Busca no Blog

3 de fevereiro de 2017

Tesouro de Exemplos - Parte 271 a 274

PEDIR ESMOLAS É UM SACRIFÍCIO

1. “É melhor dar que pedir, dizia o santo Cura d’Ars. Uma só vez tive de mendigar, quando empreendi uma viagem ao túmulo de S. Francisco Régis, e saí-me muito mal: tinham-me por um ladrão, e não queriam dar-me nem pão, nem abrigo. Precisei pedir, a comutação de meu voto a um dos padres, para não ter que pedir esmolas no meu regresso”.

2. S. Micaela do SS. Sacramento, viscondessa e fundadora das Irmas Adoradoras, sabia por experiência o que é pedir esmolas, pois muitas vezes teve de fazê-lo para manter seus colégios de jovens desamparadas. Assim escrevia em março de 1860: “Ontem, minha amiga, receberam-nos tão mal, que fiquei doente. Particularmente uma senhora foi cruel; nas sete casas que visitamos fomos mal recebidas”. E dias depois: “Isto vai muito bem; saí mais quinze dias a pedir esmola casa por casa, e tenho o consolo de que recebemos o suficiente para que tudo corra bem, com economia; recebi amargas repulsas e xingatórios, e dois dias estive doente; mas é porque o meu orgulho não se encontra tão baixo que não se ressinta o coração, contudo, no dia seguinte ia de novo contente. E agora a senhora já sabe que sei pedir esmola, no caso que ai estejam em apuros”.

3. S. João de Deus, desde que se consagrou a Deus, gostava de sair a pedir, esmolas para reparti-las entre os pobres; razão por que bem depressa todos lhe davam o glorioso título de “pai dos pobres”. Costumava dizer aos benfeitores: “Agora não sabeis o bem que fazeis a vós mesmos, mas Deus vô-lo mostrará quando devolver a esmola”.

4. O beato João de Ávila, querendo consagrar-se à salvação das almas, vendeu toda a herança dos país e repartiu o preço entre os pobres, reservando-se para si apenas uma veste de pano grosseiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário