Busca no Blog

16 de outubro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

NA FONTE DO AMOR

Muitas vezes te disse: quando quero é para sempre. Sobretudo uma carmelita jamais esquece. De sua celinha acompanha as almas que amou no mundo.
Venho do coro, onde passei uma hora perdida na Fonte do Amor. Quisera, minha amiguinha, fazer-te participar de minha felicidade.
Já não vivo senão para Deus. Todas as pequenezas da vida do mundo desapareceram. Agora só vejo o grande, o eterno, o infinito. Lá tudo era para .mim desassossego, perturbação, vazio.
Aqui tudo é paz, tranquilidade, satisfação completa com meu Deus.
Ele é o único Bem que nos pode satisfazer o único ideal que nos pode enamorar eternamente. Encontro tudo nele. Gozo até o íntimo ao vê-lo tão formoso, de sentir-me sempre unida a ele.
Sua essência divina é minha vida. Deus a cada momento me sustenta, me alimenta. Tudo quanto vejo fala-me de seu poder infinito e de seu amor. Unindo-me ao seu Ser divino, santifico-me, aperfeiçoo-me, divinizo-me.
Amemos loucamente a Deus, já que ele em sua eternidade nos amou. Sem necessidade de nós nos criou. Toda a obra de seu poder foi dirigida para o homem. Pôs tudo à nossa disposição.
Deu-nos seu unigênito Filho. Deus se fez criatura. Padeceu e morreu por nós. Deus se fez alimento de suas criaturas. Aprofundaste alguma vez esta loucura infinita de amor? Dói-me a alma ao ver que o Amor não é conhecido. Abismo-me em sua grandeza e em sua sabedoria. Porém, quando penso em sua bondade, meu coração não pode dizer nada: eu o adoro (agosto de 1919).

AO PREÇO DE SANGUE

Já faz três meses que deixei tudo para seguir a voz de Deus.
Em seguida, encontrei o sacrifício maior da vida. Contudo, encontrei a felicidade mais completa, a única verdadeira aqui na terra.
Agora que me encontro só com o Deus-Amor, parece-me nada tudo quanto fiz para conquistar esta solidão tão querida, onde a alma só possui a Deus. Minha vocação me é tanto mais querida quanto mais me compenetro dela. A verdadeira carmelita, segundo entendo, não vive; é Deus que vive nela. Isto é o que eu procuro realizar: contemplar incessantemente o Ser divino, perdendo meu nada criminoso em seu oceano de caridade. Isto é o que Jesus quer de mim: renúncia e morte de meu ser para que ele viva em mim (14-8-1919).
Esta felicidade se compra ao preço do sangue do coração.
Pois não nego que o romper dos laços de famílias custa muito.
Contudo, creia que se fosse possível voltar atrás e ter de fazer novamente o sacrifício, creio que, ainda que eu tivesse que passar pelo fogo, eu o faria; pois nada são os sacrifícios efetuados se os compararmos com a dita de ser carmelita. Creia-me, para chegar a este ceuzinho é preciso deixar de lado o que sentimos e seguir o impulso da fé (14-9-1919).

Nenhum comentário:

Postar um comentário