Busca no Blog

28 de dezembro de 2020

 THESOURO DE PACIÊNCIA

DA ORAÇÃO DO HORTO


MEDITAÇÃO  IV

 Era Jesus Cristo verdadeiro Deus, nascido do seio do Pai; mas também era Homem verdadeiro e da nossa mesma natureza; e por isso o seu coração, quando se viu submergido em tão profundo mar de amargura, sentia o que nós sentimos, que é a repugnância aos trabalhos. Tu, pois, ó  alma aflita, não te perturbes, se achas que o teu coração foge e repugna às penalidades desta vida; ele é de carne, Deus bem o sabe, porque pela sua mesma mão o formou; e sendo de carne, se o ferirem, há de sentir-se; se atravessarem e trespassarem com lanças, que muito que derrame sangue e que teus olhos se desfaçam em lágrimas? Chora pois embora, alma minha, e desabafa na presença do teu Deus, que o Senhor não te deu o coração de pedra, nem o espera achar insensível; somente o quer fiel, humilde e rendido à sua santa vontade. Que merecimento seria o teu, se isto te não custasse? O sacrifício que fazes do teu coração a Deus, quanto mais te custar, mais precioso será aos olhos do Senhor, e mais o há de estimar. Consola-te, que, quando ofereces ao Senhor o teu coração, assim como o tens, todo ferido, cortado e escorre em sangue, então recebe o Senhor com sumo agrado essa vitima, que tu lhe consagras. Portanto, alma atribulada, quando o teu coração te doer, aproveita-te dessa ocasião e oferece-o ao teu Deus: dize-lhe, ainda que seja com lagrimas: Meu Deus, sabei que sofro pelo amor de Vós o que não havia de sofrer por outra nenhuma causa; sim, meu Deus, estimo que isto me custe tanto para vos fazer este sacrifício bem custoso, e para que vejais quanto vos amo.

JACULATÓRlA.

Meu Deus, só por Vós quero sofrer, só por Vós.


Nenhum comentário:

Postar um comentário