5 de outubro de 2015

Catecismo Ilustrado - Parte 66

As Virtudes

As Virtudes Teologais

1. A virtude é uma disposição ou hábito da alma que nos leva a fazer o bem e evitar o mal.
2. A virtude é natural e sobrenatural
3. Virtude natural é aquela que nos leva a fazer o bem por motivos simplesmente naturais, como dar esmola a um pobre porque a razão nos diz que devemos socorrer o nosso semelhante.
4. Virtude sobrenatural é aquela que nos leva a fazer o bem por motivos de Fé, como dar esmola a um pobre porque a Fé nos mostra nele o próprio Jesus Cristo.
5. As virtudes sobrenaturais são de duas classes: as teologais e as morais.
6. São três as virtudes teologais: Fé, Esperança e Caridade.
7. Chamam-se teologais porque têm a Deus por objeto imediato. A Fé refere-se a Deus como primeira verdade; a Esperança refere-se a Deus como nosso sumo bem; a Caridade refere-se a Deus como sumo bem em si mesmo.
8. Estas três virtudes propriamente não se adquirem; são dons gratuitos de Deus que as infunde em nós pelo santo Batismo; mas desenvolvem-se com as práticas que a Religião nos ensina.

A Fé

9. A Fé é uma virtude sobrenatural pela qual cremos em Deus e em tudo aquilo que Ele revelou à Santa Igreja e que Ela nos propõe para crer.
10. Devemos crer nas verdades reveladas, porque Deus é a própria verdade que não se pode enganar-Se nem enganar-vos.
11. A Fé é de absoluta necessidade para a salvação.

A Esperança

12. A Esperança é uma virtude sobrenatural pela qual desejamos e esperamos a vida eterna que Deus nos prometeu, e os auxílios para alcançá-la.
13. Os motivos da nossa esperança são a omnipotência e a bondade de Deus, a fidelidade das suas promessas, e os merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.
14. Aplicaremos a nós mesmos os merecimentos de Jesus Cristo por meio das boas obras feitas com o auxílio da sua Graça.

A Caridade

15. A Caridade é uma virtude sobrenatural pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos por amor de Deus.
16. Amar a Deus sobre todas as coisas é preferir Deus a toda e qualquer coisa, e estar pronto a perder tudo, até a própria vida antes de separarmo-nos Dele.
17. Devemos amar a Deus porque é infinitamente perfeito, infinitamente bom, infinitamente amável e porque é o nosso supremo bem e o nosso último fim.
18. Daremos a conhecer que amamos a Deus, pela fidelidade em observar os seus mandamentos.

Explicação da Gravura

19. A Fé está simbolizada na parte superior da estampa por uma virgem sustendo a Cruz com a mão direita e tendo na esquerda um archote aceso, para indicar que a Fé ilumina a nossa alma.
20. O santo patriarca Abraão praticou a Fé de um modo heroico, crendo que Deus, que lhe ordenara imolar o seu filho Isaac, cumpriria contudo a promessa que lhe fizera de dar-lhe uma posteridade numerosa.
21. A Esperança está simbolizada à esquerda por uma virgem tendo na mão direita uma coroa e na esquerda uma âncora.
22. Vê-se, na parte inferior esquerda, o patriarca Job que no excesso do seu padecer sempre esperou a Deus e não foi inútil a sua esperança.
23. A caridade está simbolizada, à direita, por uma virgem tendo, na mão direita, um cálice com a hóstia e mostrando, com a esquerda, o seu coração em chamas.
24. Vê-se no ângulo inferior direito Nosso Senhor sentado à mesa de Simão o Fariseu, e Maria Madalena que, lançando-se aos pés de Jesus, os banha de lágrimas, os enxuga com os seus cabelos, beija-os e os perfuma com bálsamo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.