Busca no Blog

11 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SOFRIMENTOS DA ALMA

Vivamos na cruz. A cruz é a abnegação de nossa vontade. Na cruz está o céu porque ali está Jesus.
14-15 de outubro. Sofrer. Esta palavra é o grito de meu co­ração. Porém agora sofro como nunca. São sofrimentos da alma.
É preciso morrer a si mesma para viver escondida em Cristo. Não tenho gosto nem pela oração, nem pela comunhão. E contudo são uns desejos loucos os que sinto em minha alma de unir-me a ele.
Não ouço sua voz. Nada. Trevas. Não posso nem meditar, nem fazer nada.
Nosso Senhor pediu-me que me oferecesse como vítima para expiar os abandonos e ingratidões que sofre no sacrário. Disse-me que me faria sofrer desprezos, ingratidões, securas; enfim ele quer que eu sofra. Só esse é o meu desejo. Quero sofrer. E mesmo quando sofro, tenho ânsias de sofrer mais para unir-me a Nosso Senhor.
Escrevi ao Carmelo. Quanto pedi a Sta. Teresa me faça celebrar sua festa do próximo ano no Carmelo!

RESOLUÇÃO: SACRIFICAR-ME POR TODOS

Dou graças a Deus porque é sinal que me ama quando deseja que eu tenha vida de abnegação. Basta que tenha um desejo, um plano, para que tudo saia ao contrário. Às vezes sinto-me desalentada.
Quisera chorar e fazer minha vontade; porém, digo a mim mesma: é este o papel que deve fazer uma carmelita? Não. Adiante.
E preciso o sacrifício, a renúncia à própria vontade para chegar à união completa com Nosso Senhor.
Minha resolução de retiro foi sacrificar-me por todos. Quanto custa, às vezes, este sacrifício continuado! Reze muito, Madre, para que eu seja muito fiel a Nosso Senhor. Caio muitas vezes, porém Nosso Senhor me dá a mão para levantar-me e me auxilia com sua graça nas lutas que sustento.
Já é quase certo que irei ao campo com Elisita para dar mis­sões em sua fazenda. Nós iremos dia 28 deste mês. Encanta-me.
Seguiremos, enquanto for possível, o regulamento de uma carmelita.
Creio que começam a perceber que tenho vocação, pois querem que eu saia mais. Tenho de dissimular melhor, pois quando souberem farão uma grande campanha contra (Santiago, 15-10-1918).

SINTO MAIS QUE NUNCA O SEU CARINHO

Para evitar o trauma que poderia causar a Rebeca uma separação, apela para a bondade de uma amiga (Carta sem data).
Asseguro-te que parte minha alma vê-la sofrer tanto. E sou eu a causa de seus sofrimentos. A ideia da separação preocupa-a demasiado, pois ela sabe tudo.
Não podes imaginar o que sinto neste instante. Rebeca pediu-me, por favor, que te conte tudo para que ela possa conversar contigo sobre os seus projetos para o próximo ano, os quais estão ligados à minha pobre pessoa. Enfim, como esta separação é sua constante preocupação, quer ter uma confidente que saiba o meu segredo. E tu serás este anjo de consolação.
Neste instante sinto maior do que nunca o seu carinho. Quando se deixa aquilo que se ama, parece que o coração sente-se mais apegado. Porém meu ideal é grande e vou cumpri-lo de toda maneira. Assim é a vida. É uma contínua tempestade que nos põe a cada instante em perigo de soçobrar. Como custa chegar ao porto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário