Busca no Blog

26 de abril de 2014

Pensamentos Consoladores de São Francisco de Sales.

10/26  -  Como se devem combater as tentações contra a fé.

Voltaram as vossas tentações contra a fé, e, embora lhe não repliqueis uma só palavra, incomodam-vos.
Não lhe respondeis, e fazeis bem; mas pensais muito nelas temei-as muito; sem isto nenhum mal vos poderiam fazer. Sois muito sensível às tentações. Amais a fé e nenhum pensamento quereríeis ter contrário a ela; e logo que vos toca de leve algum entristecei-vos e confundi-vos. Sois muito ciumento da pureza da fé; parece-vos que tudo a mancha.
Convém nesta tentação procedermos como na carnal; não disputar, nem pouco nem muito; mas fazer como faziam os filhos de Israel aos ossos do cordeiro pascal, que não quebravam, mas lançavam ao fogo. Não é necessário responder nem se dar por entendido do que diz o inimigo. Embora faça muito barulho à porta, não se deve dizer: Quem está aí?
É verdade me dizeis vós, mas importuna-me e o seu ruído interrompe os pensamentos interiores. É o mesmo, falemos por sinais; prostremo-nos aos pés de Deus; e Ele entenderá por esta postura humilde que lhe pertenceis e pedis o seu auxílio, embora não possais falar. Mas sobretudo mantende-vos firmes, bem fechados por dentro, e não abrais a porta, nem para ver quem é, nem expulsar o importuno; porque ele enfim cansar-se-á de gritar e vos deixará em paz.
Durará isso muito tempo, me dizeis vós; pouco importa o tempo, contanto que o inimigo não entre. É um bom sinal o inimigo lutar e fazer barulho, à porta, porque indica que não consegue o que deseja. Se o conseguisse, não o gritaria, mas entrava. É conveniente notar isto para não terdes escrúpulo.
Desejaria que estivéssemos firmes e fossemos simples na fé como o ensina a Igreja, crendo firmemente tudo o que esta escrito nesta pedra; porque já vos disse que ali estava escrita a lei evangélica. Creiamos pois firmemente e submetamos a nossa inteligência à fé, que Nosso Senhor fundou sobre esta pedra; porque as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Nosso Senhor orou por São Pedro, para que ele não se enganasse; é o chefe da Igreja, que é a coluna e fundamento da verdade, como diz São Paulo à Timóteo: "Bem aventurado o que esmagar os seus filhos contra a pedra", diz o salmista.
Quando as vezes não vêm pensamentos contra a fé, mas só algumas fantasias, imaginações e pensamentos de infidelidade, que fazeis? Se os deixais entrar no espírito, perturbar-vos-ão e roubar-voa-ão a paz; esmagai esses pensamentos contra a pedra da Igreja e dizei à vossa inteligência: "Ó inteligência, Deus não vos mandou apascentar; é a esta pedra e aos seus sucessores que isto pertence": Bem aventurado pois o que esmaga os seus filhos contra esta pedra.
Além deste remédio, dou-vos outro. As tentações contra a fé vão diretamente à inteligência para constranger, a disputar, a imaginar e a fantasiar. Sabeis o que deveis fazer enquanto o inimigo se entretêm a querer abrir brecha no entendimento? Sai pela porta da vontade e dai-lhe batalha, isto é, mal se apresenta a tentação contra a fé. Mas como se pode fazer isto? Em lugar de disputardes com o inimigo com discursos, fazei que a vossa palavra expressa se lance contra ele, juntando mesmo a voz interior com a exterior, e exclamando: Ah tratante! Ah desgraçado! deixaste a Igreja dos anjos e queres que eu deixe a dos santos? Desleal, infiel, perdido! Apresentaste à primeira mulher o pomo da perdição e queres que eu coma? Arreda Satanás! Esta escrito: "Não tentarás o Senhor teu Deus". Não disputarei contigo. Eva, querendo disputar, perdeu-se. Eva, deu-te ouvidos e foi seduzida. Viva Jesus em quem creio. Viva a Igreja, a quem pertenço! e outras semelhantes palavras. Convém também dirigir a Jesus Cristo e à Igreja as palavras que Ele vos sugerir: "Ó Mãe dos filhos de Deus, nunca de vós me separarei; quero viver e morrer na vossa grei".
Não sei se me faço compreender. Quero dizer que se deve responder e combater com afetos e não com razões, com paixões e não com considerações. É verdade que no tempo da tentação a vontade não dá nada; mas tanto melhor; os seus golpes serão tanto mais terríveis contra o inimigo, porque vendo em lugar de atrasar vosso adiantamento vos dá ocasião de exercitardes mil afetos virtuosos, e particularmente de submissão à fé, vos deixará em paz. Afinal de contas estas tentações não são senão aflições como as outras; convém fortalecermo-nos com o que diz a Escritura: "Bem aventurado o que sofre a tentação; porque sendo provado, receberá a coroa da vida". Poucas pessoas tenho visto adiantadas sem esta prova e é necessário ter paciência. Nosso Senhor enviará a calma depois da tormenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário