Busca no Blog

25 de fevereiro de 2021

 THESOURO DE PACIÊNCIA

DA PRISÃO DO SENHOR

MEDITAÇÃO VII

Depois de se ter condenado o Senhor Jesus á morte, foi remetido a Pôncio Pilatos. Atadas as mãos com duras cordas, cercado de armas, de soldados e de justiças, é conduzido o mansinho Cordeiro pelas ruas de Jerusalém. Aprende, alma minha, aprende do teu Deus a paciência para suportar essas prisões com que Deus te quer levar por este mundo: a uns prende o Senhor com as enfermidades, a outros com a pobreza, a outros com as ocupações, a outros com a desgraça, a outros com a religião, e a todos com a sua lei; mas não suspires por te ver livre destas prisões, deseja só a liberdade dos filhos de Deus; isto é, o ver-te livre das paixões e dos vícios, que estas são aquelas terríveis cadeias com que o mundo, o gênio, a criação e o demônio costumam oprimir-nos, embaraçar-nos e arrastar-nos para a nossa ruina. Desenganemo-nos por uma vez que só estas prisões, com que nos vemos obrigados a fazer o que nem queríamos nem devíamos, sô estas cadeias são pesadas, e só estas devemos forcejar, quanto nos for possível , para romper; porque são prisões a que corresponde o cárcere eterno: pelo contrario, a prisão em que Deus nos põe, seja qual for, sempre é suave, pois neste mundo lhe corresponde a liberdade do espirito e o desafogo de animo; e no outro a eterna liberdade de filhos de Deus e de reis coroados no Céu.


JACULA'l'ORIA.

Meu Deus, prendei-me como quiserdes, que não quero liberdade para ofender-vos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário