Busca no Blog

22 de agosto de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth

Conferência XVII


Parte 5/9


B - Mas, dirão alguns, é razoável que a Igreja, hoje, ainda faça brilhar esta imagem ideal do casamento quando deveria Ela ver bem quanto a realidade é muito outra? Quando deveria ver a que distancia medonha do ideal da Igreja está a fria realidade ? 
a - De fato ninguém sofre mais que a Igreja de Cristo o grande abismo que se estende, no domínio do casamento, entre o ideal cristão e a triste realidade. E não se pode sequer tirar um iota a este ideal cristão. Pois há valores e consequências absolutas, a propósito das quais não se pode nem resgatar, nem tergiversar, mesmo que ninguém os observe no mundo inteiro.
Vou repetir uma comparação tantas vezes citada. suponhamos que por uma causa qualquer todos os pêndulos do mundo se desconcertem, e andem mal, ter-se-ia por isso o direito de retificar o sol, e colocar sua marcha de acordo com a dos pêndulos? Não seria, porventura, mais necessário, nesta circunstâncias, ter o sol como ponto de mira, a fim de que haja ao menos um ponto seguro, pelo qual se regulariam os pêndulos, se um dia eles caminhassem novamente?
Depois do pecado do primeiro homem o ideal nunca existiu na terra, a realidade sempre esteve longe do ideal. Mas enquanto viver e brilhar acima de nós a imagem do ideal a vida será mais suportável. Cairá ela, porém, na ruína definitiva e se tornará intolerável, se o perdermos.
b - Compreendemos, agora, por que a Igreja Católica novamente luta de modo sobre-humano em favor do ideal cristão que se realiza perfeitamente na indissolubilidade do casamento. Compreendemos por que ela considera como pupila dos olhos a pureza da vida conjugal, que ela guarda, defende, e fortifica com uma solicitude toda particular. Eis por que na família ela defende a fonte secreta, onde se renova constantemente a raça humana, e de onde surgem sem cessar novos membros para o corpo místico de Cristo. Se a família desaparecesse da terra, que terrível queda aniquilaria a sua lembrança, se a Igreja de Cristo não se pusesse ao lado dela com suas palavras diretrizes, seu amor cheio de solicitude, e muitas vezes também com seu braço vingativo e ameaçador.
Não há talvez questão que mais tenha atraído ataques à Igreja, do que a do casamento, por causa de sua atitude intransigente. Por causa desta atitude, muitos deles se afastaram da Igreja loucamente, ou de modo revoltante. Tempo virá em que toda a humanidade será reconhecida à Igreja, por ter mantido, com uma coragem inabalável, a indissolubilidade e unidade do casamento. Porque se é a verdade que a civilização é o resultado da vida familiar, e que se pode saudar a família como o último degrau da civilização, então se vê claramente o quanto ela deve ao cristianismo pelo que ele fez e faz ainda em defesa da família.
Não seria compreensível que na crise atual da família a nossa legislação civil adotasse as diretrizes de nossa Igreja milenária, que tem tanto valor a respeito da célula fundamental da vida social, para a consolidação da vida familiar do que qualquer outra questão?

Nenhum comentário:

Postar um comentário