Busca no Blog

12 de maio de 2017

Tesouro de Exemplos - Parte 363

UM OLHAR DE MÃE

Um estudante, tendo abandonado pouco a pouco todas as práticas religiosas, tornou-se tão ímpio e perverso que um dia caiu nas malhas da justiça e foi metido na prisão em Coblenga.
A infeliz mãe, viúva, passava o tempo a chorar; mas o filho ingrato não dava nenhum sinal de arrependimento. A pobre senhora, tendo adoecido gravemente, pediu ao diretor da prisão lhe permitisse ver. o filho ao menos por alguns instantes. No dia previsto, alguns soldados conduziram o prisioneiro ao quarto da mãe que estava nas últimas. Logo que ele entrou, a mãe dirigiu-lhe um olhar penetrante e severo e, em seguida, deu-lhe sinal para que se retirasse. O rapaz não se mostrou comovido; mas, reconduzido ao cárcere, não conseguia esquecer aquele olhar silencioso porém penetrante de sua mãe agonizante, e eis que começa a refletir: “Meu Deus, se o olhar irado de minha mãe me fez tamanha impressão, que não será, então, o olhar severíssimo do Juiz eterno, quando tiver de apresentar-me a ele? É tempo, pois, de emendar-me e reparar o mal que tenho feito".
Cumprida a pena, e posto em liberdade, entrou num convento e tornou-se missionário zelosíssimo. Chamava-se Pe. Stasslacher e, várias vezes, do alto do púlpito, ele mesmo contou, para edificação dos ouvintes, o que acabamos de referir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário