Busca no Blog

15 de dezembro de 2017

Tesouro de Exemplos - Parte 418

NÃO QUERO CASAR-ME!

Conta-se que uma noiva, nobre de família e mais nobre de sentimentos, estando já diante do altar, corajosamente recusou seu consentimento ao matrimônio.
E qual foi a causa dessa recusa? No dia do casamento, ao descer a noiva da carruagem diante da igreja, a cauda do vestido nupcial enroscou-se no carro, produzindo-se um rasgão bastante lamentável. Vendo isso, o noivo proferiu uma blasfêmia detestável. Pálida de espanto e indignada, a noiva teve a coragem de fazer ao blasfemador uma leve censura. Ao que ele prontamente respondeu:
— Desculpe-me; é o hábito...
Era o hábito... um blasfemador, portanto, e ela não o sabia. No breve trajeto da porta da igreja ao altar, a piedosa donzela dirigiu a Deus uma prece, tomou uma resolução... Quando o pároco lhe dirigiu a pergunta: — A sra. quer receber a Fulano por seu marido?... Ela respondeu alto e claramente: — Não, senhor!
Surpresa geral... murmúrio...
O pároco repetiu a pergunta. A resposta foi a mesma.
Aflitos, interrogam .a noiva... querem saber, a causa.
Ela responde: — Com um blasfemador não me casarei!...
Dois meses mais tarde, a corajosa donzela, entrando para o convento, achava seu verdadeiro esposo — Jesus Cristo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário