Busca no Blog

13 de janeiro de 2016

Missa do Galo - Padre Renato Coelho IBP

MISSA DO GALO:

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Nesta noite comemoramos o nascimento de Jesus em Belém. Podemos agora colocar o menino Jesus em nossos presépios, simbolizando que ele nasceu e está conosco. O presépio pode ficar montado até o dia da epifania, quando acrescentamos os reis magos ao cenário, ou até mesmo até o dia 2 de fevereiro, festa da apresentação de Jesus no Templo, ou Festa da Candelária.
Esta é a primeira de 3 missas que o sacerdote pode celebrar no dia do Natal, simbolizando respectivamente: o nascimento eterno de Jesus no seio da Trindade, o nascimento temporal de Jesus em Belém e o nascimento místico de Jesus nas almas.
Hoje, em especial, escutamos o Glória com o soar dos sinos, pois é justamente o canto dos anjos do dia de Natal feito aos pastores judeus. No Credo, mais especificamente durante as palavras “Et incarnatus est”, o sacerdote ressalta também a particularidade dessas palavras para o Natal, colocando-se também de joelhos no altar e inclinando a cabeça. Parte do texto do cânon da Missa, bem como o próprio prefácio também são especialmente feitos para o Natal.
Tudo isso é feito para simbolizar a importância do Natal, dia em que a espera do Messias terminou, ainda esperar pelo Messias seria um ato de ignorância própria daqueles que ainda habitam nas trevas e ainda não O conheceram quando Ele veio habitar entre nós.
Devemos estar alegres por podermos reconhecer que a Luz de Cristo já chegou, basta agora abrir-nos para ela, pois mais importante do que Deus estar conosco apenas presencialmente é nós estarmos com Deus, e estamos com Deus quando somos batizados e não temos nenhum pecado grave não confessado desde a última confissão.
Jesus nos aparece como um bebê incapaz de qualquer coisa por si próprio, exigindo de nós uma iniciativa, uma santa iniciativa de fazermos as coisas por Ele. Não devemos ficar sentados esperando Deus agir em nós. Nós devemos agir junto com Deus, pedindo a Ele a força para fazer o bem e evitar o mal, e não recusar a graça atual quando ela se apresentar nas situações do dia-a-dia. Uma palavra inútil que evitamos falar ou escrever para não fazer o bebê Jesus chorar, um agrado que fazemos ao conversar com sua Mãe, Maria Santíssima, na oração do terço, serve para ver o bebê Jesus sorrir. Tudo isso são coisas que podemos fazer pensando em Jesus enquanto bebê.
Meditemos nesse Natal, não tanto no presente que queremos receber, mas no presente que podemos dar a Ele, seja evitando que o bebê Jesus chore, seja fazendo-o sorrir com um gesto bom nosso.

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
====================================

Nenhum comentário:

Postar um comentário