Busca no Blog

27 de janeiro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

Nossa Senhora Virgem-Mãe

Parte 6/9

Maria, mulher perfeita, foi ainda na ordem física mãe perfeita também.
Com o voto de virgindade, tinha renunciado à maternidade, mas um anjo disse-lhe, da parte de Deus, que podia ser mãe, sem deixar de ser virgem.
Essa é a vontade divina. Maria sente então que a tendência maternal revive no seu ser. Esquece-se de si mesma, para pensar no seu Filho, e tudo o que vê, o que ouve e o que lê, relaciona com ele. Ela também pergunta: "Que será o meu filho"?
A Maria o anjo descobriu o mistério do futuro. Disse-lhe o que seria o seu Filho: "Teu Filho é o Filho do Altíssimo, é o Filho de Deus".
Se é o Filho de Deus, é a obra-prima da criação, é o modelo que Deus tinha diante ao fazer as coisas que existem. Toda a criação é uma cópia imperfeita de seu filho. Desde então Maria contempla a criação, como nunca tinha contemplado; toda ela lhe diz como será seu filho. Os astros dizem-lhe: Mais brilhantes do que nós serão os olhos de teu filho. As paisagens, os montes, os vales, as flores, dizem-lhe: Mais formoso do que nós será o corpo de teu filho. As aves com seus trinados dizem-lhe: Mais melodiosa será a voz de teu filho.
Se teu filho é Filho de Deus, também é Deus como seu Pai; e a Virgem quer saber quem é Deus, para saber o que será o seu filho. Ela conhece muito bem a Deus, porque o teve sempre dentro da alma: o Senhor é convosco.
Ela teve com Deus grandes comunicações; porém sabe também que todas as belezas da criação são como um raio de luz que brotou de Deus, fonte de toda a formusura. Pergunta a criação como é Deus; porque assim saberá como será seu filho. E a criação responde-lhe com mais eloquência do que os maiores místicos. Responde-lhe quando olha para as montanhas que rodeiam Nazaré e quando sai para a planície de Esdrelón ou quando se dirige aos montes de Judá para visitar sua prima Isabel.
Todos os campos lhe dizem:

Mil graças derramando
Passou por estes soutos com presteza;
E enquanto os ia olhando,
Só com sua esbelteza
Vestidos os deixou de grã beleza.

                               São João da Cruz 

Se nos seres da criação deixou Deus as pegadas das suas perfeições, alguma coisa lhe dizem da formosura, do poder e da sabedoria e bondade de Deus, e alguma coisa lhe dizem de seu filho.
Maria não estava ainda satisfeita; queria conhecer melhor o seu filho. O anjo disse-lhe que seu Filho seria o Messias esperado, e Maria sabe que todas as Escrituras são uma profecia do Messias. Com que avidez lê desde então os livros Sagrados e os relaciona todos eles com seu filho. Lê o Cântico dos Cânticos e ali encontra o seu retrato:
"É branco e rosado - e escolhido entre milhares - A sua cabeça é ouro puro - Seus olhos como pombas brancas pousadas na margem de uma corrente de água. - Suas faces são como botões de rosa - Seus lábios como lírios que destilam abundantemente mirra - Seus braços são cilindros de ouro guarnecidos de pedras de Társis. - Seu corpo como o marfim coberto de safiras - Seu porte majestoso como os cedros do Líbano - A sua boca é a própria doçura - Todo ele, o próprio encanto".
Ao ler estas páginas, a alma de Maria enchia-se de doçura. Porém continuava folheando a Escritura com avidez.  E lia:
Nascerá de uma Virgem. ( Essa virgem era ela ). Será da casa de David e sentar-se-á no trono de seu Pai.
O anjo também tinha-lhe repetido isto mesmo. Maria continua a ler os salmos e os profetas e ali encontra um duplo retrato de seu Filho. O retrato do Messias glorioso, e o retrato do Messias paciente.
O Messias glorioso enche-a de prazer.
Seu filho terá nomes simbólicos e gloriosos. Será chamado Emanuel, Deus conosco, Conselheiro admirável, Deus forte, Pai do século futuro, Príncipe da paz. Sobre Ele descansará o Espirito divino e lhe comunicará dons de sabedoria, de conselho, e de fortaleza. Será Rei. Estabelecerá um reino de Paz e de Justiça. Nesse reino reunirá não só os israelitas que se convertam sinceramente ao verdadeiro Deus, como todas as nações, e todas as almas desejosas de guardar a lei divina e de sair das trevas do pecado. E será também sacerdote.
Estabelecerá uma nova aliança, perfeita, eterna, íntima, escrita não em tábuas de pedra, mas sim nos corações dos homens; em virtude da qual os membros dela serão para sempre o povo de Deus. Mas depois deste retrato glorioso, encontrava Maria o retrato do Messias paciente que lhe dilacerava o coração de dor.
O Messias tomará sobre si as iniquidades do seu povo, será humilhado, injuriado, ultrajado e desprezado. Um tribunal iníquo o condenará sem que apareça alguém em sua defesa; e será conduzido à morte, como um ímpio e um malfeitor.
Ao ler estas profecias, o seu coração de Mãe sentia-se oprimido, despedaçado de dor.
Esse será o seu Filho.
Desde então o coração de Maria, como o de todas as mães, vive agitado por essa corrente que agitará ainda mais a profecia de Simeão, mistura de alegria e de dores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário