Busca no Blog

26 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

NÃO VEJO SENÃO LÁGRIMAS

Todo este tempo é terrível, pois não vejo senão lágrimas onde quer que olhe. Mas sinto uma energia e valor tão grandes dentro de minha alma como me é impossível descrever. Deus torna insensível o meu coração ante essas lágrimas quando estou diante dos meus; mas estando só, sinto que minha alma se despedaça de dor e a luta mais horrível se apodera dela. Que dúvidas e incertezas, que covardias! Enfim, as misérias que há no fundo deste pobre coração parece que sobem num movimento aterrador. Então gemo, clamo a Nosso Senhor que venha socorrer-me porque pereço. E ele sempre me estende sua mão divina para que não sucumba.
Não quero chorar porque acho que o sacrifício regado com lágrimas não é sacrifício. É necessário que só Deus saiba que o cálice que bebo é muito amargo. Enfim, parece-me que nada faço porque a graça de Deus é imensa. Ele faz tudo.
Que mal-aproveitada parece-me minha vida até aqui! Só te­nho recordação de meus muitos pecados. Não compreendo como Deus se aproxima de mim, miserável pecadora; ele que é a própria santidade. Que bom é Deus! Que felicidade se pudesse derramar todo o meu sangue para demonstrar-lhe meu amor! (Santiago, 25-4-19 19).

MAMÃE PEDE MEU DIÁRIO

Minha mãe pede-me com muita insistência o meu diário para conservá-lo e lê-lo por toda a sua vida; pois isto me fará viver sempre a seu lado e fará bem à sua alma. Por outro lado, Rebeca me pede, por favor, que o deixe para ela. Não sei o que fazer.
Meu desejo é lançá-lo ao fogo, a fim de desaparecer para sempre às criaturas. Por outro lado, vejo que se o lerem, verão a bondade do Divino Mestre que tanto me amou, sendo eu tão ingrata e pecadora. Há coisas que só Deus e a alma devem saber.
Quando Lucho soube, ficou furioso contra mim e quis escrever-me; porém meu papai defendeu-me e o acalmou. Depois escreveu-me uma carta cheia de carinho, propondo-me mil reflexões às quais eu respondi. Desde então não faz outra coisa senão chorar cada vez que me olha. Miguel também chorou muito, porém sem dizer nada contra mim. A Lúcia e Isidoro foi mamãe quem contou.
E todos, ainda que chorem, estão resignados. Bendito seja Deus !
Que dita tão imensa seria dar minha vida por ele! Entretanto, também posso ser mártir no Carmelo, morrendo a mim mesma a cada instante. Essa é a vocação da carmelita: ser hóstia pura que continuamente se oferece a Deus pelo mundo pecador.
Nosso Senhor me dá a cruz nua, sem consolações, sem nada que me alivie (Santiago, 284- 1919).

AMO-O COM LOUCURA

Papai me disse que por enquanto não virá. Isto causou-me um sofrimento horrível. Creio que é para não se encontrar aqui no momento da separação, pois dizem que não faz senão chorar (Santiago, 28+1919).
Asseguro-lhe: sinto-me orgulhosa de ter um pai como o que Deus me deu. Dou mil vezes graças ao céu por ser sua filha.
Quanto lhe agradeço seu generoso consentimento e todos os sentimentos que me expressa em sua carta! Verdadeiramente ela me alegrou.
A única coisa que peço é que venha logo, antes de eu ir; seria o maior sofrimento ter de renunciar a abraçá-lo e beijá-lo pela última vez. Asseguro-lhe que só a ideia de que não virá me produz um sofrimento tão grande que quase chego ao desfalecimento físico. Papaizinho lindo, venha, por caridade. Não posso resignar-me a não lhe dar meu último beijo e carinho. Lembre-se que o amo com loucura. Não posso crer que Deus queira submeter-me a essa horrível prova. Porém, enfim, que se cumpra a sua
adorável Vontade.
Minha medalha de ouro que jamais se separou de mim, salvo quando lhe emprestei, reservei-a para você para que a conserve como recordação de sua filha por sua vida inteira (Santiago, 1 .0-5-1919).

Nenhum comentário:

Postar um comentário