Busca no Blog

3 de fevereiro de 2021

Milagres que Fez Santo Antônio depois da sua morte - Segunda Parte - Capítulo XLVII

CAPÍTULO XLVII

Milagre que fez Santo Antônio a um senhor casado que desejava ter filhos

Era nobre e casado, mas vivia em tristeza, pois Deus não lhe dera a alegria de sequer haver um filho.

Acontecendo ouvir falar dos milagres que Santo Antônio fazia, meteu-se a caminho de Pádua para visitar seu sepulcro. E ao Santo fez promessa: desse-lhe Deus um filho, e todos os anos com ele havia de ali tornar.

E o caso é que, no regresso, sua esposa concebeu e depois, a seu tempo, veio o desejado bambino.

E a criança medrava, robusta e sadia; mas quando foi de sete anos, adoeceu. E, no dia de Santo Antônio, o pai, outra vez muito triste, foi sozinho a Pádua a cumprir sua promessa.

E enquanto andou a fazer a romaria, o pequeno convalesceu, curou e até já pôde sair à rua. E numa tarde pôs-se de brincadeira com mais nove crianças, no leito de um rio que estava seco. Para as regas dos campos mais acima haviam represado as águas.

Ora sucedeu que, de repente, se esbarrondou o açude e veio a enxurrada por aí a baixo, em tão má hora que apanhou as dez crianças. E ali ficaram todas elas afogadas.

E se eram dez, só de duas apareceram os corpos, que logo foram levados a enterrar. O dito pequeno e os restantes sete companheiros, por mais que procuraram não nos puderam achar.

Voltou o pai de fazer a romaria, e saiu-lhe ao encontro, a saudá-lo, seu irmão com mais outros amigos. E ele que logo perguntou como passava o menino.

Não o querendo anojar, responderam que já estava curado, e tão bom que até saíra fora a brincar.

Ao chegar a casa uma e muitas vezes tornou à pergunta, e sempre lhe escondiam a verdade. Mas ele é que não sossegava.

Antes de mais nada queria ver o filho e beijá-lo:

— Não comerei nem beberei antes de nele pôr meus olhos.

E não houve mais remédio que contar-lhe o sucedido.

Anojado de tristeza, jurou e trejurou que não havia de comer nem beber até que Santo Antônio se dignasse tornar-lhe o filho.

Palavras não eram ditas, e a criança pela porta dentro à frente das outras nove que se tinham afogado. A todas Deus ressuscitara, por intercessão de Santo Antônio.

Tamanha foi a alegria, que nem é de imaginar. E todos, a grandes vozes, davam graças a Deus e a Santo Antônio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário