais à criança o que ela pede? Minha mulher o ordena. Tomai cuidado, podeis partir no próximo mês".
A pobre jovem responde suavemente: "Que o senhor lhe dê, se puder. A lua brilha na superfície da água, e Ladislau bate o pé, pedindo que eu a tire da água, e lhe dê".
Que ser infeliz não será, quando crescer, um filho assim abominavelmente animado!
b - Mas que é preciso fazer se realmente o filho sapateia, chora, joga-se por terra, quando se lhe recusa alguma coisa?
Não é preciso dar-lhe o que pede mesmo neste caso. É preciso que se lhe ensine que, apesar da riqueza dos pais, há coisas no mundo às quais é preciso renunciar.
"Mas fico com pena do pobrezinho, quando ele chora tão aflito. É penoso contrariá-lo".
Se não olhais para o seu futuro, então é difícil contrariá-lo. Considerai, porém, que Herodes não soube recusar o pedido da jovem Herodíades, e mandou por sua causa matar São João Batista.
Considerai as palavras de Santo Agostinho: "Odeia o que ama de maneira má, e ama aquele que odeia bem".

22 de julho de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 151


O NOME DE JESUS

S. Bernardino de Sena foi um grande apóstolo e propagador da devoção do Nome de Jesus. Conta-se que, no fim de todos os sermões, costumava expor um quadro no qual estava gravado o nome de Jesus, e com esse meio de propaganda conseguía efeitos maravilhosos. Uma vez, numa praça de Bolonha, pregou contra o jogo de baralho com tamanho sucesso, que o abuso desse jogo foi extirpado. Ora, um artífice, que fabricava as cartas e com essa arte ganhava o seu sustento, ficou reduzido à miséria, pois ninguém mais lhe comprava baralhos. Que fazer? Apresentou-se ao pregador S. Bernardino e disse-lhe: “Padre, agora não terei mais com que viver; pensai vós em socorrer-me”. O Santo não se embaraçou. “Se não sabes pintar, outra coisa — disse-lhe — vai e pinta esta imagem, e verás que tudo vai bem”. E fazendo um círculo, desenhou nele o sol e no centro do sol o nome de Jesus. O artífice executou aquele trabalho com o máximo cuidado, e toda a gente corria , a comprar cópias daquela imagem. De sorte que, assim, o fabricante daquele novo gênero de cartas, além de cooperar para a propaganda do Nome de Jesus, fez ainda uma boa fortuna.

21 de julho de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth.

Conferência XVI


Parte 3/10


C - Em compensação a experiência quotidiana fornece-nos incessantemente exemplos da influência feliz da atitude dos pais na formação de seus filhos. Bastará talvez recordar os pais da pequena Teresa de Lisieux. Quando se lê, na vida desses dois esposos respeitáveis, como eles cuidavam seriamente de seus deveres conjugais, quando se lê, nas cartas da mãe de Santa Teresa do Menino Jesus, o seu amor generoso e sua submissão à vontade de Deus, exclama-se involuntariamente: "Sim, desse matrimônio devia nascer uma santa".
"Mas, como se pode hoje ser tão idealista? Hoje os tempos estão mudados. Hoje, temos atrás de nós a grande guerra, e ela tudo destruiu".
Assim se expressam alguns. Mas que sofisma! Atrás dos pais da pequena Teresa, havia também a guerra de 1870 e seus males. E pôr um filho no mundo, sempre foi um sofrimento, sempre foi um sacrifício em todos os tempos, em todas as épocas. E a aceitação desses sacrifícios depende da fé que os pais tiveram em Deus, e de seu amor por Ele.
Infeliz o pobre filho cujos pais perderam a piedade! Infeliz do pobre filho cujos pais não tem religião! Os olhos dos filhos são muito vivos e vêem tudo; aos dez anos, esta ainda escandalizado com a descrença dos pais; aos quinze, já se habituou, e aos vinte encontra nela uma desculpa para a sua vida de incredulidade e leviandade moral.
Pais, não o esqueçais nunca: A primeira tarefa do educador é o seu próprio exemplo. E somente educareis convenientemente vossos filhos, se fordes irrepreensíveis.

20 de julho de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 150

A INGRATIDÃO PARA COM DEUS

Conta o historiador César Cantu que certo rei da índia caiu num rio. Um servo fiel correu, lançou-se à torrente e, agarrando o rei pelos cabelos, salvou-o da morte certa.
Voltando a si, o rei quis saber quem e de que modo o salvara das águas. Levaram-lhe o servo fiel, e esperavam que o soberano lhe desse uma generosa recompensa. Mas não foi assim. O rei com ar severo perguntou-lhe: “Como tiveste a ousadia de por as mãos em teu rei?” E imediatamente mandou que o trucidassem. Essa monstruosa ingratidão causou horror. O castigo, porém, não tardou. Estando o rei, certo dia, embriagado, entrou num barco e outra vez naufragou. Os barqueiros bem o poderiam salvar, mas, recordando-se do servo trucidado, deixaram que o rei se afogasse. Fizeram mal, é certo; mas o mau rei teve o que merecia, porque fora ingrato e cruel para com aquele que lhe demonstrara tanto amor, livrando-o da morte.
Oh! quantos não há por ai que, escapando da morte eterna por meio do Sacramento da Penitencia, imitam aquele rei,

19 de julho de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth.

Conferência XVI 


O EXEMPLO DOS PAIS


Parte 2/10


A - Os jovens dançam conforme a melodia que cantarem os pais, diz com muita exatidão um provérbio germânico. As palavras boas ou más ouvidas pelos filhos não são apenas palavras que voam. O exemplo em casa dos pais sempre permanece. E o que vale a mais bela exortação ou mais grave advertência nos lábios do pai, que por sua conduta destrói o que verbalmente exige de seus filhos?
A Virgem Maria e São José não disseram ao Menino Jesus: "vá ao Templo", mas sim "vamos ao Templo". Infelizmente é um fato bastante triste o de que, em nossos dias, muitos pais proíbem seus filhos de blasfemar, quando eles mesmos blasfemam tranquilamente ou então proíbem-lhes mentir, mentindo eles mesmos.
E se admiram se lhes acontece como na história do caranguejo e seu filho.
O velho caranguejo repreendia uma ocasião o seu filho.
- Não convém que caminhes sempre recuando. Caminha, pois, para a frente.
- Fá-lo-ei de boa vontade, quando te vir caminhando também para diante.
B - Infelizmente, os pais, em sua leviandade, muitas vezes, não vêem como eles corrompem seus filhos pelos maus exemplos. Talvez não haja má intenção, mas apenas falta de reflexão.
Um pai de família surpreendera seu  filho a roubar.
- Meu filho, não deves roubar, porque Deus não pode ser enganado. Ele vê tudo.
- Vê tudo? - responde o filho. - Então, é lamentável isto, porque Ele viu que o papai entrou embriagado, ontem, à noite.
Certamente Ele tinha visto. Mas o pai podia responder alguma coisa a isto?
Os catequistas e os mestres mais zelosos fazem, muitas vezes, a triste experiência de que todos os seus esforços se tornam inúteis pelos exemplos opostos, vistos em casa.
Em uma escola primária os alunos escutam a lição. O professor recorda entre outras coisas que ao comer não é conveniente tocar no saleiro, mas que se deve tomar o sal com a ponta da faca.
- Vós já ouvistes dizer isto muitas vezes em vossa casa, não é? Apesar disto pegais no saleiro, eu o sei.
- Oh! - diz um pequenino - papai também toca o sal com os dedos.
E agora eu adjuro solenemente os pais a não tomarem o sal com os dedos...
Mas para que as mulheres recebam com seus maridos uma pequena lição, recordarei o caso de uma educadora que repreendia a uma menina: "Mas, menina, não tens vergonha de vir à escola com um vestido tão curto?"
A pequena banhada em lágrimas respondeu-lhe: "Senhora, eu acordei tarde e precisei vestir-me apressadamente, e ... sem notar ... pus o vestido da mamãe ..."

18 de julho de 2016

Missa e Palestra - Padre Aulagnier

Prezados Leitores, Salve Maria!

Informações da missa e palestra do Padre Aulagnier - Reitor do Instituto Bom Pastor - França

Missa rezada pelo Padre Aulagnier
Horário: 19:30h
Local: Capela da Polícia Militar

Palestra a ser proferida pelo Padre Aulagnier
Tema: O combate e a herança de Dom Lefebvre
Horário: 20:15h
Local: Fundo da Capela da Polícia Militar