Busca no Blog

29 de julho de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth.

Conferência XVI


Conferência XVI


Parte 7/10


C - Ao lado da obediência e do respeito à autoridade, é preciso dar grande importância à franqueza absoluta do filho. Que alegria para os pais se podem confiar em cada palavra do filho! A franqueza é a base da educação do caráter, e ao contrário nada se tem a fazer com um filho mentiroso.
a - E aqui, preciso indicar de modo especial dois defeitos na educação. Primeiramente a severidade injustificada dos pais pode habituar o filho à mentira. Sim, tem-se o direito de punir, como já disse, a má vontade, mas não a falta de jeito, as travessuras e outras criancices. Nem sobretudo a franqueza. Se o filho confessa francamente a sua falta, é preciso falar à sua consciência, adverti-lo, mas não se tem o direito de o punir pela sua sinceridade.
b - Outro defeito que se apresenta é quando os próprios pais pecam contra a verdade. 
Uma filha diz a sua mãe: Mamãe, estão pedindo, na escola, para as crianças pobres. Posso também dar alguma coisa?
A mãe responde-lhe: Tu não darás nada. Dirás à Irmã que também somos pobres.
Na manhã seguinte diz novamente a filha: Mamãe, a Irmã disse para eu não tomar lições de dança, e não esbanjar o dinheiro de nossos pais.
A mãe responde: Dirás à Irmã que temos o suficiente para pagar as lições. Isto não a interessa.
E a mãe ficará muitíssimo admirada, quando um dia a filha mentir não só à Irmã, mas também a ela?

Nenhum comentário:

Postar um comentário