Busca no Blog

23 de junho de 2017

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.

Nossa Senhora Jovem

Parte 4/7

Ao chegar a juventude, conhece qual é a sua situação com respeito à sociedade e com respeito aos jovens de outro sexo. A Virgem não é uma pobre inconsciente. Porém com todo esse conhecimento, ela manterá inflexível a orientação do seu coração. Será sempre e toda de Deus. Terá que amar outras pessoas, terá que amar seu esposo; mas por isso não amará menos a Deus. A seu esposo amará porque Deus quer que o ame, e amá-lo-á para que os dois unidos amem mais a Deus.
É tão importante este traço característico da Virgem jovem, que as jovens cristãs devem deter-se a contemplá-lo com gosto.
Levado pela tendência natural que Deus pôs em todos os corações, o coração da menina instintivamente dirige-se para Deus, sobretudo se tem uns pais que a  orientem para Ele.
Porém ao chegar à juventude, o coração facilmente se desorienta. Sente fome de amar com mais força cada dia. Sente um vazio imenso e umas ânsias crescentes de enchê-lo. Tão grande é esse vazio, que fez Deus para si, que só pode encher-se com Deus.
Nestes momentos, facilmente se desorienta a jovem. Procura outras pessoas a quem amar, e para as amar desvia-se de Deus. Crê que o vazio que sente lho encherão os homens e até pensa que Deus é um estorvo para saciar os anelos do seu coração.
Os homens prometem-lhe um amor sem medida e um amor eterno, um amor que cumulará todos os seus anseios, e a jovem inexperiente crê-o e até chega a desviar-se de Deus, pensando que Deus é um impedimento para satisfazer as suas aspirações.
Vêm momentos de reação, sobretudo quando sobrevém algum desengano.
Quando o jovem que lhe oferecia um amor único a abandona para amar a outra a quem prometerá o mesmo. Quando reconhece que, o que julgava ser amor puro e desinteressado, estava misturado com escória de egoísmo.
Quando descobre que entre as qualidades que lhe pareciam belíssimas, se escondiam repugnantes defeitos.
Perante estes desenganos, o coração da jovem tem necessidade de orientar-se de novo para Deus; porém essa necessidade dura muito pouco.
Outras pessoas, outros atrativos aparecem ao seu alcance e de novo o coração dirige-se para eles e prescinde de Deus. A jovem quer convencer-se. Nem todos serão iguais. Em alguns homens também há amor puro e desinteressado. É verdade, jovem, no mundo há amor puro e desinteressado, ainda que não abunde muito esse amor.
Os crescentes desenganos não devem produzir em ti um ceticismo completo.
A Virgem encontrou em São José um coração fiel e desinteressado e tu também o podes encontrar. O importante é que acertes em orientar e ordenar o amor em teu coração. Como o orientarás?
Pensa que o vazio imenso que sentes na alma só pode enchê-lo Deus, porque foi Deus quem o fez para ocupá-lo Ele, e Deus é imenso.
Pensa que podes amar outras pessoas: ao companheiro que Deus te destine, aos filhos que Deus te dê; podes amá-los e deves amá-los porque Deus o manda; mas por isso não deves afastar a Deus do teu coração. Se os amas em Deus e para Deus, Deus e eles cabem em teu coração.
Pensa que se nesse coração entra Deus, o vazio ficará cumulado por completo, ainda que nenhum outro ser criado entre nele; e exclamarás com Santa Teresa de Jesus: Quem a Deus tem, nada lhe falta. Só Deus basta.
Numa palavra, procura que o amor de nenhuma criatura esfrie na tua alma o amor de Deus.
Se for necessário, sacrifica o amor à criatura, para que triunfe o amor ao Criador. Isto é ordenar o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário