Busca no Blog

10 de novembro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

O Corpo da Virgem Santíssima


Parte 5/6

Costuma dizer-se que o espírito e o corpo são como o cavalo e o cavaleiro.
Se o corpo está acostumado a reger-se pela lei do prazer, é como um cavalo por domar e sem freio que vai para onde quer, que salta todos os valados e acaba por derrubar o cavaleiro. Se o corpo está mortificado, é como um cavalo dócil e governado por cavaleiro experiente.
Na frase de Tertuliano, é como um prisioneiro que se entrega ao espírito para que faça dele o que quiser. Dá-lhe as mãos, para que faça o bem e as estenda ao necessitado cheias de esmolas. Dá-lhe os pés, para que vá pelo caminho do apostolado.
Dá-lhe os olhos, para que os encha de lágrimas de arrependimento, para que os pouse amorosos sobre o crucifixo ou os crave extáticos no sacrário.
Dá-lhe o coração, para que o inflame de amor por Jesus Cristo. Dá-lhe todos os seus membros para que os lavre e semeie de violetas da humildade, de açucenas da castidade, ou para que os queime como grãos de incenso sobre as brasas da santa penitência e faça dele uma vítima santa e agradável ao Senhor.
Numa palavra, o homem tem que refrear os impulsos do corpo que se lança para o prazer; e tem que levá-lo a que se abrace à dor quando lho pedir o cumprimento da Lei divina e o exercício da virtude.
Assim o fizeram os santos.
Assim fez São Paulo que exclamava: "castigo o meu corpo e submeto-o à escravidão, não vá acontecer que enquanto prego aos outros eu venha a condenar-me".
"Levo impressos no meu corpo os estigmas da paixão de Jesus Cristo".
Assim o fizeram todos os mártires que entregaram o seu corpo a todos os suplícios.
Assim o fizeram todos os anacoretas.
Assim o fez São Pedro de Alcântara de quem Santa Teresa dizia que o seu corpo parecia feito de raízes de árvores; mas que em paga o seu espírito estava robusto.
Assim o devem fazer todos os bons cristãos.
Por isso Deus não quis que a Virgem Santíssima fosse insensível à dor, como o não quis ser o próprio Filho de Deus.
O exemplo de Jesus paciente e da Virgem dolorosa tinha de ser um modelo e um estímulo para que os verdadeiros cristãos se abraçassem com a dor e com o sofrimento. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário