Busca no Blog

21 de dezembro de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 229

PEDRINHO, O COROINHA

Em Graverolles, uma ilhota do Sena, viviam 40 famílias com sua igrejinha tão bela e tão devota, quando veio a inundação de 28 de fevereiro de 1910. Todos os moradores tiveram de abandonar as casas e fugir. Pedrinho, o coroinha, que ajudava à missa aos domingos, fora aquele dia à escola de Rigny; e, como ignorava o que acontecerá, voltou à ilha. Em vão chamou por sua família e percorreu várias casas, não encontrando ninguém. Entrou na igreja e viu que a lâmpada estava acesa. Lembrou-se de Nosso Senhor; tomou a chave do sacrário, retirou o sagrado cibório e. subiu ao altar, porque a água já lhe chegava até a cintura. Passou a noite toda molhado, sentindo muito frio e todo angustiado. No dia seguinte foi o sacerdote numa barca em busca do Santíssimo. Qual não foi o seu espanto ao encontrar seu querido coroinha apertando nos bracos o sagrado cibório com o Santíssimo!
O menino estava passando tão mal, que não demoraria a morrer. Por sinais manifestou seu grande desejo de comungar, de receber Nosso Senhor, a quem salvara das águas. E comungou ali mesmo, vindo a falecer pouco depois nos bracos do sacerdote.

Nenhum comentário:

Postar um comentário