Busca no Blog

23 de dezembro de 2020

Milagres de Santo Antônio, durante a sua vida mortal - Primeira Parte - Capítulo XVI

CAPÍTULO XVI

Como Santo Antônio com Frei Adão de Marisco foi mandado pelo Capítulo dos frades a estudar no Estudo Geral

Com aprazimento de São Francisco o Capítulo Geral escolheu a Santo Antônio para primeiro estudante de teologia da Ordem, e mandou-o a terras de França com o inglês frei Adão de
Marisco a frequentar o Estudo Geral.

E indo eles seu caminho, foram dar ao mosteiro de S. André de Vercelli, cujo abade era então havido pelo maior de todos os teólogos, e trasladara até do grego para latim os livros do bem-aventurado S. Dionísio e os ornara com formosíssimos comentários. E por aqueles tempos fora transferido para Vercelli o Estudo Geral de Milão.

Ora, o abade recebeu-os muito benignamente, e tanto se edificou com seu enlevamento de espírito, que, depois, afirmava muito ter aprendido com aqueles frades de aspecto simples e ignorante e ter visto em suas almas realmente retratadas as celestiais Jerarquias.

E durante os cinco anos que ali os dois passaram a estudar nos livros de São Dionísio, vieram a tanta claridade e lume de sabedoria que parecia não somente terem aprendido as ditas Jerarquias, mas haverem-nas de facto experimentado e percorrido. Por isso o venerável abade, a propósito de Santo Antônio, escreveu assim no referido volume, capítulo terceiro, no parágrafo que começa pela letra U:
“Muitas vezes o Amor penetra lá onde não chegam as humanas filosofias. E assim lemos de alguns santos bispos que, apesar de menos instruídos nas ciências naturais, alumiados da Mística Teologia com a agudeza da razão penetraram os céus, e, transcendendo todo o saber natural, chegaram até ao conhecimento da Trindade Beatíssima. Isto mesmo achei eu, por própria experiência, em Frei Antônio de Lisboa da Ordem dos Frades Menores quando ele esteve comigo em companhia. Menos versado como era nas ciências naturais, com tanta pureza de coração e fervor de alma desejou a Mística Teologia, que abundantemente a sua inteligência a alcançou. Pelo que se pode a ele aplicar o que de São João Baptista está escrito: Era candeia ardente e luminosa, pois lá por dentro ardia em Amor e por fora luzia em boas obras”.

E o varão de Deus Santo Antônio, apesar de muito rogado pelos frades, não presumiu pôr-se a ensinar sem primeiro conhecer a vontade de São Francisco, o qual, segundo corre, lhe deu por escrito esta resposta: “Ao muito amado irmão meu Frei Antônio, eu Frei Francisco envio muito saudar em Jesus Cristo. Apraz-me que leias aos frades a santa Teologia, mas de maneira que eles não afoguem no estudo o espírito da santa oração e devoção, segundo na Regra se contém. E Nosso Senhor te ajude”.

Também se afirma que Santo Antônio foi algum tempo companheiro de São Domingos, quando ambos eles eram Cônegos Regulares.

Certa vez o abade dos monges negros de S. Bento, pregando em Pádua repetiu as palavras que São Paulo escreveu numa carta sua para São Dionísio. Ouvia-o Santo Antônio, e tanto se comoveu com aquelas doces palavras que, por largo espaço de tempo ficou arroubado, fora de si.

Nenhum comentário:

Postar um comentário