Busca no Blog

30 de dezembro de 2020

THESOURO DE PACIÊNCIA

DA ORAÇÃO NO HORTO


MEDITAÇÃO V

Continuando o Senhor a sua oração por largo tempo, baixou um Anjo do Céu a conforta-lo; mas não quis o Eterno Pai livrar o amado Filho da morte cruel a que o tinha destinado. E assim tratou Deus ao seu Filho Unigênito! Ora, que muito é, alma minha, à vista disto, que te trate Deus a ti como tratou seu único e inocente Filho? Considera bem nisto e ficarás desenganada, que não é falta de amor em Deus o não te livrar desses trabalhos, que tanto te afligem; assim como semelhante modo de proceder não foi falta de amor para com seu Filho. Olha: tu não me hás de dizer que o Senhor te não tem amor; porque se Ele o não  tivera, onde estarias tu a estas horas? Se Ele te não tivera amor, e muito amor, dize-me porque razão te havia de sofrer o que te tem sofrido? A outras almas, talvez melhores que a tua, não tem sofrido nem a quarta parte das injurias que a ti te tem perdoado: logo, é certo que te ama. Discorre agora contigo, e dize a ti mesma: É certo que Deus me ama muito e deveras: Deus bem me ouve clamar, e pode acudir-me e livrar-me num momento de todos os trabalhos que me oprimem; mas não me quer livrar, como não livrou a Jesus Cristo seu Filho, estando em muito maior aflição e agonia do que eu estou: logo, é sinal que este trabalho me é conveniente, esta aflição para mim é boa: sim, sem duvida, convêm-me aliás Deus me acudiria; pois tanto me ama, que, para me acudir e valer, rasgou as mãos e os pés, e se deixou atravessar pelo peito. E tira por fruto não pedir nunca a Deus, que absolutamente te livre dos trabalhos, mas só se for conveniente á tua alma o tira-los: pede-lhe, sim, que te conforte, como confortou o seu Unigênito Filho, para poderes com merecimento suporta-los.

JACULATORIA-

Meu Deus, confortai-me com a vossa graça poderosa, e dai-me os trabalhos que fordes servido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário