Busca no Blog

1 de junho de 2016

Casamento e Família - Dom Tihamer Toth.

Conferência XIII


II - UM PECADO CONTRA OS INTERESSES DOS PAIS


Parte 8/11


Precisamos adiantar na exposição das nossas ideias. A exclusão culpável do filho é não só um pecado contra Deus e contra o filho, mas o é, ainda, contra os interesses bem compreendidos dos pais.
A - Primeiramente, o filho único não é um filho, é um cuidado perpétuo.
a - A vida dos pais é uma inquietação contínua: Pode resfriar-se, pode acontecer-lhe qualquer coisa, e, sem ele, tudo estaria acabado para nós; esse receio é fundado porque as estatísticas demonstram que morrem muito mais crianças nas famílias de um ou dois filhos, do que nas numerosas..
b - Se nestas famílias numerosas, um dos filhos morre, naturalmente os pais sentem e se enlutam, mas, ao menos, lhes ficam os outros para consolá-los. Que fica, porém, após a morte do filho único? o berço vazio, o quarto da criança emudece, seus brinquedos órfãos, ficam os amargos remorsos de consciência, recordando que poderia ser de outro modo, se mãos criminosas não contrariassem os planos divinos.
Como é racional o provérbio: "A criança é um vaso; quebra-se facilmente", é pois bom ter vários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário