Busca no Blog

14 de dezembro de 2020

THESOURO DE PACIÊNCIA


ECCE HOMO

O almas devotas que me contemplais, refleti se existe dor maior que a minha.

SENHOR

Confiado nas dulcíssimas entranhas de vossa misericórdia, chego a vossos pés; e o vosso amor para conosco me dá animo para humildemente falar na vossa presença. Deixai-me, Senhor, louvar, como me for possível, a vossa inefável bondade, pois tanto vos compadecestes das nossas misérias que viestes desde o Céu aliviar-nos delas, fazendo-nos companhia em umas e livrando-nos misericordiosamente de outras. O grande desejo de nos livrar das aflições e trabalhos intermináveis, vos reduziu ao lastimoso estado em que minha alma vos vê. Bendito sejais para sempre! Não quisestes deixar de padecer, gênero algum de aflição das que padecemos  no mundo; e Vós só padeceis os trabalhos e angustias, que se acham repartidos por todos os homens. A quem logo pode recorrer uma alma aflita, senão a Vós?  E onde pode achar maior consolação nos seus trabalhos, do que na companhia que lhes quisestes fazer com os vossos; e particularmente nessas Chagas, que amorosamente estais padecendo. Dai-me pois licença, Senhor, que eu saia pelo mundo a convocar a todos os aflitos, que, vagando pela face da terra, andam desanimados, impacientes e tristes. Vou convida-los para que vos venham buscar ao Calvário, em volta da vossa cruz levantem seus chorosos olhos á vossa sumamente amável, mas lastimosa figura. Vós derrame sobre seus corações feridos o precioso balsamo desse Sangue, e comunicar-lhes aquela conformidade, aquela paciência divina com que estais padecendo. Eu lhes persuadirei, quanto me for possível, que jamais tirem os olhos de Vós nesse patíbulo; e Vós também não aparteis d'eles vossos amantes olhos, e nisso lhes dareis alivio e consolação. Ao Bom Ladrão, que compassivo olhou para Vós nesse estado, remunerastes com tanta paciência, que a sua cruz se lhe converteu em paraíso. Ora, já que nesse mundo todos vivemos crucificados, razão é que todos ponhamos em Vós os nossos olhos, para todos acharmos nas vossas chagas paciência. No horto tiveste um Anjo que vos confortou,  sede Vós agora, meu Deus, o nosso consolador e enquanto eu vou pelo mundo clamando publicamente, Vós, que podeis, ocultamente ide atraindo todos á vossa Cruz; pois no Evangelho dissestes, que quando nela fostes exaltado, tudo havíeis de trazer a Vós. Fazei, pois, que todos os aflitos venham pela contínua meditação a buscar-vos no Calvário, e a vossa Cruz será a sua consolação, e a sua consolação a vossa maior glória no meio d'esses ludíbrios. Aceitai, Senhor, os meus desejos; abençoai as minhas palavras, e livra-me da aflição eterna por meio da vossa aflição.


Nenhum comentário:

Postar um comentário