Busca no Blog

4 de março de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 69

AS MULHERES DE VINSPERG

O fato é histórico. Conrado III sitiava a praça de Vinsperg, defendida por Guelfo, duque da Baviera. O cerco era tão apertado que, dentro da cidade, os habitantes passavam fome. Não havia outro recurso: ou render-se ou sucumbir.
Uma tarde, abre-se urna porta da fortaleza e, precedida de uma bandeira branca, surge uma procissão melancólica que se dirige ao campo inimigo. São as mulheres de Vinsperg, desgrenhadas, pálidas, que querem parlamentar com o Imperador. Reunidas em sua presença, falou uma em nome das outras:
— Senhor, a guerra não deve cevar-se em seres indefesos, como nós mulheres; os homens é que lutaram; perdoai as mulheres e permiti, que elas se retirem da fortaleza.
— Concedo, respondeu o Imperador: amanhá, ao sair o sol, abandonareis a cidade!
— Já que sois tão bom, pedimos a V. Majestade mais uma graça: como lembrança de nossa cidade, deixai-nos levar cada uma o que mais ame de tudo que tem no seu lar.
— Concedo, disse Conrado; pode levar cada uma o que mais amar e estimar.
Na manhã seguinte, as forças sitiantes, estão formadas em duas filas. Soam os clarins. Conrado quer render homenagem as mulheres que vão retirar-se da fortaleza. Faz-se um silêncio solene. Abrem-se as portas e aparecem as mulheres. O imperador fica atônito diante daquele espetáculo: vê cada uma das mulheres levando as costas o próprio marido...
Os soldados prestam continência. O Imperador se admira diante daquela prova de amor conjugal.
Homens e mulheres são perdoados e admitidos novamente as boas graças do Imperador.
Parece que, também hoje em dia, muitos maridos só se salvarão pelas orações e sacrifícios de suas virtuosas esposas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário