Busca no Blog

28 de março de 2016

A Santa Noite de Páscoa

Prezados Leitores, Salve Maria!

A Santa Noite de Páscoa

Estação em S. João de Latrão

1ª classe - Paramentos roxos e brancos

"A liturgia da noite pascal era, noutros tempos, das mais importantes do ano.
Durante a tarde de Sábado Santo, reunia-se a assembleia cristã na igreja de S. João de Latrão, para o último escrutínio dos catecúmenos. Depois a noite, começava a vigília ou velada pascal, que terminava ao romper da alva, com o batismo solene: submergidos ou sepultados com Cristo nas águas batismais, os neófitos nasciam para a vida da graça, à hora, em que o Salvador saíra triunfante do túmulo, ao alvorecer do dia de Páscoa. Seguia-se a missa; toda a comunidade dos fiéis celebrava o sacrifício da Redenção, em ação de graças e na alegria da Ressurreição.
No século XIII, começou a celebração da vigília pascal a ser antecipada para a manhã de sábado. Foi preciso esperar pela segunda metade do século XX para ver resposta no seu verdadeiro lugar. Celebra-se a hora que permita começar a missa à meia noite; mas, por motivos pastorais, podem os bispos autorizá-la desde o crepúsculo ou o pôr do Sol. A ausência de toda a função litúrgica da parte de manhã, sublinha o caráter alitúrgico deste dia inteiramente votado ao luto, em memória da sepultura de Jesus. É somente em plena noite, à hora em que o Salvador venceu a morte, que explode a alegria dos fiéis, empunhando uma vela, que se acendeu na chama do círio pascal, figura d'Aquele que á a luz do mundo. Renovando, nesse momento, as promessas do batismo, renascem todos para uma vida nova com o divino Ressuscitado. A comunhão pascal vai uni-los ainda mais intimamente ao Primogênito de entre os mortos, que os conduzirá consigo para o Pai, nesta "passagem", cujo aniversário festivamente celebram.
O Ofício da vigília pascal divide-se em duas partes:
1. A mensagem de Páscoa: benção do lume novo e do círio pascal, solene procissão de entrada na igreja, proclamação da mensagem pascal.
2. A regeneração batismal: leituras bíblicas de iniciação cristã, ladainhas e benção da água batismal, batismo e renovação das promessas do batismo. Este Ofício prepara-nos para a missa da noite de Páscoa."

A Mensagem de Páscoa

Benção do Lume Novo

"Realiza-se esta primeira cerimônia à entrada da igreja, de preferência do lado de fora; não sendo isso fácil, da parte de dentro, mas junto da porta.
O celebrante, revestido de alva, estola e capa roxa, faz o sinal da cruz, e benze primeiro o lume novo"







Benção do Círio Pascal

"Seguidamente, procede à benção do círio pascal.
Com um estilete, o celebrante grava no círio uma cruz, as letras Alfa e Ômega (primeira e última do alfabeto grego) e os quatros algarismos do ano corrente.
O celebrante asperge e incensa os cincos grãos de incenso, que em seguida espeta no círio pascal, em forma de cruz.
O diácono apresenta, depois, uma vela acesa no lume novo, e com ela acende o círio pascal.
Em seguida, benze o círio pascal."






Solene Procissão de Entrada

"Igreja completamente às escuras. Uma luz apenas: a do círio pascal, símbolo de Cristo. Organiza-se a procissão para a capela-mor, indo à frente a cruz. Atrás dela, o diácono, revestido de dalmática branca, com o círio. Depois, o clero e, por fim, os fiéis. Por três vezes para a procissão: à entrada da igreja, ao meio e na capela-mor. De cada vez, o diácono, de pé, levanta o círio pascal, e canda cada vez um tom mais lato: Lumen Christi. - Eis a luz de Cristo!









Proclamação da Mensagem Pascal

"O diácono coloca o círio no meio da capela-mor e pede a benção para cantar o Exsúltet.
O diácono responde Amem e dirige-se, com o livro, para a estante; incensa-o, vai de roda do círio pascal, incensando-o também, e depois canta o Exsúltet. Canta a noite ditosa, que foi testemunha da saída do povo de Deus do Egito, guiado pela nuvem e iluminado pelo resplendor de Cristo."












A Regeneração Batismal

"Por meio de leituras escolhidas entre as melhores páginas do Antigo Testamento, completa a Igreja a preparação dos catecúmenos para a recepção do sacramento do batismo. Acompanhadas das admiráveis orações, que lhes servem de comentário, estas leituras recordam o grandioso plano de Deus na obra da nossa Redenção; proclamam a regeneração em Cristo: nova criação, passagem do Mar Vermelho, figura do batismo, incorporação dos cristãos na Igreja"

Leituras

"Concluído o Elogio do círio pascal, o diácono depõe os paramentos brancos, pega nos roxos e vai-se pôr ao lado do celebrante.
Celebrante e assistentes escutam, sentados, as leituras e cantos, que se lhes seguem. Todos se levantam para as orações. No momento em que o diácono diz: Flectamus génua, todos, todos se ajoelham e oram uns instantes, em silêncio. Todos se levantam, quando o diácono disser: Levate."

Benção da Água Batismal











































Renovação das Promessas Batismais

"O celebrante incensa primeiro o círio pascal e, de pé, diante dele ou num ambão, dirige-se aos fiéis."













Missa da Noite de Páscoa

"A Santa Igreja, depois de nos ter feito reviver a graça do batismo, convida-nos a oferecer com ela o santo sacrifício da missa. É a ação de graças dos remidos: no mistério da celebração eucarística, oferece a Deus o sacrifício do Calvário, em que o Cordeiro Pascal, imolado para a salvação do mundo, nos obteve a Redenção.
Esta missa canta a alegria da Ressurreição. Entoado o Glória in excélsis, tocam o órgão e os inos, que se tinham calado desde Quinta-Feira Santa. Depois da epístola, sente-se a alegria transbordar, à tríplice entoação do Alleluia, cantado pelo celebrante e repetido pela assembleia, seguido logo pelo entusiástico Confitémini e Salmo Laudáte, em que a alegria pascal não conhece limites."










































Nenhum comentário:

Postar um comentário