Busca no Blog

20 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

JESUS DE TERESA

Meu único desejo é ser cada dia mais de Nosso Senhor. Eu sei o quanto sou indigna, entretanto aspiro ser como uma Sta. Teresa de Jesus, para que ele possa dizer-me que é Jesus de Teresa (São Paulo, 24-2-1919).
Contemplo a Santíssima Trindade dentro de minha alma como um imenso foco de fogo e luz no qual, por sua muita intensidade, não posso penetrar, nem olhar. Ali vejo a Santíssima Virgem, aos anjos e santos. E me vejo a mim, criatura miserável, confundida e aniquilada diante de sua Divina Majestade e me uno aos louvores que lhe tributam todos no céu.
Deus, sem palavras, às vezes, me dá a conhecer sua vontade.
Outro dia falou-me da pobreza. Disse-me que tratasse de não possuir nem vontade, nem julgamento. Que não estivesse apegada a nada. Tudo isto foi sem palavras, pois fazia-me entender interiormente e fez-me compreender que estou apegada ao fervor sensível.
Que eu fazia consistir a união divina no amor sensível, mas ela consiste em imitar suas divinas perfeições para assemelhar-me a ele cada vez mais, e em sofrer muito por seu amor para ser crucificada
como ele (São Paulo, 27-2-1919).

CONTINUAMOS DANDO-LHES AULAS

Tivemos missões. Nós duas, eu e Rebeca, dávamos catecismo.
Reuniam-se mais de 50 meninos. E depois das missões continuamos dando-lhes aula todos os dias, porque o povo daqui é muito igno­rante. Parece que pouco ou nada lhes ensinam na escola pública.
Hoje organizamos, para os meninos, brincadeiras e jogos. Asseguro-te que os pobrezinhos se divertiram. No domingo anterior fizemos teatro. Ficaram encantados. E depois, para terminar, fizemos uma rifa.
É muito divertido este povo porque não estão acostumados a ter patrões pois quase todos são proprietários, e todos se tratam com orgulho entre si. Assim é que se encantaram porque não os tratamos assim.
Todos estes dias saímos a cavalo para consagrar as casas ao Sagrado Coração. Conseguimos em 21 casas. Com que amor e gosto o faço. Porém que pena me dá porque meu Jesus não pode alojar-se em todas (São Paulo, 2-3-1919) .

ESPÍRITO DE REPARAÇÃO

Muito lhe agradeceria o envio de uma ampla explicação da Reparação Sacerdotal, pois, embora eu já pertença a ela, não me explicaram bem. E eu, como desejo ser carmelita - a qual se propõe rogar pelos pecadores - tenho verdadeiros desejos de encher-me completamente do espírito de reparação, e creio que isto agradará a Nosso Senhor porque sofro muito pelas ofensas daqueles que são chamados a ser seus verdadeiros e íntimos amigos e muitas vezes o esquecem.
Quanta pena senti no fundo de minha alma ao ver sacerdotes indignos de tal nome! E há muito tempo oferecia uma vez por semana a comunhão e a missa para rezar e reparar por eles.
Eu, que hei de permanecer sempre aos pés do Tabernáculo, me esforçarei - asseguro-lhe - por consolar a Nosso Senhor das ofensas de seus ministros. A carmelita é irmã do sacerdote. Ambos oferecem uma hóstia de holocausto pela salvação do mundo. Santifica-se a si mesma para que o sangue do Divino Prisioneiro que recebe ela em sua alma por estar sempre mais unida a ele circule pelos demais membros do corpo de Cristo. Santifica-se a si mesma para santificar os seus irmãos (sem data, 1919).

Nenhum comentário:

Postar um comentário