17 de fevereiro de 2016

Tesouro de Exemplos - Parte 61

FILHOS PREFERIDOS

Os pais não deveriam esquecer-se desta regra de ouro: Tratar, todos os filhos por igual sem distinções que denotem predileção ou antipatia. O seguinte exemplo é da Sagrada Escritura.
Jacob tinha doze filhos. O pai amava aos filhos, os filhos ao pai, e os irmãos amavam-se mutuamente.
Mas José foi crescendo, e Jacob “amava mais a José que a todos os outros filhos, porque era o filho de sua velhice”. A essa altura muda-se a cena.
A paz converte-se em discórdia, o amor em ódio, a fraternidade em inveja, o sangue em vingança.
Faltou a paz na família, porque faltou a igualdade no pai. A igualdade fomentava o amor; a desigualdade de trato motivou a discórdia.
Em que consistia aquela desigualdade e qual a diferença de tratamento? Que é que fez Jacob? Porventura deserdou aos outros para que José fosse o único herdeiro? Nada disso! Porventura tratava aos demais como escravos e só a José como filho? Nada disso! Pois, então, que foi que perturbou aquela paz bendita? Somente isto: Jacob fizera para José uma túnica de cores mais lindas do que para os outros filhos. Esse foi o principio da discórdia.
Notai bem: Não despiu aos outros para vestir a José. A todos provia, a todos vestia. Mas a túnica de José, por suas variegadas cores, era mais vistosa, e isso bastou. Surgiu a discórdia ou, melhor, a inveja, e um dia aquela túnica se viu manchada de sangue.
José estaria morto pelas mãos de seus próprios irmãos, se a Providência divina não tivesse disposto de outro modo.

2 comentários:

  1. Não concordo com o texto. Creio que não seja bem assim.
    Se o próprio Deus tem sim, Seus prediletos. Por que um pai não pode?
    Deus faz distinção, mas por pura justiça, não por maldade. Assim também fazia Jacob. Provavelmente movido pelo amor que José tinha por ele, que com certeza, deveria ser muito maior do que dos próprios irmãos.
    Deveriam por isso, os irmãos, terem tido inveja de José? Seria motivo? Irmão verdadeiro e bondoso não teria inveja, e sim o contrário. Ficaria muito feliz pelo irmão ser mais amado pelo pai. Quem é humilde tem este sentimento pelo irmão. Não inveja.
    Amor iqualitário para um amor comunista. Devemos saber distinguir e aceitar os diferentes tratamentos de nossos pais, com amor e alegria, sabendo que não somos todos iguais, e nem sempre merecemos o mesmo amor.
    Isso sim, é a vontade e a dinâmica do Pai Celeste, o qual devemos imitar.

    obs: Lembre-se, que isso existe desde Cain e Abel. Deus gostou e amou mais Abel, pela oferenda mais agradável. E Cain, por inveja, matou Abel. Cain não foi humilde e não se alegrou por Deus ter gostado da oferenda de seu irmão. O contrário. Irou-se e sentiu inveja, e matou Abel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Marcel, Salve Maria!
      Desculpe a demora em responder o seu comentário.
      Não discordo de você em relação ao seu entendimento, quanto a predileção de Deus. Quando Deus tem predileção por um filho, faz por justiça. As Sagradas Escrituras nos ensinam que Deus premia os bons e castiga os maus. Claro que nem sempre podemos observar isso em vida, pois muitas vezes Deus permite que os bons sofram para aumentar os seus méritos.
      Apenas cabe salientar que o autor do livro "Tesouro de Exemplos" tinha como objetivo a catequese das crianças, não sendo seu objetivo fazer um tratado teológico, o que nos prova são os exemplos simples e objetivos, no entanto com uma grande riqueza em seus ensinamentos.
      Um grande abraço em Cristo Nosso Senhor
      Administrador do Blog São Pio V

      Excluir