Busca no Blog

4 de outubro de 2016

Columba Marmion - Jesus Cristo nos seus mistérios.

I

É  principalmente no Evangelho que devemos procurar o conhecimento de Jesus e dos Seus estados.
Estas páginas sagradas inspiradas pelo Espírito Santo contêm a narração e os ensinamentos da vida
de Jesus na terra. Estas páginas tão simples e sublimes, basta lê-las, mas lê-las com fé, para vermos o próprio Cristo. A alma piedosa que, na oração, percorre frequentemente este livro único, consegue pouco a pouco conhecer Jesus e  os  Seus mistérios, penetrar os segredos do Seu sagrado Coração, compreender a magnífica revelação de Deus ao mundo que é Jesus:  Qui videt me, videt et Patrem. Deste livro inspirado irradia uma luz e uma força que ilumina e fortalece os corações
retos e sinceros. Feliz da alma  que  todos os dias o abre! Bebe na própria fonte das águas  vivas.
Outra maneira de conhecer os mistérios  de  Jesus é associar-se à Igreja na sua Liturgia.
Antes de voltar para o céu, Jesus Cristo  disse  aos Apóstolos, sobre os quais fundou a Sua lgreja: «Foi- me dado todo o poder no céu e na terra...  Eu vos envio, como o meu Pai me enviou a mim... Quem vos ouve, a mim ouve»...  E aqui está por que a Igreja é como o prolongamento da lncarnação através dos séculos : ela faz as vezes de Jesus junto de nós : do
seu celeste Esposo herdou a ternura divina : d'Ele recebeu como dote, com o poder de santificar as almas,  as riquezas da graça adquiridas por Jesus na Cruz, no
dia dos seus místicos esponsais.
Pode-se, portanto, dizer da Igreja, guardadas as devidas proporções, o que o seu Esposo dizia  de  Si mesmo: é para nós o caminho, a verdade e a vida. - O caminho, porque não podemos chegar a Deus senão por Jesus Cristo, e não podemos estar unidos a Cristo se não formos incorporados (de fato ou de desejo) na Igreja pelo Batismo. - A verdade, porque, com toda a autoridade do seu Fundador, ela conserva em depósito e propõe à nossa crença as verdades que a Revelação nos trouxe. - Finalmente a vida, porque, pelo culto público que só ela tem o direito de organizar, pelos Sacramentos que só ela administra,  dá  às almas e nelas alimenta a vida da graça.
Já vedes que a nossa santificação cresce na medida em que nos deixamos dirigir e instruir pela Igreja, pois Jesus diz à Esposa: «Quem vos ouve, a mim ouve» ;  e ouvir a Jesus não é ir ao Pai?
Sabeis que é sobretudo pela Liturgia que a Igreja educa a alma dos seus filhos. de modo a torná-los semelhantes a Jesus e realizar assim «aquela cópia de Cristo que é a forma da nossa predestinação».
Guiada pelo Espírito Santo, que é o próprio Espírito de Jesus, a Igreja desenrola todos os anos, aos
olhos de seus filhos, do Natal  à  Ascensão,  o  ciclo completo dos mistérios de Cristo, ora numa forma sumária, ora na sua ordem exatamente cronológica, como durante a semana santa e tempo pascal. Assim faz reviver, não de qualquer modo. mas numa representação animada e viva, cada um dos mistérios do seu divino Es­poso ; faz-nos percorrer cada uma das fases da Sua vida. Se nos deixarmos conduzir por ela, infalivelmente chegaremos a conhecer os mistérios de Jesus e sobretudo a penetrar os sentimentos do Seu divino Coração. E porquê?
A Igreja, que conhece o segredo do seu Esposo, destaca do Evangelho as páginas que melhor põem em relevo cada um dos Seus mistérios : depois, com uma arte perfeita ilustra-os com trechos dos Salmos, das Profecias, das Epístolas de S. Paulo e dos outros Apóstolos, com citações dos antigos Padres. Coloca assim numa luz mais viva, mais abundante, os ensinamentos do divino Mestre, os pormenores da Sua vida, a medula dos Seus mistérios.
Ao mesmo tempo, pela escolha das citações dos livros santos e dos autores sagrados, pelas aspirações que nos sugere, pelo seu simbolismo e seus ritos, desperta em nossas almas a atitude  requerida pelo sentido dos mistérios, faz brotar em nossos corações as disposições necessárias para que assimilemos ao máximo o fruto espiritual de cada um deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário