Busca no Blog

5 de abril de 2014

Preparação para a Morte

PONTO III
 
Compenetremo-nos bem de que o verdadeiro sábio é aquele que sabe adquirir a graça divina e a glória. Roguemos ao Senhor para que nos conceda a ciência dos Santos, ciência que ele dá a quem lha pede (Sb 10,10). Que bela ciência, a de saber amar a Deus e salvar a nossa alma! Isto é, a de acertar na escolha do caminho da eterna salvação e dos meios para consegui-la. O livro da salvação é, sem dúvida, o mais necessário de todos. Se o soubermos todo, sem saber salvar-nos, de nada nos aproveitaria o nosso saber. Seríamos para sempre infelizes.
Mas, ao contrário, seremos eternamente venturosos, se soubermos amar a Deus, ainda que ignoremos todas as demais coisas, como dizia Santo Agostinho. Certo dia, Frei Gil disse a São Boaventura: “Sois feliz, Padre Boaventura, pelo vosso profundo saber. Eu, pobre ignorante, nada sei. Sem dúvida, podereis tornar-vos mais santo do que eu. — Persuadi- vos, — respondeu o Santo, — de que uma pobre velha ignorante, que sabe amar a Deus melhor que eu, será mais santa que eu. — Ouvindo isto, o santo frei Gil exclamou: “Ó pobre velhinha, se amares a Deus, podes tornar-te mais santa que o Padre Boa-ventura”.
Quantos ignorantes há — dizia Santo Agostinho — que nunca aprenderam a ler, mas que sabem amar a Deus, e se salvam, e quantos doutos do mundo que se condenam!... Quão sábios foram um São Pascoal, um São Félix, capuchinho, um São João de Deus, apesar de ignorarem as ciências humanas! Quão sábios todos aqueles que, renunciando ao mundo, se encerraram nos claustros ou viveram em desertos, como um São Bento, um São Francisco de Assis, um São Luís de Tolosa, que renunciou a coroa! Quão sábios, tantos mártires e tantas virgens, que renunciaram a honras, prazeres e riquezas para morrer por Cristo!... Ainda os próprios mundanos reconhecem esta verdade, e proclamam feliz aquele que se entrega a Deus e sabe o que tem de fazer para salvar a sua alma. Em suma: aqueles que renunciam aos bens da terra para se consagrar a Deus são chamados homens desenganados.
Como deveremos chamar os que preferem a Deus os bens do mundo?... Homens enganados.
Meu irmão! a qual dessas duas falanges queres pertencer? Para fazer boa escolha nos aconselha São João Crisóstomo que visitemos os cemitérios. Os sepulcros são escola excelente para reconhecer a vaidade dos bens deste mundo e para aprender a ciência dos Santos.
Dizei-me — adverte o Santo — saberíeis distinguir ali o príncipe do nobre ou do letrado”? “Eu, por mim, nada vejo, senão podridão e vermes”.
Todas as coisas do mundo passarão em breve, dissiparse-ão como fábulas, sonhos e sombras.
Entretanto, cristão, se quiseres adquirir a verdadeira sabedoria, não basta que reconheças a importância de tua finalidade, mas é mister seguir os meios estabelecidos para alcançá-la. Não há ninguém que se não quisera salvar e santificar, mas como não empregam os meios convenientes, condenam-se. É preciso evitar as ocasiões de pecar, freqüentar os sacramentos, fazer oração, e, sobretudo, gravar no coração as máximas do Evangelho, como, por exemplo, as seguintes: “Que aproveita ao homem se ganhar o mundo todo? (Mt 16,26). Quem ama desordenadamente a sua alma, perdê-la-á” (Jo 12,25). Ou seja, convém perder a vida, se necessário for, para salvar a alma. “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo” (Mt 16,20). Para seguir a Jesus Cristo é preciso recusar ao amor próprio a satisfação que exige.
Nossa salvação consiste no cumprimento da vontade divina (Sl 29,61).
 
AFETOS E SÚPLICAS
 
Pai de misericórdia! Lançai um olhar sobre minha grande miséria e compadecei-vos de mim. Iluminai-me, Senhor; fazei que reconheça minha loucura passada para que a deplore e aprecie e ame vossa bondade infinita. Ó meu Jesus, que destes vosso sangue para me remir; não permitais que volte a ser, como fui, escravo do mundo! (Sl 19). Arrependo- me, Sumo Bem, de ter-vos abandonado. Amaldiçôo todos os momentos em que minha vontade consentiu no pecado, e abraço-me com vossa santíssima vontade, que só deseja a minha felicidade. Concedei-me, E-terno Pai, pelos merecimentos de Jesus Cristo, força para executar tudo quanto vos agrade, e fazei que prefira morrer a opor-me à vossa vontade. Ajudai-me com a vossa graça a depositar em vós todo o meu amor, e a desligar-me de todo afeto que não conduza a vós. Amo-vos, ó Deus de minha alma, amo-vos sobre todas as coisas e de vós espero toda a felicidade; o perdão, a perseverança em vosso amor e a glória para vos amar eternamente...
Ó Maria, alcançai-me estas graças! O vosso divi-no Filho nada vos recusa. Confio em vós, minha esperança!

Nenhum comentário:

Postar um comentário