Busca no Blog

9 de agosto de 2014

A hediondez espírita - Dom Corrêa (9/22)

A HEDIONDEZ ESPÍRITA

Dom José Eugênio Corrêa
Bispo de Caratinga
(1957-1978)

9. O ESPIRITISMO É CONDENADO PELA IGREJA

A Igreja é a rocha da fé: «Pedro, tu és pedra, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela». A Igreja não pode fracassar, logo não pode errar. Ela goza de uma assistência divina: «Eu estarei convosco todos os dias, até a consumação dos séculos».

Por isto, o que a Igreja aprova, Deus aprova; e o que a Igreja condena, Deus condena: «Tudo o que ligares na terra, será ligado no céu; e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu». Temos de estar com a Igreja em tudo: «Quem vos ouve, a mim ouve; quem vos despreza, a mim despreza». São palavras de Cristo, muito claras.

A Igreja condenou em diversas oportunidades o Espiritismo. Repetindo a Bíblia, também a Igreja condenou a feitiçaria, adivinhos, magia... tolices incorporadas ao moderno Espiritismo. Nada de novo sobre a terra! Os homens são tão pobres de imaginação que se limitam a repetir os velhos erros!

Em 4 de agosto de 1856, já visando o Espiritismo, a Igreja proibia: «evocar as almas dos mortos e pretender receber suas respostas...»

Em 1917 a Igreja declarava não ser lícito: «por médiuns ou sem eles... assistir à conversas ou manifestações do Espiritismo, mesmo que aparentem honestidade e piedade».

Depois, através do Concílio Plenário Latino-Americano, da Pastoral Coletiva e Concílio Plenário Brasileiro, e ultimamente através de nossos Bispos reunidos, de um modo direto e categórico, a Igreja condenou o Espiritismo, seus erros e suas práticas perniciosas.

Estamos com a Igreja ou contra a Igreja? «Quem não ouvir à Igreja seja considerado como pagão», disse Cristo, e afastado dos fiéis ou excomungado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário