Busca no Blog

8 de dezembro de 2017

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

Nossa Senhora Desposada.


Parte 5/8

Mais que um retrato da Virgem viste uma película dos seus esponsais.
A seguir, outra película: a do teu casamento, se Deus quiser que te cases; ou a de outros casamentos para que se forme em ti o critério cristão.
Chegou o momento emocionante, a aspiração suprema da tua vida: vais vestir-te para ires à igreja casar-te.
Jovem, quem quer que sejas, chama a Santíssima Virgem, para que te acompanhe enquanto te preparas e te diga se há alguma coisa que a desgoste. Sais de casa. Esperam-te com curiosidade a porta da igreja. És a heroína da festa, a figura da atualidade. Para ti são todos os olhares e comentários: uns de louvor, outros de crítica, outros de inveja.
Aos acordes de uma marcha nupcial, caminhas sobre o chão tapetado. Vais devagar ... devagar, para que todos te vejam bem.
Vais devagar ... são uns momentos tão felizes que querias não terminassem nunca ... mas caminhas.
Vais caminhando sobre um tapete de flores ... Se fosse assim todo o caminho de casada que terás de percorrer!
Os padrinhos apresentam-se ao sacerdote, revestido de uma capa branca de asperges. Ali estão as testemunhas, os convidados, todos de pé.
Jovem, esquece o teu vestido, esquece tudo o que te rodeia e põe toda a tua atenção nas palavras que o sacerdote em nome de Jesus Cristo vos vai dirigir. Devias tê-las lido e meditado antes muitas vezes. Ouve, e procura entender o que vais fazer. O sacerdote fala-te do matrimônio, sacramento de instituição divina, pelo qual Jesus Cristo te dará as graças de que necessitas para cumprires os teus deveres. Esses deveres são tantos, e tão difíceis, que bem necessitarás dessas graças. Fala-te do fim do matrimônio. Não te casas para te libertares da tutela dos pais, e para que o teu marido te passeie pelos lugares de diversão. Casa-te, ouve-o bem, para criar filhos para o céu. É o fim principal do matrimônio. Todos os filhos que Deus quiser dar-te. Se não queres filhos, se o seu peso te vai ser insuportável, ainda estás a tempo, volta para tua casa.
Casai-vos para vos ajudardes a suportar o peso da vida, não para tornar a vida mais pesada.
Casai-vos para acalmar licitamente a concupiscência; não para a excitar mais. O sacerdote vos diz que grande pecado é o adultério.
antigamente castigava-se com a morte do culpado; agora e sempre com a morte da alma e com o inferno eternamente.
Esposa, fixa bem o que te vai dizer agora o sacerdote, porque o tens de recordar muitas vezes. Vós, a esposa, deveis estar sujeita ao vosso marido, em tudo. A mulher obedeça e seja atenciosa com o seu marido; o marido para ter paz ceda muitas vezes do seu direito e autoridade. Tu, obedeces por obrigação. Teu marido, cede do seu direito para bem da paz. Se se cumprisse isto, quantos matrimônios seriam mais felizes!
De novo se dirige a ti o sacerdote: "Não cuides excessivamente dos adornos do corpo; cuida mais da formosura da alma". Segue o conselho e suprimirás outra fonte de desgostos. Avisa-te por fim da conta que terás de dar a Deus de ti, de teus filhos e de toda a família. Cumpre tudo bem, pois isto será provavelmente a causa da tua condenação. Não poderás alegar a desculpa de que não te avisaram.
Termina a exortação, e chegou o momento decisivo de que vai depender a sorte da tua vida, talvez da tua eternidade. O sacerdote pergunta aos presentes, se haverá algum impedimento. Todos se calam. Então, a contrair o matrimônio, vós ides ser os ministros do sacramento. Ides fazer descer as graças do céu sobre as vossas almas. O sacerdote está ali presidindo a cerimônia, como Deus no paraíso. Está ali, em nome de Jesus Cristo, autorizando a entrega mútua que ides fazer de vós mesmos. Ao batizar-vos, passastes a ser possessão de Jesus Cristo. Não podeis dispor de vós sem autorização sua.
Estás muito emocionada; para facilitar-vos um ato tão impressionante, o sacerdote faz-vos as perguntas:
-" Queres esse jovem que tens a teu lado por teu legitimo esposo/"
Responde que sim, que queres.
A mesma pergunta faz a ele.
Responde também afirmativamente. Já estais casados. Para simbolizar a vossa união, o sacerdote junta as vossas mãos. Depois traça sobre vós o sinal da cruz e salpica-vos com água benta.
São símbolos das graças que estão descendo do céu sobre vós. O que Deus uniu, o homem não deve separá-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário