Busca no Blog

5 de abril de 2021

THESOURO DE PACIÊNCIA

DA  COROAÇÃO DE ESPINHOS

MEDITAÇÃO VII


 Vendo Pilatos que os inimigos de Cristo se não contentavam com os tormentos e injurias que o Senhor havia padecido, temeu desgosta-los; e não obstante conhecer e confessar publicamente a inocência do Senhor, o condenou á morte. Pondera, alma minha, quanto afligiria o coração do Senhor esta horrível injustiça; mas depois de ponderares bem a força desta injustiça, volta-te para ti mesma, e adverte que, todas quantas penas padeces neste mundo, todas são castigos dados por sentença de teu Deus. Ora tu bem sabes que não és inocente aos olhos do Senhor, sabes que és culpada em muitos preceitos da sua lei, e que um só delito bastava a merecer a sentença de morte, e morte eterna; porém, o teu bom Deus tem tanta misericórdia contigo, que dá comuta em sentença muito mais branda: não quer a tua morte, mas que te convertas e vivas, e que para isso padeças essa tribulação. Que razão tens logo para tanto te impacientares com os trabalhos da vida? Jesus Cristo, sendo declarado inocente, é condenado á morte, e vai mudo, como a ovelha para o matadouro: tu és culpada aos olhos de Deus; e em lugar da morte eterna, que merecias, te dão por castigo alguns trabalhos da vida, e não terás paciência? Oh! e como desejariam poder trocar contigo esta sorte esses infelizes que Deus condenou à morte eterna, tendo menos crimes do que tu tens: quanto apeteceriam esses trabalhos, em que tu não podes ter conformidade?!

JACULATORIA

Senhor, bendito sejais pela vossa misericórdia: castigai-me na vida quanto quiserdes; não me castigueis com a morte eterna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário