Busca no Blog

17 de agosto de 2017

Tesouro de Exemplos - Parte 397

PADRE LEOPOLDO BENZE UMA MAÇÃ

Uma vez, uma menina de cinco anos, numa aldeia perto de Pádua, adoeceu gravemente de parotidite (caxumba) dupla. A pobrezinha ficou muitos dias imóvel no leito sem proferir uma palavra, com as mãos cruzadas debaixo da cabeça e os olhos vidrados e sempre fixos num quadro de Nossa Senhora. Ingeria apenas um pouco de leite e isso mesmo com muita dificuldade. O médico, depois de empregar inutilmente todos os recursos, declarou que o caso era muito grave, porque a infecto estava para atingir o cérebro com perigo de meningite.
Um tio da menina procurou o Padre Leopoldo, narrou-lhe o triste estado da pequena e pediu que dali mesmo lhe desse uma bênção. O bom Padre ficou muito penalizado, inclinou a cabeça até os joelhos e ficou por longo tempo nessa posição. Depois, erguendo-se, com o rosto todo radiante de alegria, disse:
— Espere-me um pouco; eu volto logo.
Saiu do confessionário e depois de cinco minutos, voltou alegre e disse:
— Senhor, fique tranquilo. Sua sobrinha ficará boa.
No mesmo instante chegava um doméstico do convento, trazendo uma linda maçã, que o Pe. Leopoldo benzeu e entregou ao senhor dizendo:
— Leve esta maçã à menina: depois que ela a comer venha dizer-me como está passando.
O homem voltou para casa e encontrou a sobrinha na mesma: imóvel, olhos vidrados e parados. Aproximou-se do leito e mostrou à menina a maçã, dizendo:
— Olha, que bela maçã me deu o Padre Leopoldo...
Coisa maravilhosa! A menina desprendeu as mãos da cabeça, tomou a maçã, sentou-se na cama e comeu com avidez aquela fruta benzida. Estava curada. Todos os presentes choraram de comoção e deram graças a Deus e a Nossa Senhora por aquela grande graça.
O tio retornou imediatamente a Pádua para dar a agradável noticia ao Padre Leopoldo, que, cheio de alegria, exclamou:
— Foi Nossa Senhora... Demos-lhe graças e louvores...

Nenhum comentário:

Postar um comentário