Busca no Blog

29 de setembro de 2014

Do diabólico delírio dos mórmons - Pe. Leslie Rumble, M.S.C. (19/20)

Os Mórmons
ou
"Santos dos Últimos Dias"

Padre Leslie Rumble, M.S.C.
Doutor em Teologia  
Missionarii Sacratissimi Cordis
"Missionários do Sagrado Coração"

ÚNICO VEREDITO POSSÍVEL

Qual é, pois, a verdade sobre o Mormonismo? Pode-se chegar a qualquer outra conclusão que não seja a de que ele é uma religião substituta, de feitura humana, inteiramente inconciliável com o genuíno Cristianismo? Joseph Smith certamente foi um impostor, e de forma alguma era o tipo de homem que Deus escolheria para a missão profética qual ele pretendia ser a sua. 
A Lenda das Lâminas de Ouro é uma invenção evidente. Os próprios Mórmons envergonham-se dela e por ela se desculpam. O Livro de Mórmon está pejado de fatos errôneos, de história errônea, de moral errônea, e de errôneos modos de ver a religião e a vida.
Os ensinamentos de Joseph Smith, de Brigham Young e de outros autorizados escritores sobre doutrina Mórmon, embora usando termos cristãos, pervertem-lhes totalmente o significado, e oferecem um ensino tão distante quanto possível da verdade cristã. Brigham Young não hesitou em escrever: "Todo espírito que confessa que Joseph é um profeta, e que o Livro de Mórmon é verdadeiro, é de Deus; e todo espírito que não faz isso é do Anticristo". Em ouvidos verdadeiramente cristãos tal abuso e distorção da Escritura não se fazem sem blasfêmia.
E sempre persiste o imoral ensinamento que justifica a poligamia. Se os Mórmons o têm abandonado na prática, tem sido só por serem a isso compelidos pela lei civil. Se premidos, dirão que ainda crêem nele, embora não o pratiquem sob as circunstâncias presentes. Mas o fato de haver ele sido alguma vez ensinado e praticado seria suficiente para condenar o Mormonismo como inteiramente oposto à religião de Cristo.
Mas, dir-nos-ão, devemos explicar o seu êxito. E isso é tão difícil? Certamente simples fatores naturais podem explicá-lo. Nos estágios iniciais, o assassínio de Joseph Smith deu a este a auréola do martírio. Na sua excitação, os sectários dele perderam de vista que, não motivos religiosos, mas sim o que com razão foi considerado conduta social vergonhosa, agravada pela má reputação que ele granjeara para si mesmo, é que foi a causa da morte dele. E, quando Brigham Young, homem de energia indomável e de vontade de aço, tomou o encargo deles, eles foram simplesmente prontíssimos em assentir aos seus planos.
Ardilosamente Brigham Young levou-os para Utah antes da incorporação deste como um dos Estados Unidos, e ali governou, como chefe da Igreja e do Estado, por trinta anos. Ali, onde outros não podiam alcançá-los, e onde não havia escapatória para os pusilânimes, os Mórmons puderam medrar. Acaso não é significativo que as outras e menores seitas Mórmons, descritas anteriormente neste livrinho, perdendo as vantagens que a Igreja de Utah ganhou pela sua migração, tenham feito pouco ou nenhum progresso durante o mesmo período de tempo? E mesmo em Utah, agora que as ferrovias lhe trouxeram um grande afluxo de outros Americanos, tem-se verificado uma parada no crescimento do Mormonismo ali. Se ele tem sobrevivido com a vitalidade que tem conservado, isto se deve ao vigoroso arranco a ele dado por Brigham Young, à sólida base material sobre a qual o estabeleceu, e ao fato de ser ele sustentado ao mesmo tempo pela forte organização hierárquica de que Young o proveu. Mas, à medida que a credulidade míngua, o Mormonismo vai achando cada vez mais difícil resguardar do declínio o seu espírito.
A história inteira do movimento, um entre tantos outros que surgiram na primeira metade do século dezenove, prova apenas que os seres humanos são tão incuravelmente religiosos que, se não obtêm a religião certa, ou inventarão uma errada para si mesmos, ou se apegarão a uma que lhes seja proposta com entusiasmo pelos outros. 
Joseph Smith, como vimos, não tinha a religião certa. Nunca conheceu o Catolicismo. E, espantado com a confusão das seitas protestantes à volta de si, simplesmente aumentou a confusão inventando ainda outra religião sua, com o auxílio do pregador reavivamentista Sidney Rigdon. Não era desse modo que a paz devia ser achada, ou para ele mesmo ou para os seus seguidores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário