Busca no Blog

6 de junho de 2014

Preparação para a Morte

PONTO III
 
Consideremos, em terceiro lugar, que Maria Santíssima é advogada tão caridosa, que não somente auxilia aos que recorrem a ela, mas que vai procurando por si mesma os desgraçados para os defender e salvar.
Convida a todos, a fim de alentar-nos a esperança de todos os bens, se nos acolhermos sob sua proteção. “Em mim há toda a esperança de vida e virtude. Vinde todos a mim” (Ecl 24,26). “A todos nos chama, justos e pecadores”, exclama o devoto Pelbardo, comentando esse texto.
Anda o demônio ao redor de nós, procurando a quem devorar, diz São Pedro (1Pd 5,8). Mas esta divina Mãe, como diz Bernardino de Bustos, vai procurando sempre a quem possa salvar. Maria é Mãe de misericórdia, porque sua caridade e clemência a obriga a compadecer-se de nós e cuidar constantemente de salvar-nos, como mãe carinhosa, que não pode ver os filhos em risco de perder-se sem logo os socorrer.
E efetivamente, quem, depois de Jesus Cristo, tem mais cuidado da nossa salvação do que vós? exclama São Germano. São Boaventura acrescenta que Maria se mostra tão solícita em socorrer aos pecadores, que não parece ter outro desejo além deste.
Ela ajuda certamente aos que se lhe recomendam e a ninguém desampara. É tão benigna — exclama Idiota — que não repete a ninguém. “Mas isto não basta para satisfazer o coração terníssimo de Maria, disse Ricardo de São Vitor; ela antecipa-nos as súplicas e serve os nossos interesses, ainda antes de lhe pedirmos. E é tão misericordiosa que, onde vê misérias, acode logo e não pode ver ninguém necessitado sem socorrer. “Assim procedia na sua vida mortal, como bem se depreende do que sucedeu nas bodas de Caná, na Galiléia, quando faltou vinho, e ela, sem ser rogada por ninguém, vendo a aflição em que se achavam os jovens esposos, suplicou ao divino Filho que lhes poupasse aquele desgosto, dizendo: “Não têm vinho” (Jo 2,3), alcançando assim do Senhor que, milagrosamente, transformasse água em vinho.
Se a compaixão de Maria para com os aflitos era tão grande enquanto residia na terra, o seu desejo de nos socorrer — diz São Boaventura — é de certo maior agora, que reside no céu, donde vê melhor as nossas misérias e melhor se pode compadecer de nós”. E se Maria, sem ser rogada, se mostrou tão solícita em socorrer-nos, quanto mais atenderá aos que lhe dirigem os seus rogos!...
Não deixemos de recorrer a esta Mãe divina em todas as nossas necessidades, pois quem sempre a encontramos disposta a socorrer a quem a invoca, disse Ricardo de São Lourenço, porque, segundo afirma Bernardino de Bustos, a Virgem tem mais desejo de conceder-nos favores do que nós em recebê-los dela. Portanto, quando recorremos a Maria encontramo-la sempre cheia de misericórdia e de graças. É tão vivo esse desejo de nos fazer bem e de salvar-nos — diz São Boaventura — que se dá por ofendida, não tanto de quem positivamente a injuria, mas daqueles que lhe não pedem amparo e proteção. Ao contrário, salva a quantos se recomendam a ela, com firme vontade de se emendar, pelo que o mesmo Santo a chama Salvação dos que a invocam.
Recorramos, pois, a esta excelsa Mãe, e digamos-lhe com São Boaventura: In te, domina, speravi, non confundar in aeternum!... Ó Mãe de Deus, Maria Santíssima; porque em vós pus minha esperança, espero que não serei condenado.
 
AFETOS E SÚPLICAS
 
Aqui tendes a vossos pés, ó Maria, um infeliz escravo do inferno que vos pede misericórdia. E ainda que não mereça nenhum bem, vós sois a Mãe de Misericórdia, e a misericórdia se pode exercer com aquele que não a merece. Todo mundo vos chama esperança e refúgio dos pecadores, portanto sois meu refúgio e minha esperança. Sou uma ovelha tresmalhada; mas para salvar a esta ovelha perdida o Verbo Eterno veio do céu à terra e se fez vosso Filho e é ele que nos manda recorrer a vós e que me socorrais com vossas súplicas. Sancta Maria, Mater Dei, ora pro nobis peccatoribus... Ó excelsa Mãe de Deus, porque rogais por todos, orai também por mim. Dizei a vosso Filho que sou vosso servo e que me protegeis. Dizei-lhe que em vós pus minhas esperanças.
Dizei-lhe que me perdoe, porque me arrependo de todas as ofensas que lhe fiz, e que me conceda a
graça de amá-lo de todo o coração.
Dizei-lhe, enfim, que me quereis salvar, pois ele faz tudo o que lhe pedis...
Ó Maria, minha esperança e meu consolo, em vós confio! Tende piedade de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário