Busca no Blog

15 de dezembro de 2020

Milagres de Santo Antônio, durante a sua vida mortal - Primeira Parte - Capítulo XIII

Como certa vez, estando Santo Antônio a pregar, começaram de vir trovões e chuvas e relâmpagos

Outra vez convocara Santo Antônio o povo de Limoges para vir à pregação. E acorreram tantos a ouvi-lo, que não couberam em nenhuma das igrejas da cidade. Pelo que o Santo teve de os levar a um sítio amplo, chamado Cova das Arenas, onde antigamente foram os palácios dos pagãos. Ali ficavam mais à vontade e melhor podiam ouvir a celeste doutrina.

Principiara o Santo a falar com o fervor costumado e estava o povo suspenso de suas palavras doces como mel, quando de repente começou de ribombar o trovão, faiscaram no céu os relâmpagos e desatou a chover.

Os ouvintes iam já a debandar, cheios de susto, com medo à chuva e trovoada, mas o varão de Deus começou de os afoitar:

— Irdes-vos embora, não! Não haja medo! Espero no Senhor, e Ele não deixará que vos moleste a chuva nem que a tempestade vos faça mal.

E o povo animou-se com as palavras do pregador, e assossegou. E o Senhor que segura as águas dentro das nuvens, susteve a chuva, em tal maneira que, caindo ela avonde a toda a volta da cidade, depois da promessa do Santo nem uma só gota caiu sobre a multidão que se quedara, atenta, a ouvir a palavra de Deus.

E terminado o sermão que foi longo, levantaram-se todos e viram a terra, à volta, completamente encharcada, e só o lugar por eles ocupado estava enxuto e seco.

Pelo que louvaram a Deus que, nas maravilhas do Santo, manifestava a sua Onipotência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário