Busca no Blog

19 de outubro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

O Pudor, Esplendor da Beleza Corporal


Parte 6/8

Mas o pudor dos santos ficou obscurecido pelo pudor da rainha de todos eles. Assim tinha que ser, se Maria tinha de ser o modelo mais perfeito das almas puras, se o pudor é a flor da pureza e ela era a própria pureza, a Virgem das virgens.
Acabamos de admirar a beleza corporal de Maria; o encanto natural da Mãe de Deus era realçado pelo pudor virginal que brotava da sua alma. "Graça sobre graça a mulher pudica", diz a Sagrada Escritura.
Não consideraremos exageradas as palavras de São Dionísio Aeropagita que viveu no primeiro século da Igreja; "Se não acreditasse no teu filho, ajoelhar-me-ia a teus pés e te adoraria a ti como a imagem única da divina majestade. Se não tivesse fé, acreditaria que és mais bela que Deus criador do mundo".
A pena delicada de Santo Antônio tratou de desenhar um retrato da Virgem Santíssima para o dar como modelo às Virgens cristãs: "É virgem no corpo e na alma limpa de afetos desordenados. Prudente no juízo, grave e comedida no falar, recatada no trato, amiga do trabalho. Não ofende a ninguém, serve a todos, é respeitosa para com os mais velhos, é afável com os iguais. Nunca deu um desgosto a seus pais nem com um leve gesto. Nunca ofendeu aos seus parentes. Nunca afligiu o humilde, nem menosprezou o fraco, nem virou as costas ao necessitado, nem teve trato com homens, além do que pedia a misericórdia e tolerava o pudor. Seus olhos não conheceram o brilho da luxúria, nem as suas palavras soaram com acentos de provocação, nem no seu porte faltou alguma vez à decência. Nem movimentos indecorosos, nem andar descomposto, nem voz presumida se viram jamais nela. O seu comportamento refletia em troca a pureza interior da sua alma. Inimiga da rua, não sai de casa senão para visitar o templo e sempre acompanhada por seus pais ou pessoa de família, não porque necessitasse de guardas a sua honestidade, porque levava no recolhimento a melhor defesa, mas por maior decoro e modéstia, o que resplandecia nos seus modos e palavras de tal maneira que granjeava o respeito e veneração de quantos a viam afastada das vaidades e entregue inteiramente à virtude."
E o Santo Doutor termina: "Aprendam as virgens a ser vigilantes de si mesmas e observantes do seu recato, se desejam que as pessoas as venerem."

Nenhum comentário:

Postar um comentário