Busca no Blog

26 de março de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

Nossa Senhora Mártir


Parte 8/9

Todos os homens tem que sofrer; porém quero dirigir-me de uma maneira especial aos esposos, aos pais, e mais ainda às mães mártires também, para que acompanhem a Rainha dos mártires.
Esposos, tendes que sofrer. Ainda que muito vos ameis, sereis cruz um para o outro. Far-vos-eis sofrer mutuamente. A diferença de caráter. A diferença de educação. Os momentos de tristeza e mau humor que tem todas as almas. Tendes que tolerar-vos mutuamente. É preciso saber aguentar, saber calar, saber perdoar, saber sorrir exteriormente, quando no interior chorar o coração.
Pais, tendes que sofrer.
São cruz, e cruz pesada, os filhos; sabei-lo por experiência. Essa cruz torna-se cada dia mais pesada a medida que aumenta o número de filhos e esses filhos vão crescendo. Tanto, tanto pesa essa cruz, que alguns pais não a querem. Não os imiteis. Olhai para Jesus Cristo, carregado com a cruz a caminho do Calvário; cai uma vez e outra; porém não larga a cruz, levanta-se e volta a abraçá-la. Quanto mais avança mais lhe pesa, e mais se sente esgotado; mas continua com a cruz até ao cimo do Calvário.
E atrás de Jesus, vai sua Mãe Santíssima com outra cruz sobre o coração. A medida que aumenta o peso da cruz de seu filho, aumenta o da sua também. Mas também não retrocede; acompanha-o até ao Calvário; ia Jesus oprimido com o peso da cruz e ninguém queria ajudá-lo a levar-lha. Levar a cruz de um condenado era custoso e afrontoso. Tiveram que obrigar um camponês que vinha do seu campo.
Pobre mãe carregada com a cruz! que só te encontras muitas vezes!
Os teus filhos vão-se afastando, e vão-se emancipando pouco a pouco de ti. Formaram o seu lar. Tem uma esposa e filhos e o amor e a preocupação com eles vai afastando a lembrança da mãe. O marido talvez não compreenda a mágoa que ela sente. Os parentes já tem bastante com levar a própria cruz que lhes parece a mais pesada de todas. Que duro é sofrer, e sofrer sozinha e sofrer sem ser compreendida e sofrer calada!
Que sós, e que incompreendidos e calados vão a Mãe e o Filho a caminho do Calvário! Ia Jesus carregado com a cruz e longe de o aliviarem, escarneciam-no, insultavam-no e blasfemavam contra ele. A Mãe não insultavam, mas os insultos que dirigiam ao Filho sentia-os o coração da Mãe.
Pobre mãe cheia de filhos! No caminho da vida por onde vai carregada com a cruz, encontra muitas jovens esposas como ela, que não quiseram a cruz dos filhos e gozam e divertem-se, e ao vê-la passar, riem-se e insultam-na: é uma tola, uma antiquada, não sabe gozar a vida. Que difícil é seguir com a cruz no caminho da vida!
Para que o possa fazer, Deus deu à mãe uma energia natural muito poderosa: o amor. Nada há tão forte como o amor, nem há amor tão forte como o que Deus pôs no coração da mãe. Porém a cruz pode ser tão pesada, que essa força tão poderosa chegue a ser impotente; faz falta uma força sobrenatural, divina. Essa força encontrá-la-ás no monte Calvário.
Ali estão Jesus Cristo e sua Mãe Santíssima animando-te com o seu exemplo. Sobe ao monte Calvário, põe-te ao lado da Virgem Santíssima e escuta as palavras que Jesus diz da cruz:
- "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem".
Também tu terás de perdoar; a quem? Talvez mesmo ao teu marido. Não sabe o que faz quando despedaça o teu coração com as suas infidelidades. Talvez a teus filhos. Não sabem o que te atormentam com os seus desvarios. Consideram como uma tirania o que é o cumprimento do teu dever.
Jesus e Maria perdoaram; porém eles não tinham que pedir perdão a ninguém, porque não tinham feito mal a ninguém.
Tu terás que perdoar; mas também terão de te perdoar a ti.
Jesus disse a sua Mãe:
- "Mãe, aí tens o teu filho". 
E também to diz a ti. Quando um novo filho bate a porta do teu lar, pensa que to envia Jesus Cristo e confia que ele te dará o que necessitas para o educares.
A solidão que Jesus sente fá-lo exclamar: "Meu Pai, porque me abandonaste?".  Pode dizer-se que a única que não o abandonou foi sua Mãe.
Pobre mãe! Que só te encontras algumas vezes! Sem ninguém que te alivie, que te ajude, que te compreenda, sente-se desolada. Também a ti não te abandona essa Mãe Dolorosa, como não abandonou seu Filho Jesus.
Jesus Cristo tem sede! 
Que sede é essa? De almas. E di-lo a ti. Tem sede da tua alma, que não se lhe entrega por completo. Da alma de teu marido, que se vai afastando de Deus. Da alma de teus filhos, que vão abandonando a igreja, e tu deves encaminhar essas almas para Jesus.
Tudo esta terminado. No meio das suas dores e tristezas Jesus sente uma grande paz, uma consolação imensa. Cumpriu até o fim o destino que lhe marcou o seu Eterno Pai, ainda que tivesse sido custoso.
O mesmo pode dizer sua Mãe Santíssima; cumpriu a vontade de Deus.
O mesmo deves dizer tu na hora da morte. Mãe, o teu destino é glorioso mas custoso. Ditosa se puderes exclamar no momento de morrer: Tudo cumpri como Deus queria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário