Busca no Blog

4 de março de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

Nossa Senhora Mulher


Parte 2/6 

O episódio das bodas de Caná.
Conhecendo em pormenor a boda da própria Virgem Maria, facilmente reconstituirás o cenário em que apareceu a Virgem mulher.
Foi no banquete onde apareceu como uma mulher perfeita.
Foi convidada para a boda; e ali faz o mesmo que as outras mulheres convidadas. Como elas ajuda a noiva a vestir o seu traje e a adornar-se.
Jovem, no dia da tua boda convida em espírito a Virgem Maria, tua Mãe, para que te oriente como te deves arranjar. 
Como as outras mulheres convidadas, Maria cuida dos manjares e que tudo esteja bem na sala do banquete. É a mais ativa e solícita de todas. Que simpática se nos apresenta a Virgem Santíssima nesta cena! É uma senhora viúva, de uns quarenta e cinco anos. Alegre, caritativa, serviçal. Ali esta trabalhando como as outras mulheres.
Observadora e minuciosa como nenhuma, é a primeira que observa uma deficiência.
Fosse porque falhassem os cálculos ou porque o número de convidados fosse maior que o que se esperava, o certo é que ia faltar o vinho, a coisa principal naqueles banquetes. Maria, mais observadora que nenhuma, quer dizer, mais mulher que as outras, é a primeira a notar. E Maria, compadece-se dos pobres esposos. 
Que vergonha iam sofrer naquele dia, o mais feliz da sua vida! E teve pena deles.
Porém aquela compaixão não podia parar em lamentações estéreis; tinha que dar-se remédio rapidamente, antes que se notasse a falta. E a Virgem Santíssima, mais mulher que todas, confia plenamente em que conseguirá isso de seu filho.
Ela conhece o poder de Jesus. Ela sabe que seu filho terá de realizar milagres para provar a sua divindade; já lho tinha dito muitas vezes. "Porque não podia começar a realizar os milagres, e livrar da vergonha os jovens esposos? Certamente que o conseguirei". E como pensou assim o fez.
Com grande sigilo, e sem que ninguém compreendesse, assim é delicada a caridade, abeirou-se de Jesus e disse-lhe:
- Não têm vinho.
A resposta de Jesus parece dura:
- Que temos nós que ver com isso? Ainda não chegou a minha hora.
Apesar da repulsa, Maria, mulher muito mulher, insiste, confiada em que tudo irá por diante. E tanta confiança tem, que diz aos que serviam:
- Ide a Jesus, meu filho, e fazei o que ele vos disser.
Insistência, habilidade, rapidez de recursos, qualidades todas muito próprias da mulher, aparecem em alto grau nesta decisão da Virgem Santíssima. De tal maneira apresentou o assunto a seu filho, que este não teve remédio senão ceder. E adiantando a hora que Jesus tinha fixado para a realização dos milagres, fez o primeiro a instâncias de sua Mãe, convertendo a água em vinho.
Todos conheceis os pormenores deste fato. Não me detenho a referi-los.
Três qualidades muito femininas mostra a Virgem Santíssima nesta atuação:
- a observação minuciosa,
- a compaixão,
-a habilidade natural para conseguir o que se propõe. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário