Busca no Blog

7 de setembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

O ÚNICO CAPAZ DE ENAMORAR-ME

26 de maio. Confessei-me. Gozei da paz que havia três meses não encontrava. Pregaram maravilhosamente sobre a educação que consiste no domínio das faculdades por Deus. A educação da mulher é mais importante que a do homem, pois ela o formará.
7 de junho. Hoje faz um ano que recebi a medalha de Filha de Maria. Oh! que graças concedeu-me minha Mãe! Penso como não me tomei louca de amor por Jesus. Quão pouco o amo em comparação do que ele me ama. Como não fico louca por ele?
8 de junho. Madre Esquerdo está aborrecida comigo. Já não é a mesma de antes para comigo. Eu lhe conservo o mesmo carinho e confiança. Isto me magoa. Por que, Jesus meu, colocas este gelo em redor do meu pobre coração? Ah! é porque me amas. Queres cercar-me só do teu amor, para que não me apegue a ne­nhuma criatura; pois se as almas regaladas, escolhidas, santas, esquecem e são indiferentes, como serão as outras pessoas? Só tu, Jesus, és o único capaz de enamorar-me.

TREVAS EM MINHA ALMA

Penso fazer um regulamento. Levantarei cedo para fazer uma hora de oração. Essa hora para mim é, às vezes, um céu; porém, outras vezes, há tantas trevas em minha alma, que não descubro nela o meu Jesus. Todo este ano, com exceção de alguns dias, minha oração e comunhão foram assim.
Nosso Senhor quis provar-me durante o transcurso deste ano. Sofri bastante sem ter a quem recorrer. Tive muitas dúvidas a respeito de minha vocação de carmelita. Dúvidas também a respeito da fé, de tal maneira que às vezes me perguntava se existia Deus, pois sentia-me completamente abandonada por ele. Olhava meu crucifixo e tudo me parecia uma quimera. Chorava e implorava o auxílio da Virgem e ela também não me socorria. Até que Nosso Senhor se compadeceu e deixou ouvir sua voz interiormente, e imediatamente cessou tudo e fiquei inundada de paz. Eu quero sofrer essas securas para que outras almas sintam o atrativo pela comunhão e a oração. Além disso, mereço tudo isto, pois sou tão ingrata com Nosso Senhor.
Meu estado habitual é de uma secura espantosa. Na comunhão não sinto o menor fervor sensível. Entretanto, mesmo não sentindo esse atrativo, não deixei de comungar (Santiago, 18 e 25-6-1918).

CRIANÇA MIMADA POR JESUS E MARIA

Falta um mês para eu sair do colégio, pois como se casou minha irmã mais velha, vão tirar-me. Tenho pena de sair, pois gosto das madres e me encanta o estudo, e também me levarão a frequentar a sociedade.
Quero agora preparar-me para resistir aos enganos do mundo. Asseguro-lhe que temo, pois sinto-me muito débil de caráter. Enfim ponho-me nos braços da Santíssima Virgem e peço-lhe todos os dias que, se hei de ser infiel a Nosso Senhor, que ela me leve antes de sair do colégio. Se Jesus e minha Mãe me livraram de tantos perigos até agora, será que me abandonarão no momento mais terrível? Não. Amaram-me, protegeram-me como a criança mimada, toda a minha vida (Santiago, 18 e 25-6-1918).
Estou contente, feliz e muito agradecida a Nosso Senhor e à Virgem, porque todos comungaram este ano. Jesus meu, és o Jesus de Betânia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário