Busca no Blog

27 de outubro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

O Corpo da Virgem Santíssima Livre de Concupiscência.


Parte 2/4

Conhecida já a natureza da concupiscência, vem a propósito perguntar: Recebeu a Virgem Santíssima esta triste herança de seus pais? Teve a Virgem Santíssima concupiscência?
Sem dúvida alguma que antes de a inteligência ver as razões, o vosso coração vos diz que não; que a Mãe de Deus não devia ter estado submetida a esta escravidão degradante.
É verdade que a concupiscência não é pecado, mas a inclinação para o pecado, e seria indigno, indecoroso, que a Mãe de Deus tivesse essa inclinação.
A Virgem Santíssima foi impecável, não cometeu nem a mais ligeira imperfeição; Deus teve que a fazer assim; porque assim o pedia a sua dignidade. Pois se deus queria que sua Mãe não tivesse nem sombra de pecado, teve que tirar as causas dele, e a causa principal é a concupiscência.
O que queira ter um campo limpo de abrolhos, que nunca brote nele nem o mais ligeiro renovo, tem que arrancar até as raízes; de contrário, essas raízes brotarão novamente.
A concupiscência é raiz do pecado, Deus não quis na Santíssima Virgem a mais leve culpa; logo teve que afogar nela a raiz.
A Virgem Santíssima teve a castidade no grau mais perfeito. Uma castidade superior a dos anjos que não têm corpo, e por conseguinte uma castidade que nunca sente tentações, que nunca sente afetos desordenados. O coração da Virgem Santíssima tinha que ser só para Deus, e uma castidade assim, mais que angélica, não teria podido existir se não estivesse sufocada na sua natureza essa inclinação ao pecado.
Existem ainda mais razões. É um fato que quanto mais forte é a virtude duma pessoa, mais débil é nela a concupiscência. A graça santificante e as virtudes que a acompanham, à medida que vão crescendo em intensidade, vão sufocando as inclinações más da carne; e como as virtudes da Virgem Santíssima foram incomparavelmente mais excelentes que as de todos os santos, e como a graça da Virgem foi imensa, não só impediram como extinguiram todos os impulsos da concupiscência.
Tem havido santos e até pessoas canonizadas, que tendo concupiscência, ou não sentiram ou sentiram muito debilmente os seus efeitos; pois a Rainha dos santos tinha que receber de Deus um privilégio maior que o dessas almas escolhidas.
É, pois, certíssimo que o corpo da Virgem Santíssima não só foi perfeitíssimo, não só foi formosíssimo, mas também teve um privilégio de que os outros homens carecem, o ter coibido, mais ainda, extinguido essa inclinação para o pecado, essa tendência ao pecado que se chama concupiscência. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário