Busca no Blog

27 de outubro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

SÓ JESUS É BELO

Agora, no noviciado, quase não podemos escrever o estado de minha alma é tal que não o posso definir num dia trevas, distrações e grande sofrimento de não amar a Nosso Senhor e de não poder vê-lo noutro dia, posso recolher-me na fé, porém não sinto nada. A estas trevas sucede-se um pouco mais de luz, com o que se aumenta o meu tormento.
Uma vez senti a Nosso Senhor a meu lado cumulando-me de suavidade e de paz, e imediatamente me senti consolada. Estive algum tempo com ele e depois foi como se ele tivesse saído, e deixei de sentir essa suavidade. Diga-me, Padre, são ilusões ou não?
Pois não posso crer que Nosso Senhor se aproxime tanto de mim sendo eu uma miserável pecadora.
Nesta pobre celinha, tão vazia agora, muitas vezes senti sua presença divina. Às vezes se me representava tão cheio de formosura e ternura, como não é possível descrever. Creia-me, tudo me causa um mal-estar horrível; quando vejo que encontram algo formoso e se alegram com isto, eu me digo: "Não é Jesus! Só ele é formoso! Só ele pode me dar gozo. Eu o chamo, choro e o busco dentro de minha alma. Estou faminta de comungar, porém ele se manifesta a mim. Reconheço que mereço tudo isto por meus pecados, e quero sofrer. Quero que Jesus me triture interiormente para ser hóstia pura onde ele possa descansar. Quero estar sedenta de amor para que outras almas possuam esse amor que esta pobre carmelita tanto deseja".
Rogue por sua pecadora. Que eu morra para as criaturas e para mim mesma, para que ele viva em mim. Diga-me como devo amar o próximo em Deus (10-9-1919).

O HOMEM-DEUS

Há algo bom, belo, verdadeiro que possamos conceber onde Jesus não esteja? Sabedoria, para a qual não há segredo. Poder, para o qual nada existe impossível. Justiça, que o faz encarnar-se para satisfazer o pecado. Providência, que sempre vela e sustenta.
Misericórdia, que jamais deixa de perdoar. Bondade, que esquece as ofensas de suas criaturas. Amor, que reúne todas as ternuras da mãe, do irmão, do esposo e que fazendo-o sair do abismo de sua grandeza, o liga estreitamente a suas criaturas. Beleza que extasia. Que outra coisa podes imaginar que não esteja realmente em grau infinito neste Homem-Deus?
Temes acaso que o abismo da grandeza de Deus e o de teu nada jamais possam unir-se? Existe nele o amor. E esta paixão o fez encarnar-se para que, vendo a um Homem-Deus, não temessem aproximar-se dele. Esta paixão o fez converter-se em pão para poder assimilar e fazer desaparecer o nosso nada em seu Ser infinito.
Esta paixão o fez dar sua vida, morrendo morte de cruz.
Temes aproximar-te dele? Olha-o rodeado de crianças. Ele as acaricia e estreita contra o coração. Olha-o no meio de seu rebanho fiel, carregando sobre seus ombros a ovelha infiel. Olha-o junto ao túmulo de Lázaro. E ouve o que diz à Madalena: "Muito lhe foi perdoado porque amou muito". Que descobres nestas páginas do Evangelho, senão um Coração bom, doce, terno, compassivo, um Coração, enfim, de um Deus? (carta sem data) .

Nenhum comentário:

Postar um comentário