Busca no Blog

11 de fevereiro de 2021

Milagres que de Santo Antônio Provados Perante o Bispo de Pádua e Mais Outros Milagres que se Juntavam - Terceira Parte - Capítulo LIII

CAPÍTULO LIII

Começam os milagres de Santo Antônio confirmados por testemunhos, perante o bispo de Pádua

Um irmão converso que há vinte anos servia as Donas do Mosteiro de Pádua, era surdo-mudo de nascença. A língua tinha-a tão pequena que mal lhe saía da garganta, e retorcida a modo de toco de videira, pelo que, à vista, parecia seca e enverrugada.

Primeira e segunda vez uma visão lhe inspirou que recorresse com alma ao patrocínio de Santo Antônio; mas o homem, ignorante e rude como era, não compreendeu a visão, e andou a procurar o Santo, primeiro pela casa, e depois pelas ruas da cidade.

Terceira vez o inspirou a visão, e desta feita o homem acertou, e veio à igreja de Santo Antônio. E ali passou toda a noite com a maior devoção que pôde, a encomendar-se ao Santo glorioso.

E chegou o dia, e ele ainda em oração. E lá pela hora de Noa — ia a tarde em meio — viu-se rodeado por luz divinal, grande suor lhe banhou o corpo, fortes estremeções lhe sacudiram a cabeça e os membros, e, em dada altura, a língua cresceu-lhe de repente, e ei-lo que entrou de ouvir e falar.

E prorrompeu em louvores a Santo Antônio, a agradecer-lhe favor tamanho.

E — o que foi mais de maravilhar! — falava como se fora numa língua nova e de modo que não se entendia bem o que dizia.

Repetia apenas poucas palavras que por inspiração aprendera, as suficientes para o uso do falar corrente; mas referia coisas que de ninguém tinha aprendido. O que a todos espantava, pois o sabiam surdo-mudo de nascença.

À voz do milagre acorreu muito povo. E todos o aconselhavam a mudar o nome que tinha de Pedro, pelo de Antônio, em reconhecimento da graça recebida. Em louvor de Cristo bendito.

Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário