Busca no Blog

11 de junho de 2018

Tesouro de Exemplos - Parte 503

MARIA E SEU SERVO S. BERNARDO

S. Bernardo, insigne doutor da Igreja, foi um dos mais fervorosos devotos de Maria, cujas grandezas e prerrogativas ilustrou com o fulgor de sua doutrina e de sua pena.
Desde seus tenros anos começou a distinguir-se por suas virtudes. Era ainda pequeno, quando, numa noite de Natal, foi favorecido com uma visão celeste. O Menino Jesus apareceu-lhe e dignou-se instruí-lo acerca do grande mistério da Encarnação. Dessa visão originou-se aquela sua terníssima devoção, aquele seu ardentíssimo amor à Mãe do céu, devoção e amor que, depois, extravasaram nos admiráveis sermões que escreveu em honra de Nossa Senhora.
Maria Santíssima, por sua vez, mostrou predileção especial por seu servo, cumulando-o de favores extraordinários. E assim, a devoção à Rainha do céu, principio de tantos bens para as almas, produziu na de Bernardo o maravilhoso efeito de fazê-lo compreender que a sabedoria do mundo é loucura perante Deus, razão porque, jovem de vinte anos de idade, abandona todo o conforto da casa paterna e ingressa no convento dos cistercienses.
Com tanto fervor se consagrou a Deus que conseguiu arrastar consigo vários parentes e amigos, que antes queriam dissuadi-lo da vocação. Bernardo tornou-se um modelo de virtudes. Dado como era à leitura e meditação dos Livros Sagrados, conquistou em pouco tempo aquele tesouro de ciência e de santidade que o colocou entre os maiores luminares da Igreja. Os Sumos Pontífices várias vezes recorreram a ele para importantes e delicadas missões, como pacificar discórdias e reprimir abusos e desordens, negócios esses que o Santo, com o auxilio da grande Mãe de Deus, levou a bom termo.
Finalmente, consumido pelas fadigas e penitencias, mas rico de méritos para o céu, dormiu no Senhor a 20 de agosto de 1174.

Nenhum comentário:

Postar um comentário