Busca no Blog

9 de novembro de 2021

Teresa de Los Andes - Deus, Alegria Infinita - Diário e Cartas

GLÓRIA PÓSTUMA

Os periódicos de Santiago - coisa insólita para uma carmelita - publicaram a notícia da morte de Ir. Teresa e fizeram o elogio de sua heroicas virtudes.
Tanto os familiares como a comunidade receberam numerosas cartas, não de condolência, mas de congratulação por contar com uma santa no céu.
Na realidade, por santa a tiveram dentro e fora do convento.
Já nos disse uma das religiosas - Irmã Maria dos Anjos: "Ir. Teresa, sem dúvida, já entrou santa no convento". E acrescenta: "Jesus vivia nela e todo o seu ser irradiava Jesus. Bastava olhá-la para compreender que sua alma estava como que imersa em Deus.
Tal era o seu aspecto, tal sua expressão meiga e recolhida com algo tão sobre-humano que se acreditava estar na presença de um anjo".
O Pe. Julião Cea, que a havia conhecido e tratado no ano anterior durante uma missão apenas, escreveu poucos dias depois de sua morte que não oferecia sufrágios por ela porque seria "fazer-lhe injúria". "Rogo a ela todos os dias como a uma santa que está no céu. Eu confio que logo começará a fazer milagres . . . Sua santidade tinha a propriedade de ser atraente, amável, comunicativa.
Que sorriso angelical acompanhava sempre sua conversa".
O Pe. Cea acertou. Logo os fiéis começarão a pôr Ir. Teresa como intercessora junto ao Senhor. E nos anos que nos separam de sua morte, Deus vem dando provas irrecusáveis de que seu plano é glorificar sua serva, pois por seus rogos outorga a mancheias favores de toda espécie, principalmente graças de conversão de cristãos afastados - inclusive famílias inteiras - que voltam à casa paterna. Por isso acodem diariamente ao seu túmulo numerosos fiéis de toda condição social e das mais afastadas regiões do país, a dar graças ao Senhor pelos benefícios obtidos.
Os restos mortais de Ir. Teresa foram trasladados no dia 17 de outubro de 1940 para um mausoléu construído sob o coro do novo convento das Carmelitas de Los Andes.
No dia 20 de março de 1947 iniciou-se seu processo de beatificação que prossegue atualmente seu curso com as melhores esperanças.

ELA DESAPARECE E FICA DEUS

Quantos recorrem a Deus colocando Ir. Teresa por intercessora, sem dúvida, estão animados pela melhor boa vontade e a mais reta intenção. E certo que não faltarão extremistas, que chamam de infantilismo a sua devoção. E é possível que em alguns casos seja preciso purificá-la. Porém Nosso Senhor, que tem medidas tão distintas das dos homens, quantas vezes, ainda nestes casos em que por ignorância ou infantilismo nem tudo esteja em regra, descobrirá no fundo do coração dessas pessoas simples uma disponibilidade nada comum. E, uma vez mais, por linhas tortas escreverá direito, atraindo para si a tantos despreocupados e afastados por meio de Ir. Teresa.
Emocionou-me a confidência de certa senhora que não faz muito chegou com seu esposo a Los Andes para render comovidas graças.
Viviam esquecidos de seus deveres cristãos. Até que um belo dia se interpôs Ir. Teresa em seu caminho e voltaram a levar a sério seu compromisso de batizados. A boa mulher, relatando agradecida esta experiência, terminava dizendo: "No fim, Ir. Teresa desaparece, e fica Deus".

Nenhum comentário:

Postar um comentário