Busca no Blog

6 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

DEUS QUER PROVAR-ME

Vejo que Deus quer provar-me porque a cada instante me envia sofrimentos. Compreendo que por eles me hei de assemelhar a Jesus Crucificado. E é este o meu único ideal. Quer de mim um abandono total em suas mãos divinas, e se constitui ele mesmo o meu diretor e meu Mestre. Manifesta-me sua vontade de um modo tão direto, que não posso duvidar que sejam esses os seus desígnios.
Se quero ser crucificada à sua semelhança, é necessário viver cada instante cumprindo perfeitamente sua divina vontade, ainda que ela me traga sacrifício e imolação.
Tenho sofrido tanta secura e abandono que já não é possível descrever. Sobretudo uma vez, passei como que uma hora e meia numa angústia tão terrível que me disse: se isto continua não po­derei fazer nada. Supliquei a Nosso Senhor que me tirasse dessa angústia, e então ele deixou-me ouvir sua voz, e imediatamente com sua palavra a tempestade se apaziguou, mas continuei ainda na secura. Porém, não estranho isto, fui eu que pedi a Cristo que me prive de todo consolo, para que outras almas que eu quero encontrem nos sacramentos e na oração paz e gozo (Santiago, 2-4-1918).

ABANDONO, ARIDEZ, AGONIA

10 a 16 de abril. Sofro de maneira horrível. Jesus me abandonou porque sou infiel. Já não ouve minhas orações e deixa-me sem sua graça para vencer-me, de modo que estou desesperada. Jesus meu, tem piedade de mim! Tu sabes que te amo. Minha Mãe, socorre-me nas trevas! Nada. Jesus não está em minha alma. A Virgem não me responde. Jesus, tem piedade de tua esposa infiel. Sim, te amo. Não me abandones. Oh! obrigada! Com tua palavra, Jesus, dissipas por completo a tempestade.
Estou num estado tão horrível, irritada, com desejos de portar-me mal, desesperada com as monjas, sem gosto na oração, sinto desespero . . . Choro porque não sei o que me acontece e não tenho quem me aconselhe, quem me ajude.
Abandono, secura, agonia. Estou que já não posso mais. Doem muito meu peito e as costas. Vejo tudo tão triste porque não po­derei ser carmelita sendo tão débil. Jesus me disse que sempre cumprisse sua vontade com alegria, apesar de sentir-me abatida. Que não olhasse o futuro para manter-me em paz.

DESEJAM LEVAR-ME A FESTAS

Cada dia que passa aumentam meus desejos de ser carmelita. Porém a realização de meus desejos, eu a vejo cada vez mais difícil. Já começo a sentir a oposição de minha família, pois desejam que eu saia do colégio para levar-me a festas. Essas festas mundanas que são laços para perder as almas.
Rogue por mim, para que saia vitoriosa da luta e da tempestade que se inicia. Que eu possa logo chegar ao porto do Carmelo onde espero encontrar o céu na terra, quer dizer, o céu no sofrimento e no amor. Às vezes sinto desejos de morrer antes que sucedam estas coisas; porém é covardia não querer o combate. Então peço a Cristo que me dê armas para vencer. Nosso Senhor me diz que me abandone a ele. Já que sempre me auxiliou e me fez vencer, por que desconfiar agora?
Mortificações, não fiz quase nenhuma porque não tinha permissão. Só mortifico a vontade. Porém, agora peço-lhe permissão para fazer algo mais. Todos os dias faço meditação. Na quaresma versou sobre a Paixão. Costumo seguir o Evangelho nessas meditações (Santiago, 12-4-1918).

Nenhum comentário:

Postar um comentário