7 de novembro de 2022

 Breviário da Confiança

15 de julho

Jesus sem a a Cruz


Não se compreende cristão sem cruz. "Ignorais - diz Bossuet - que o nome de cristão significa homem destinado ao sofrimento?" Os cristãos delicados, inimigos da dor, quase pagãos, querem Jesus, sim, adoram-no e pretendem amá-lo, mas...Sem a cruz. Querem o Menino Jesus, sim, nos braços de Maria, cheio de encantos, porém, longe da gruta de Belém, da pobreza e miséria do estábulo, da companhia dos pobres e dos animais. Querem Jesus, sim, mas transfigurado no Tabor, resplandecente de glória, a provocar o êxtase e a admiração dos três discípulos Pedro, Tiago, e João. Ah! O Tabor é montanha predileta delicados. Como lhes horroriza, porém, o Calvário ! Como lhes é insuportável a montanha do martírio! Querem um Cristo de iluminuras, de arte e beleza, um Cristo resplandecente no Tabor e na Ressureição! Páginas há do Evangelho que eles não podem ler de duras que são, principalmente as que pregam a penitência e a luta contra as paixões e a tríplice concupiscência !

Jesus não nos vem sem a cruz! Esta é a condição para servi-lo e amá-lo. "Se alguém quer ser meu discípulo, que se renuncie, tome a sua cruz de cada dia e me siga...".

E, para nos dar exemplo, vai Nosso Senhor adiante com a sua cruz. Não, jamais encontrareis esse Jesus de vossos sonhos e loucas fantasias, ó delicados inimigos da cruz! Jesus sem cruz não existe! E, pois, também não se compreenderá um cristão sem cruz. Não pode o discípulo ser maior nem melhor que o Mestre!

4 de novembro de 2022

 Breviário da Confiança

14 de julho

Abismos


Diz misteriosamente o salmista que um abismo chama outro abismo. Sim, o abismo de nosso pecado chamou o abismo do sofrimento. Quando pecaram nossos primeiros pais, logo se fez sentir o castigo: a dor. Eva daria à luz aos seus filhos entre gemidos e dores. Adão comeria o pão com o suor do rosto, isto é, com a dor e o sacrifício. Ali estavam os dois abismos do pecado e da dor. Um terceiro iria chamar os dois primeiros: o abismo da Misericórdia Divina. E este se abriu no Calvário. E os outros dois  se precipitaram nele, no abismo da Cruz, isto é, no abismo do Amor Misericordioso. Sempre abismo a chamar abismos!

Muitas vezes, à Santa Margarida Maria e à confidente das suas santas chagas, a humilde Soror Marta da Visitação, Jesus repete que seu Coração Divino e suas Chagas Divinas são abismos de misericórdia, oceano de misericórdia, de tal modo profundo e extenso que dá bem uma imagem do Infinito. Abismo cuja profundidade e vastidão são incomensuráveis! E há ainda quem, desconfiando sempre da Misericórdia infinita, queira medir as profundezas do abismo do Amor Misericordioso e julgar o Infinito pelo finito! Que insensatez! Que mesquinharia! Medir pelo egoísmo de nosso coração o imenso e eterno abismo de Misericórdia do Coração Sacratíssimo  de Jesus! Abismo de miséria, cala-te e adora! Para a miséria, só a Misericórdia. Para um abismo só outro abismo.

3 de novembro de 2022

 Breviário da Confiança

13 de julho

Vencedor, Mestre, e Herdeiro


Saber sofrer é das artes a mais bela e a mais difícil. Quem a aprendeu é um herói, venceu a maior das batalhas. Combater, lutar com os outros, bem pouco é em comparação com a luta que dentro de nós se trava entre os espirito e a carne, e com o combate às perseguições que, a cada momento, vêm-nos de fora: Lutas interiores, íntimos martírios cruciantes e perseguições de mil cruzes exteriores, semeadas pelo caminho de nossa vida. Por isso escreveu a espiritual e suave escritora russa Mme. Swetchine: "Quem souber sofrer será vencedor de si próprio neste mundo, amigo de Jesus Cristo e Herdeiro do Céu". Vencedor de si, do próprio eu abatido pelo sofrimento, eis a vitória! Cortado o mal pela raiz, que é o orgulho, o eu vivo, está ganha a peleja. Mestre do mundo! Quem tudo desprezou e tudo soube sofrer, conquistou o mundo. No dizer do Mestre, é o pacífico que possui a terra. Quem despreza o mundo por amor de Deus é o senhor do mundo, porque o mundo poderoso e agitador de corações já não vence o homem verdadeiramente interior! Amigo de Jesus Cristo! Não é Jesus o amigo dos que sofrem? Nem é mister prová-lo. Basta ler o Evangelho: " Vinde a mim vós que sofreis, eu vos aliviarei!" Que consoladora promessa! A amizade dos grandes se conquista em banquetes e festins; o amor de Jesus, no sofrimento e no calvário. Finalmente, o que sabe sofrer é o herdeiro do céu. Não está cheia a Escritura de promessas e recompensas aos que padecem? E as bem-aventuranças? Muitas terminam assim: "porque deles é o reino dos céus..." Então não vale a pena sofrer um pouco por amor de Deus? 

2 de novembro de 2022

 Breviário da Confiança

12 de Julho

Três Cruzes


 Santa Margarida Maria conta, numa das visões do Coração de Jesus que, num dia de Páscoa, Nosso Senhor lhe apresentara três cruzes. Perguntou-lhe a santa a significação de tais cruzes. "Minha filha - responde o mestre - serás muito perseguida pelo Demônio, pelo mundo e por ti mesma". Eis aí as cruzes maiores de nossa vida. O Demônio, invejoso de nossa felicidade e do tesouro incomparável da graça que nos foi dada em abundância no Calvário, pelos méritos de Jesus Crucificado, que são nossos, aquele espírito do mal de tal modo nos persegue que, no dizer da Escritura, parece um leão furioso a rugir em torno de nós. Que martírio o das tentações! O inferno não nos deixa em tréguas. Pobres almas tentadas, consolai-vos! É a vossa cruz! Aceita-a pacientemente. O mundo é também uma cruz e bem pesada. Quanta sedução perigosa, quanta mentira e falsidade! O mundo, chafurdado na lama e embriagado no prazer dos sentidos, jamais há de compreender as almas que se entregam a Nosso Senhor. É justo e natural que as persiga. Não estranheis a perseguição do mundo, disse Jesus. - "O mundo vos odeia." Finalmente, a nossa maior cruz talvez seja a terceira, nós mesmos, esse eu orgulhoso, difícil, rebelde, a arrastar-nos sempre ao pecado e a ferir-nos. Ah! se não o perseguimos estaremos perdidos. Diz o Evangelho, para nos inculcar como devemos combater o orgulho e o amor-próprio: "Quem ama a sua alma, perde-a".

 Meu Jesus, pela vossa cruz, ajudai-me a carregar minhas três cruzes!

23 de setembro de 2022

 BREVIÁRIO DA CONFIANÇA

11 de Julho

NEGOCIAR A FELICIDADE

    A felicidade é um negócio. E os que sabem empregar bem o capital em bancos e boas transações, gozam os juros de cem por um, aqui e na vida eterna. Que faz o bom negociante? Coloca o seu capital em negócios seguros e de vantagens certas. Compra e vende com lucros. Quereis ser felizes? Imitai o negociante. Com a moeda de vosso conforto, riqueza e saúde, comprai um pouco de felicidade para os que sofrem. E são tantos! O segredo da felicidade, segundo o Evangelho, esta em fazer os outros  felizes.      "Bem-aventurados  os misericordiosos - disse Nosso Senhor - porque eles alcançarão misericórdia".

    Vede os que padecem, os que chorão, os desgraçados, e sereis menos egoístas, e o vosso coração se há de abrir, cheio de ternura e bondade, para com os pobres e os que trazem também o coração a sangrar. O egoísmo é estéril e duro. No sofrimento, nos golpes da vida, nas desgraças que nos afligem, há um remédio eficaz e infalível para o alívio do coração: é entregarmo-nos às obras de misericórdia, visitar os pobres, os enfermos, encarcerados, dar esmolas, proteger os infelizes. É remédio eficaz nas tentações contra a fé! E, enxugando as lágrimas alheias, enxugamos também as nossas. Experimentai a boa receita e vereis. São Vicente de Paulo viu-se livre de uma terrível tentação contra a fé dando-se ao serviço dos pobres. E quantos e belos exemplos! Quereis ser felizes? Negociai a felicidade, pondo a vossa esmola no banco da pobreza, e o consolo, no coração dos que sofrem! É bom negócio! Sereis felizes.