Busca no Blog

10 de março de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 72

PEDRAS DE MARMORE

Conta-se que em Gênova, a soberba cidade dos ricos e famosos cemitérios, vivia uma velha vendedora de frutas, cujo maior desejo e máxima aspiração era ter, depois da morte, um formoso mausoléu. Para esse fim passava a vida ajuntando centavo por centavo, economizando, impondo-se inúmeras privações e vivendo miseravelmente.
Ajuntara, afinal, a soma necessária e, após a morte, teve realmente a sua pedra de mármore, o seu ambicionado e rico mausoléu.
Que tristeza! O fruto de todo aquele trabalho, de toda aquela vida não ia além de uma pedra para a sepultura! Que vaidade louca!
E, todavia, a maior parte dos ricos e mormente dos avarentos não são ainda mais néscios? Não vivem trabalhando, lutando e economizando para que outros, depois de sua morte, gozem de suas economias, desfrutem suas riquezas? E eles com que se contentam? Com alguns pedaços de pedras, a que pomposamente se dá o nome de mausoléu!...

Nenhum comentário:

Postar um comentário