Busca no Blog

1 de julho de 2021

Os Segredos de La Salette - 1

Em 19 de setembro de 1846, duas crianças, Maximino Giraud e Melânia Calvat, originários de Corps no departamento do Isère, na França, pastoreavam as suas vacas nos arredores do lugarejo de La Salette.

O texto que leremos abaixo descreve a aparição de Nossa Senhora que as duas crianças tiveram e o segredo que a Virgem lhes revelou. Apresentamos antes alguns dados sobre a principal vidente.

Quem era Melânia Calvat

Resumidamente, a vidente de La Salette nasceu em 7 de novembro de 1831, na região de Isère, França. Sua mãe era um pouco frívola, gostava de bailes e espetáculos. O pai, pedreiro de profissão, era homem religioso, dedicado no ensino das verdades de fé aos seus filhos. Melânia conheceu desde seus três anos de idade a perseguição de sua mãe, que a desprezava. Vivia no silêncio e sentia-se atraída pelo bosque que havia próximo de sua casa. A pequenina não conseguia ir muito longe, mas um menino de sua idade dava-lhe a mão para ajudá-la. Mais tarde, já indo com suas próprias pernas ao bosque, o menino disse-lhe: "Eu sou teu irmão e tu és a irmã do meu coração". Eis o que a própria nos explica: "Durante mais de vinte anos, meu amado Irmão deixou-me ignorar que era Jesus e eu, com toda a ingenuidade e simplicidade acreditei que ele era meu irmão e eu sua irmã". Mal chegada aos sete anos, Melânia tornou-se pastora. Pequena de estatura para a sua idade, ela era mais séria que as outras crianças e também mais calada. Às pessoas que lhe perguntavam o nome, respondia que se chamava Irmã e logo todos a chamaram assim. Estivera na escola só pouco tempo e nem mesmo tinha aprendido a conhecer as letras. Não falava e não entendia senão o dialeto. Da escola não gostava porque se fazia ali muito barulho e as lições da aula não propunham coisas bonitas. Por outro lado, o seu pequeno Irmão lhe havia dito: “O que eu vos recomendo é fechar bem o vosso coração a todos os ruídos do mundo; não escuteis o que o mundo diz, não façais o que faz, não creiais no que ele crê”. Aos sete anos a menina inicia sua vida de pastora, sendo contratada por uma família do local para cuidar de suas vacas. Ela costumava pastorear na companhia de Maximino Giraud, que trabalhava para uma fazenda vizinha. É assim que, em 19 de setembro de 1846, os dois recebem a visita da Virgem Maria.

Seria muito longo para o nosso intento relatar toda a vida de Melânia, seu trabalho para cumprir o que a Mãe do Céu havia pedido, as perseguições que sofreu, sua vida religiosa e sua morte solitária e sofrida. Em breve estaremos com este texto disponível num livreto. O que queremos aqui é trazer o segredo que Nossa Senhora confiou a Melânia e Maximino, pondo em evidência a crise terrível que assola a Igreja nestas últimas décadas. Não é de se espantar que este segredo tenha sido apagado de todas as referências à La Salette, inclusive no próprio Santuário. Mas a Santa Igreja aprovou e confirmou o caráter sobrenatural destas aparições.

Aprovações de Roma

Por meio de uma pastoral doutrinária de 19 de setembro de 1851, Mgr. de Bruillard, bispo de Grenoble, após pesquisa aprofundada, concluía pela realidade milagrosa da aparição e autorizava as peregrinações a La Salette. Tendo recebido a aprovação de Roma, em 7 de outubro de 1851, ele mandou construir um santuário dedicado a Nossa Senhora de La Salette e para o serviço dele, agregou-lhe um estabelecimento de missionários. No Congresso Mariano de 1904, a aparição de La Salette foi qualificada como o maior acontecimento religioso do século XIX. São Pio X insistia muito para que sua causa de beatificação fosse introduzida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário