Busca no Blog

20 de novembro de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 207

PÃO E PARAÍSO

S. Filipe Néri, numa excursão fora de Roma, viu um camponês que arava o seu campo. Cumprimentou-o amavelmente, como quem queria um dedinho de prosa, e disse:
— Amigo, que é que está fazendo?
— Trabalhando, padre. Preparo a terra para plantar.
— Oh! sim, trabalha porque espera uma bela colheita... Deus lhe dê uma muito abundante; mas diga-me: É só por isso que trabalha?
— Não, padre; tenho mulher e filhos. Trabalho para eles.
— E por outro motivo, não?
— Sim: há anos que tenho a esperança de fazer alguma economia e comprar uma casa...
— Ótimo, meu amigo! mas espero que trabalhe por outro fim também...
— Mas qual, padre? Talvez para beber todos os domingos quatro copos do nosso excelente vinho romano?
— Bem! Bem! não tinha pensado nisso. E não trabalha, então, por nenhum outro fim?
O camponês olhou para o padre, como que dizendo: que eu saiba, nenhum outro fim...
— Então, meu amigo, você não trabalha para o céu? Bom homem, filhos e mulher, casa e vaquinha não o acompanharão ao outro mundo. Diga a Deus que aceite as suas fadigas, as suas penas, o seu trabalho, enfim, pela salvação da alma, por um cantinho no Paraíso, e Deus o recompensará. Recorde-se sempre, meu amigo: Pão e Paraíso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário